Ronald Biggs e o Metrô pagador

Por Fábio de Oliveira Ribeiro
 
Durante minha infância na década de 1970, Ronald Biggs era celebridade televisiva. Ele sempre dava entrevistas a telejornalistas e era filmado/fotografado no Carnaval.  A associação entre ele (personalidade com direito a visibilidade) e o roubo do trem pagador não era automática. Biggs não era tratado como um criminoso, nem visto como um ladrão. Ele era uma espécie de herói/bufão popular e desfrutava de sua condição com bastante desenvoltura reforçando cuidadosamente o papel que lhe foi conferido pela mídia brasileira.
 
A ambiguidade da cultura brasileira naquela época era evidente, muito embora eu só tenha percebido isto bem mais tarde. Da mesma forma que Ronald Biggs era festejado como um herói/bufão os militantes de esquerda que roubavam bancos para sustentar a resistência à ditadura eram perseguidos ferozmente. Os rostos deles eram divulgados nas ruas, nos jornais e nas redes de TV e a população era incentivada a fornecer informações sobre seu paradeiro para que eles pudessem ser oficialmente presos (ou torturados e mortos extra-oficialmente). Os ladrões brasileiros não tinham direito ao glamour concedido a Ronald Biggs, pois a imprensa era censurada. A censura, porém, nunca operou efeitos para retirar do ladrão inglês a condição de herói/bufão lhe atribuído de maneira espontânea.

Hoje a morte de Ronald Biggs é notícia em todos os portais de internet. Certamente ocupará um espaço considerável nos telejornais noturnos. Não ficarei surpreso se o tempo concedido a Biggs hoje for maior que o atribuído à roubalheira tucana no Metrô paulista durante a semana inteira. Afinal, o roubo do trem pagador inglês há algumas décadas certamente produzirá mais distração e alegria aos brasileiros do que o roubo de bilhões do Metrô que segue obrigando seus usuários a serem transportados como sardinhas em lata nos horários de pico. Além disto, Ronald Biggs tem o mesmo glamour concedido a José Serra e Geraldo Alckimin, cujas imagens são tão dissociadas do roubo do Metrô quando a do inglês foi destacada do roubo do trem pagador na década de 1970.

Antes de morrer, Ronald Biggs resolveu voltar para a Inglaterra e cumprir parte de sua pena. Desde então, no Brasil sua imagem foi elevada da condição de herói/bufão para a de Herói capaz de um grande auto-sacrifício. Mas o auto-sacrifício imediatamente cometido pelos petistas que se entregaram voluntariamente à Justiça para serem presos não despertou qualquer empatia da imprensa. Mesmo presos os petistas seguem sendo tratados como vilões.  A imprensa não é mais censurada, mas continua a perseguir ferozmente aqueles que lutaram contra a ditadura. A ambiguidade jornalística neste momento diz muito sobre sua verdadeira natureza da mídia brasileira.
 
Não tenho dúvidas de que no dia de hoje os telejornais lamentarão a morte de Ronald Biggs, atacarão os réus do Mensalão petista destinando nenhum ou pouquíssimo tempo à roubalheira tucana no Metrô. Nenhum jornalista perguntará a José Serra e Geraldo Alckimin se eles estão de luto pela morte de Ronald Biggs (apesar do inglês poder ser considerado o Patrono de todos os ladrões de Trens e Metrôs brasileiros). O Metrô tem sido pagador da propaganda que sustenta a mídia antes, durante e depois das eleições?

21 comentários

  1. Vc de fato se expressou muito

    Vc de fato se expressou muito bem……..finalizando “O Metrô tem sido pagador da propaganda que sustenta a mídia antes, durante e depois das eleições”. Os trilhos continuam no lugar e o trem embalado na mortaça da mídia, que não quer admitir que há ladrões maiores que o falecido Ronadl Biggs. Afinal, as “sacolas” de hoje são maiores e mais “caridosas” para fazer apagar qualquer rastro do trilho sumido. Tudo continua como dantes na casa do Abrantes. 

  2. Nossa

    Sim, ha contradicoes. Mas parece que voce nao esta tao incomodado com elas.

    Afinal, voce tambem esta pregando o “perdao” a petistas condenados e condenacao a tucanos supostamente corruptos. Se corrupcao e’ um problema, a unica forma de acabar com a contradicao e’: cumpram penas TODOS os corruptos, tucanos, petistas ou o que for. Do jeito que vc escreve, parece que o unico ponto que te incomoda na contradicao e’ que ela esta invertida em relacao ao que vc gostaria.

    Mas lembre-se: o contrario de uma contradicao tambem e’ uma contradicao.

    Abraco

    • A atitude canalha de um

      A atitude canalha de um comentário é botar na boca (nos dedos) do outro uma coisa que ele não disse e atacá-lo por isso. Fábio fez, e muito bem, a comparação entre o assalto ao trem pagador que vinha da Escócia e o assalto ao “Metrô Pagador” de São Paulo. Perifericamente, mostra o “glamour” emprestado pela imprensa nativa a Ronald Biggs e a forma como essa imprensa desanca os condenados na AP-470. Apenas a distinta covardia do comentarista pode afirmar que Fábio está defendendo um crime de petistas. Mesmo porque, o crime não houve nem foi provado. Mas como foi decretado pelo STF, não há instância maior na República para adentrar aquele distinto tribunal e declarar: “Perdeu malandragem. Aqui não se usa a Teoria do Domínio do Fato, porque jamais foi usada antes e todas as condenações têm de ser baseadas em provas consistentes e não em suspeitas ou quimeras jurídicas. E quer saber mais? Fux-se você.

      • Carissimo

        Focando apenas na parte relevante do seu comentario, vc diz que eu coloco palavras na boca do Fabio. Mas nao e’ verdade, leia o texto de novo. Ele defende sim os petistas condenados, que foi o que eu disse e que voce se incomoda. Alem de querer o mesmo tratamento de heroi pelo “auto-sacrificio” (nao de todos, porque um fugiu para a Italia), se surpreende com o fato de que “Mesmo presos os petistas seguem sendo tratados como vilões”! Se vc nao acha que isso e’ defender, eu realmente nao sei o que seria.

        Alem disso, eu nao afirmei que crime houve. Eu disse que eles foram condenados. Ponto. Vc e Fabio defendem petistas condenados e os promovem como herois. E querem para os tucanos o mesmo tratamento que condenam quando e’ para um petista. Se ouvir isto te irrita, nao mate o mensageiro, apenas pare de faze-lo.

        A proposito, estou plenamente informado dos alegados erros do processo. Estou plenamente informado da historia passada deles e da importancia de alguns deles no combate a ditadura. Espero que possam apelar e que se erros houve, que sejam corrigidos.

        Mas algo me diz que esta defesa que fazem deles nao tem nada a ver com os erros do processo. Voce os estaria defendendo de qualquer jeito, mesmo se o julgamente tivesse sido perfeito. Viriam com aquela ladainha que no Brasil e’ assim mesmo, que nao da pra governar sem se sujar, etc. Sempre vai ter uma saida para quem alimenta uma ilusao por tanto tempo que tem que continuar acreditando nela mesmo quando a realidade bate a porta.

        Assim, estes supostos erros juridicos na verdade os ajudaram na estrategia de comunicacao. Ajudou um monte de gente a encontrar uma racionalizacao para continuar apoiando o inapoiavel. E atrapalha ao proprio PT e ao governo. Enquanto estas figuras nao resolverem ser herois de verdade e entenderem que a luta deles agora e’ privada, a militancia, o partido e o governo nao vao poder virar a pagina e focar em resolver os problemas mais importantes.

         

         

        • Luis, ocorre que o que você

          Luis, ocorre que o que você chama de “supostos” erros jurídicos, são, na verdade, gravíssimas violações de direitos e garantias fundamentais em um nível que não se via desde o fim da ditadura, o que foi percebido até mesmo pelos conservadores, como o jurista Ives Gandra e o ex-governador de SP Claúdio Lembo. A “inovação” do STF ao condenar sem provas é de tal violência e arbítrio que pode ser considerada uma espécie de AI-5 jurídico.

          No mais, a comparação que o artigo faz com um assaltante confesso, um caso de corrupção bilionário nos metrôs paulistas(onde também já há condenados, mas na Europa, no Brasil o processo ficou guardado na gaveta do promotor Grandis)e o próprio mensalão tucano(anterior ao petista, no qual os crimes já começam a prescrever)mostra muito bem qual foi o único objetivo desse AI-5 do STF: condenar pessoas de determinada orientação política.

          Qual a diferença disso com a ditadura?

          Há um movimento anti-democrático em curso, ancorado, principalmente, em duas instituições:a mídia corporativa e o STF, instituições que não precisam do voto do eleitor, e por isso desprezam a Democracia e seus valores. Não entendo como você pode considerar isso algo bom.

          • Daytona, obrigado pelo seu

            Daytona, obrigado pelo seu comentario. E’ reconfortante ser capaz de divergir no campo das ideias e com respeito.

            Eu nao pretendo contestar sua opiniao a respeito dos “gravissimos” erros. Eu tendo a concordar com voce, exceto em relacao a gravidade e ao alcance do problema.

            Mas a sua pergunta e’ importante: qual a diferenca disso com a ditadura?

            A primeira e mais importante diferenca e’ que os condenados nao o foram por atos de resistencia a ditadura. Estas pessoas estavam no governo, gerenciando o Estado e e’ razoavel sim em qualquer sociedade civilizada que sejam cobrados por atitudes eticas ACIMA da media da sociedade. O que eles fizeram nao foi um ato de “heroismo”, como roubar um banco para financiar a resistencia.

            Embora nem todos os detalhes estejam claros, ou desviaram dinheiro publico ou usaram de influencia para angariar dinheiro privado e distribuir para os partidos da coalizao. Isso e’ altamente anti-etico e e’ um crime admitido (caixa 2 ainda e’ crime no Brasil). Eu e’ que fico surpreso a falta de indignacao de pessoas honestas com este tipo de atitude. E as racionalizacoes do tipo “mas sem isso, nao da pra governar o Brasil”, o que basicamente pode justificar qualquer tipo de crime.

            A segunda diferenca e’ que houve um processo legal, conduzido por juizes em parte escolhidos pelo proprio PT. Se o PT preferiu fazer demagogia nas indicacoes e nao cumprir com sua responsabilidade de olhar o historico juridico e politico dos seus indicados, que arque com as consequencias. Mas o que os condenados estao fazendo hoje e’ tambem um atentado contra as instituicoes. Para defender seus interesses pessoais (justos ou nao), eles tentam jogar a militancia, a opiniao publica e o partido contra o STF como instituicao, alardeando os “atentados contra a democracia”, como se o mundo estivesse por acabar.

            Daytona, perdoe-me, mas isso e’ TECNICA de mobilizacao, nao tem relacao com a verdade. E’ a esperanca que os condenados tem de rever sua condenacao ou abrandar sua pena, sem se preocupar, eles tambem, com a estabilidade institucional do pais. E’ socializar um problema privado.

            Alem disso, o STF tem um monte de problemas (e parte da culpa e’ do PT mesmo), mas existem mecanismos institucionais para resolve-los. Leva tempo, mas nao se destroi uma instituicao de Estado so’ porque errou em um caso, por mais significativo que seja. Isso sim e’ abrir a porta para a ditadura.

            Terceiro, a propria alusao ‘a ditadura ja e’ parte da tecnica tambem. Todo mundo lembra e associa estas pessoas ‘a luta contra a ditadura. Todos nos somos orfaos do sonho que eles pregavam na epoca – um pais democratico embasado em uma sociedade etica. Orfaos e’ a palavra, porque a realidade bateu a porta e eles foram pegos com a mao no pote de mel. Aquele sonho era importante nos anos 70, era o que nos movimentava a continuar lutando. Mas agora, o sonho acabou, os mesmos que entao eram nossos guias eticos agora se refestelam no caixa 2. Entao, e’ vantagem para eles lembrar-nos daquela epoca, quando eles eram os morais e o resto do mundo estava contra eles. E e’ facil, porque nos estamos carentes daquele sonho, ne?

            Ah, mas e o PSDB? Ora, esta mais que na hora de os corruptos do PSDB pagarem a parte deles tambem! Nem vou elaborar aqui, porque nao temos discordancia quanto a este ponto. Mas isso nao vai acontecer enquanto os condenados do lado de ca continuarem estrebuchando contra as instituicoes. Como vc pode pedir que a policia investigue e a justica puna os corruptos do lado de la quando ao mesmo tempo voce diz que esta mesma polica e esta mesma justica nao e’ adequada para investigar e punir os do lado de ca!?!?

            Espero que isso explique porque eu disse la no comeco que “o contrario de uma contradicao ainda e’ uma contradicao”.

             

             

             

             

             

             

             

             

  3. Eu pego, ele rouba

    Era bem isso. Criança na época do Balão Magico e me lembro que em alguns especiais, Mike levou o pai dele para participar do programa e Biggs era tradado como uma estrela. Chegaram até de mostra-lo na casa de Santa Teresa, com a mulher, o filho, etc. 

    Ladrão mau para a imprensa brasileira é pobre morto de fome, como eles debocham nas redações, e petista. 

  4. O crime compensa.

    Desde que cometido por certas classes sociais, e sob modos de operação bem escolhidos.

    Via de regra, deixam até de serem chamados de crimes: Vira cartel, deslize, “resistência cívica a extorsão tributária”, etc.

    Bandido bom é bandido morto, desde que seja preto e pobre. Se for inglês ou tucano vira patrimônio cultural.

  5. Novilíngua

    A elite sabe muito bem tecer seu tricot para punir aqueles q se atrevem a alterar o status quo.  O RonaldBigs de hoje é o Cachoeira, mas temos tmbm o medico tarado que estripou 200 pacientes e recebeu HC  de Gilmar Mendes. A palavra terrorista por ser palavra gasta foi substituída por uma palavra novinha em folha: mensaleiro . Fiat lux.

  6. Agora já não é normal, o que

    Agora já não é normal, o que dá de malandro
    regular profissional, malandro com o aparato de malandro oficial,
    malandro candidato a malandro federal,
    malandro com retrato na coluna social;
    malandro com contrato, com gravata e capital, que nunca se dá mal.
    Mas o malandro para valer, não espalha,
    aposentou a navalha, tem mulher e filho e tralha e tal.
    Dizem as más línguas que ele até trabalha,
    Mora lá longe chacoalha, no trem da central
     

    Chico, cada vez  mais atual

  7. Analogias

    A analogia que os colegas fazem de Biggs e seu assalto ao trem pagador com os tucanos do trensalão paulista é injusta. Biggs não era político, nem tinha cargo público, roubou muito menos e foi muito corajoso, além de parecer mesmo um sujeito bonachão. Quanto ao noticiário, amanhã ninguém falará mais dele. O trensalão tucano prossegue, mas a velha mídia corporativa continuará a ignorá-lo. Segue vídeo do encontro de Biggs com a banda punk Sex Pistols, e sua parceria com eles, em que ele canta: “Ninguém é inocente”.

    http://www.youtube.com/watch?v=j-oZeSqxT2I

  8. Muito bom Fábio, você amarrou

    Muito bom Fábio, você amarrou cada coisa no seu devido lugar, é assim mesmo que as coisas se passaram e se passam. Lembro-me do Ronald Bigs desde que ele veio para cá, quando engravidou a Sebastiana, se não me engano era esse o nome da mãe do filho dele. Lembro dela grávida e depois apareceu mais algumas vezes para ver o filho e depois desapareceu, acho que ela não estava no Brasil. Tem uma coisa que aconteceu, mas nunca mais ouvi falar nisso, porém tenho certeza que li, sim, sobre isso: a tentativa de sequestro acho que pelos ingleses, não tenho certeza, mas alguém tentou sequestrá-lo e segundo o que li, brasileiros  resgataram o Ronald Bigs no Suriname, gostaria de saber se isso efetivamente ocorreu ou se foi um sonho meu. Se aconteceu mesmo, imagine, então nós o regatamos como um troféu: O ladrão é nosso! Derretemos a Taça da Copa e resgatamos e conservamos o ladrão dos outros por todo o tempo que ele aqui quis ficar. Tem outra coisa, do que vivia Ronald Bigs? Ele nunca trabalhou, não vivia em luxo, mas não passava fome, tinha onde morar. De onde saia o dinheiro para sua sobrevivência, pelo menos para mim, era um mistério. Pois é assim mesmo que aqui as coisas ocorrem, quem não roubou nada de ninguém está lá amargando cadeia sob desprezo de uma boa parte de brasileiros, enquanto que ladrões verdadeiros, os trensaleiros são festejados pela imprensa como se heróis fossem. Dá para entender um país desse?

  9. E além do mais, era ladrão

    E além do mais, era ladrão importado.Tinha grife. Tudo em inglês é lapidar e verdadeiro.Algum larápio nativo,  seria tratado  com tanta  reverência,simpatia e admiração, quanto Biggs? Pensem num delinquente recuperado,pena cumprida, se teria a admiração social e o mesmo “input” do anglo saxônico?

    Biggs,fora convertido ,durante sua estadia entre nós, como   objeto folclórico animado,frequentemente  entrevistado,o filho que produziu com a nativa Raimunda,enturmou-se na TV e converteu-se  num  ator  infantil de sucesso sem  ser acossado pelo preconceito.Quantos tupiniquins conseguiriam?

    • Quantos tupiniquins

      Quantos tupiniquins conseguiriam? Os tucanos, só eles mesmo conseguem, mesmo roubando tudo que roubam, ainda conseguem serem reverenciados. Realmente, é Raimunda o nome da mãe do filho do Bigs.

  10. Eu reparei que na maioria das

    Eu reparei que na maioria das fotos, videos desse Bigs, ele esta sempre sorridente..claro né, torrou a grana que roubou no Brasil, e ainda por aqui era tido como estrela, super-herói, etc, para ele acho que valeu aquela máxima: “Morreu de tanto rir”

    • Pelo menos roubou lá e gastou
      Pelo menos roubou lá e gastou aqui, os nossos roubam aqui para gastar lá com aqueles mimos que conhecemos, apartamento em Paris, Miame e contas numeradas em paraísos fiscais

  11. A LINHA LARANJA faz parte do

    A LINHA LARANJA faz parte do projeto do Governo de  S.Paulo  -Linha 6 – LARANJA. Hoje o Governador de S.Paulo lançou uma etapa da linha 6 – LARANJA..pelo nome já diz tudo. Assim, o usuário paulistano se lembrará ao usa-lo. Teremos LARANJA  para dar e vender….produzidas aqui e na Suiça.

     

    ..

  12. A coisa é pior ainda .
    Não só

    A coisa é pior ainda .

    Não só o caso da roubalheira tucana no metrô não ocupou espaco algum no noticiário televisivo , como o governo do estado iniciou uma série de propagandas mostrando como o paulistano CURTE o metrô . 

    O ministério publico processou a Erundina , que quase perde o apartamento em que morava ,  por ter feito propagandas consideradas ilegais durante a época em que foi prefeita. Vamos ver agora se o ministério público vai fazero mesmo com o governador Alckimin por ter a cara de pau de fazer propagandas enaltecendo o servico do metrô logo em seguida às denúncias de corrupcão nas licitacões .

  13. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome