Partido Conservador inglês com dificuldade para encontrar candidatos

Tatiane Correia
Repórter do GGN desde 2019. Graduada em Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Com passagens pela revista Executivos Financeiros e Agência Dinheiro Vivo.
[email protected]

Eleições gerais convocadas por primeiro-ministro podem levar Partido Trabalhista ao poder após 14 anos; votação ocorre em julho

Foto de Marcin Nowak na Unsplash

As eleições gerais convocadas por Rishi Sunak, primeiro-ministro do Reino Unido, mostram um Partido Conservador com dificuldades para encontrar candidatos e uma possibilidade cada vez mais concreta de os Trabalhistas voltarem ao poder após 14 anos.

Segundo o jornal britânico The Independent, os conservadores têm passado por dificuldades para encontrar candidatos para quase um terço das cadeiras na Câmara dos Comuns após a decisão do premiê de manter muitos dos principais políticos do partido “no escuro” sobre as eleições antecipadas.

O último político a abandonar a disputa foi o ministro do Gabinete, Michael Gove, que se uniu a outros 76 conservadores que decidiram renunciar à disputa programada para o dia 04 de julho, deixando o partido “numa corrida para encontrar candidatos substitutos em alguns circuitos eleitorais”.

Enquanto Sunak espera que o ex-primeiro-ministro Boris Johnson se una à campanha conservadora, pesquisa realizada pelo The Independent mostra que, se o resultado da eleição for decidido pela personalidade do candidato, o trabalhista Sir Keir Starmer seria o próximo primeiro-ministro do país com certa facilidade.

Em seu discurso de abertura para a campanha eleitoral, Starmer abordou sua história pessoal e a luta familiar contra a pobreza, ao mesmo tempo em que tentava esclarecer a postura que adotaria se eleito primeiro-ministro.

Tatiane Correia

Repórter do GGN desde 2019. Graduada em Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Com passagens pela revista Executivos Financeiros e Agência Dinheiro Vivo.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador