Caixa dois da Andrade Gutierrez era abastecido por obras em SP e no Sul, afirma delator

 
Jornal GGN – Em delação premiada, o ex-diretor da Andrade Gutierrez, Dario Rodrigues Leite Neto, disse que notas fiscais falsas de obras em São Paulo e na região Sul abasteciam o suposto esquema de pagamento de propinas e caixa dois da empresa.
 
Mais três funcionários da empreiteira passaram a colaborar com as investigações após o acordo de delação da Odebrecht, que apontou para fatos que não haviam sido levantados pela andrade Gutierrez em seus acordos de delação e de leniência. 
 
De acordo com a Folha de S. Paulo, os delatores da Andrade afirmaram que trabalhavam em uma tesouraria interna que tinha como função realizar os pagamentos das propinas. 

 
Segundo o ex-diretor, ele indicava o valor das notas falsas em nome de empresas ligadas a Adir Assad para Marcelo Seabra de Mello, outro funcionário da empresa. Mello também fez acordo de delação e Assad é um doleiro que está preso desde agosto do ano passado. 
 
Depois, operadores ligados a Adir iam até a Andrade Gutierrez para devolver os valores em dinheiro vivo. Leite Neto também disse que os percentuais das propinas variava de acordo com a rentabilidade da obra, afirmando, também, que foi orientado pela diretoria financeira da empresa.
 
Em seu relato, o ex-diretor da empreiteira aponta que o dinheiro desviado de obras de São Paulo e do Sul do país abasteceria a propina paga em outros Estados, como o Rio de Janeiro.
 
A primeira denúncia contra o ex-governador fluminense Sérgio Cabral, preso desde novembro, foi fomentada pelas delações da Andrade Gutierrez. 
 
A existência do caixa dois da companhia era conhecida desde agosto do ano passado, em investigações sobre propinas na Eletrobras, mas não se sabia o tamanho da contabilidade paralela. 
 
Em novembro de 2015, a Andrade Gutierrez um acordo de leniência com a Procuradoria-Geral da República (PGR), no qual deve pagar uma multa de R$ 1 bilhão. Agora, com as novas revelações, não se sabe se este valor será ampliado. 
 
 

4 comentários

  1. SUBSTITUTO DO TEORI

    REINALDO AZEVEDO JÁ ESTÁ SAUDANDO A IDA DE ALEXANDRE MORAES PARA O STF.

    Como dizem na globonews “vamos lembrar aqui”:

    O próximo indicado para o STF será o revisor, no Plenário, do caso Eduardo Cunha, de quem Alexandre foi advogado ( sem lembrar do PCC) Logo…

    Temer já está “encurralado” por seus comparsas como Gedel e cia, para deixar de lado, como sempre, qualquer máscara e colocar logo o Alexandre para segurar os processos dos golpistas.

     

     

    • Que assim não seja.

      Mas as opções também não são melhores. Talvez Reinaldo esteja colocando o bode na sala e preparando a escolha do filho do parecerista do PSDB, Gandra Filho. Este já apareceu até em posse de um certo gato Angorá, abraçado efusivamente, amém.

    • Reclamar ?

      Quem irá ?

      Já está tudo de pernas para o ar mesmo. Só fico imaginando que forças ou segredos terá o Kojac ? Pelo seu histórico não fica difícil imaginar.

      Mas que ele não é nenhum Paulo Preto, isto não é mesmo !!!!! E não pode ser abandonado a beira do caminho, de modo algum.

      Só pode subir de posição, cair ? jamais ! Ele é do PSDB e foi indicado pelo “santo”. “Santo” este que, valha-me Deus e N. Sra, penso que já está marcado como o próximo presidente, caso não haja nenhum contratempo p/ ele.

  2. caixa…..

    Só da Andrade Gutierrez? Mas a manchete revela outro traço da nossa elite intelectual anticapitalista: como se joga o nome de empresarios e empresas aos leões em casos que sabotam suas marcas e suas histórias e se preserva os nomes do Poder Público e Politico. Onde está a nossa Corte? Quem são? Quem controla nossa ditadura fantasiada de democracia? O planeta Terra inteiro sabe das falcatruas de PSDB, principalmente em SP. Basta ir ver o “Elefante Branco” ramal de trem que ligará a linha leste ao Aeroporto Internacional em Guarulhos. Imensas torres de concreto e aço, para uma via super elevada ao invés de um simples ramal paralelo à rodovia, onde estão enterrados bilhões de reais em superfaturamento e propinas. E a grande mídia, assim como Geraldinho Picolé de Chuchu, fazendo “cara de paisagem” como se o problema não fosse dele. Aliás, é a estratégia tucana, além de agregar o MP a seu partido. (Ministério Público fazendo parte de partido corrupto. Isto pode? Isto é republicano?) é federalizar os problemas regionais. A febre amarela teve casos iniciais no interior de SP, com 7 suspeitas. Então sumiu do noticiário. Quando retornou ao noticiário, já era um problema de MG. E os casos de SP? Já haviam morridos 4 dos 7 casos. Mas então o problema já era nacional. Lembram do problema da tragédia da falta da água? A mesma coisa. Picolé de Chuchu, você não engana ninguém. Vamos ver até onde vai esta palhaçada?!      

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome