Dallagnol critica Aras: “postura equivocada”

Ainda não há notícias se a força-tarefa da Lava Jato será prorrogada. Aras tem até o dia 10 de setembro para decidir

Foto: Divulgação / Montagem: Brasil247

Jornal GGN – Negando que sua saída da Lava Jato tenha relação com a possibilidade de uma mudança na força-tarefa pela Procuradoria-Geral da República (PGR), o procurador Deltan Dallagnol afirmou, contudo, que se sentiu “atacado” e criticou o PGR Augusto Aras.

“Tentaram por inúmeras vezes, sem sucesso, aplicar punições desproporcionais ou me retirar à força da coordenação”, disse, em entrevista ao Estadão.

Ao ser questionado pelo jornal se sua saída “aliviará a pressão e os ataques anti Lava Jato”, Dallagnol também admitiu a possibilidade: “Se as pressões e ataques estiverem vinculados à minha posição na coordenação, sim. Contudo, se estiverem vinculados ao tipo de trabalho que é feito, não”, respondeu.

Nas declarações, já anunciado o seu afastamento da coordenação da força-tarefa, em meio a uma crise interna e o avanço das apurações da PGR em irregularidades cometidas pela Lava Jato, Dallagnol criticou Aras.

“A postura dele [Augusto Aras] em relação às forças-tarefas está equivocada. Elas são modelos de atuação no Brasil e no mundo. Alcançaram resultados contra a corrupção antes inimagináveis. É algo a ser mantido, expandido e replicado”, disse.

Ainda não há notícias se a força-tarefa da Lava Jato será prorrogada. Aras tem até o dia 10 de setembro para decidir se mantém as atividades do grupo. Uma alternativa que vem sendo analisada dentro do Conselho Superior do Ministério Público (CSMP), que recebeu diversas denúncias de irregularidades contra Dallagnol e as atuações da Lava Jato de Curitiba, é remodelar a Operação por um grupo direto de Brasília, e não mais do Paraná.

Dallagnol claramente é contrário à medida. O procurador também acredita que com a saída de Sérgio Moro do governo Bolsonaro e da Lava Jato, acredita que “os ataques passaram a se concentrar” nele.

Leia também:  EUA receberão informações sigilosas da Petrobras graças à Lava Jato

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

3 comentários

  1. “Tentaram por inúmeras vezes, sem sucesso, aplicar punições desproporcionais ou me retirar à força da coordenação”. – Deltan Dallagnol

    Pior é que não tiveram êxito nas tentativas de aplicar punições desproporcionais ao meliante nem tiveram sucesso em aplicar nem mesmo punições proporcionais aos crimes cometidos por esse Rato.

  2. Após a realização do serviço sujo, tanto o Dallagnol quanto o $érgio Moro perderam a beleza perante os imperialistas:

    “When she’s abandoned her moral center and teachings…when she’s cast aside her facade of propriety and lady-like demeanor…when I have so corrupted this fragile thing and brought out a writhing, mewling, bucking, wanton whore for my enjoyment and pleasure…..enticing from within this feral lioness…growling and scratching and biting…taking everything I dish out to her…..at that moment she is never more beautiful to me”. – Marquis de Sade

  3. É a república de Curitiba, proclamada e presidida por Michel Temer, agora tendo que se enquadrar à república de Rio das Pedras. Orelha murcha e rabo no meio das pernas, menino Deltan!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome