Depois do STF, o risco de chantagem contra militares

Em algum ponto do futuro, um novo Snowden poderá trazer luzes sobre um dos aspectos mais obscuros do golpe em curso: o poder da chantagem em cima de agentes-chave do processo.

A era da telemática trouxe à tona um volume inédito de informações sobre países, instituições, empresas e pessoas. As operações em paraísos fiscais, a lista do HSBC, o caso Banestado, a contabilidade da Odebrecht, dos doleiros, os arquivos sobre o narcotráfico, a espionagem direta norte-americana, através na NSA, grampeando o celular de Dilma Rousseff e Ângela Merkel.

Some-se à maneira fácil com que se destroem reputações através das redes sociais e dos sistemas de mídia, e se terá um prato feito a chantagem.

Chantageadores costumam levantar informações pontuais sobre um número determinado de vítimas. Mas, e quem têm acesso a um número ilimitado de fontes de informação e a facilidade das redes sociais para disseminá-las?

Há os seguintes indícios do uso dessas informações no golpe, através da alimentação das diversas operações ou da chantagem:

  1. Globo – desde 2011 está refém do FBI devido aos escândalos da FIFA. Nesse ano houve a delação de J.Hawila. Apesar das investigações se concentrarem nos Estados Unidos, ocorreram denúncias contra executivos da FIFA e das confederações latino-americanas. Nenhuma denúncia contra a Globo. As investigações mais substanciosas estão sendo feitas pelo Ministério Público da Espanha e da Suíça – mas abafadas no Brasil pelo MPF nacional. Há suspeitas – repito: suspeitas – de que a jogada de alto risco da Globo, sendo o principal alimentador do golpe, se deveu a essas pressões.
  2. Luís Roberto Barroso – a mudança de posição de Barroso, em questão de direitos, ocorreu imediatamente após informações sobre ele e sua família veiculadas por um site anônimo de Curitiba. Depois que mudou de lado, não foi mais incomodado. A mesma suspeita recai sobre Luiz Edson Fachin e sobre Carmen Lúcia. Neste caso, ela recebeu um recado de coluna da Globo, que estaria sendo vítima de um golpe, da pessoa que lhe vendeu por R$ 1,7 milhão uma casa que valia R$ 3 milhões. A pessoa em questão tinha relações com Carlinhos Cachoeira. Depois que mudou de lado, Carmen Lúcia nunca mais foi incomodada.

É possível que muitos magistrados tenham aberto mão de seus princípios garantistas por pressões de chantagistas, independentemente de as ameaças serem em cima de fatos concretos ou factoides. Dias Toffoli foi alvo de uma capa infame da Veja, assim como políticos que não aderiam ao golpe. E os vazamentos seletivos ou meras manipulações de delações passaram a ser arma diuturna de chantagem e pressão política.

A falta de critérios da mídia brasileira abriu essa avenida para chantagens, muito mais do que os fakenews das redes sociais.

Dou essa volta para chegar a um ponto delicado: a possibilidade desse tipo de jogada estar ocorrendo sobre militares da ativa.

Há sinais concretos de que a maioria dos oficiais da ativa são legalistas, respeitadores da lei e da ordem. Muito mais que políticos, intelectuais, jornalistas, eles têm enorme apreço por sua reputação pessoal. Justamente por isso, são muito mais vulneráveis a esse tipo de pressão que um cidadão comum. É capaz de se sentirem constrangidos por apontamentos no SPC, alguma irregularidade fiscal, por algum erro administrativo em alguma licitação, qualquer episódio menor suscetível de ser escandalizado.

São fortes como instituição armada; vulneráveis como pessoas físicas pouco afeitas ao jogo de intrigas e pressões que cercam a política.

Há indícios – repito: indícios! – de que possa estar em andamento uma ofensiva similar à que dobrou figuras do Judiciário, visando obter adesões contra a normalidade democrática. Mas é importante ficar alerta a sinais que possam indicar algo nessa direção. As próprias Forças Armadas tem áreas especializadas em guerras híbridas.

37 comentários

  1. Almirante Othon. Não foi caso

    Almirante Othon. Não foi caso de chantagem, mas é exemplo de como é muito fácil tirar alguém do caminho com mentiras.

  2. Só chantagem não basta.
    Ora, chantagem só tem força se não tiver saída. Soltem o Lula e deixem ele participar da campanha. Os chantagistas terão que lidar com isso, a chantagem perde atenção e apelo frente a realidade eleitoral emergencial que Lula sacoderia.

    Lula é uma saída à chantagem de golpistas da direita neocolonial, pois é imenso problema solto e fazendo campanha com seus pares. A chantagem só tem efeito se o chantageado for, também,inábil politicamente/estratgicamente.

    Chantagem tem força de pressão somente se não houver saída alguma ou burrice do chantageado.

  3. Só chantagem não basta.
    Ora, chantagem só tem força se não tiver saída. Soltem o Lula e deixem ele participar da campanha. Os chantagistas terão que lidar com isso, a chantagem perde atenção e apelo frente a realidade eleitoral emergencial que Lula sacoderia.

    Lula é uma saída à chantagem de golpistas da direita neocolonial, pois é imenso problema solto e fazendo campanha com seus pares. A chantagem só tem efeito se o chantageado for, também,inábil politicamente/estratgicamente.

    Chantagem tem força de pressão somente se não houver saída alguma ou burrice do chantageado.

  4. Só chantagem não basta.
    Ora, chantagem só tem força se não tiver saída. Soltem o Lula e deixem ele participar da campanha. Os chantagistas terão que lidar com isso, a chantagem perde atenção e apelo frente a realidade eleitoral emergencial que Lula sacoderia.

    Lula é uma saída à chantagem de golpistas da direita neocolonial, pois é imenso problema solto e fazendo campanha com seus pares. A chantagem só tem efeito se o chantageado for, também,inábil politicamente/estratgicamente.

    Chantagem tem força de pressão somente se não houver saída alguma ou burrice do chantageado.

  5. CHANTAGEM SÓ SERVE PARA QUEM DEVE

    Em minha opinião quem é levado por CHANTAGEM É PORQUE DEVE QUEM NÃO DEVE, NÃO TEM MEDO CHANTAGEM… MANDAM AS FAVAS. Esses casos dos ministros, LUIS BARROSO, CARMÉM LUCIA E FACHIN COMO CONSTA EM NOTÍCIAS COM CERTEZA DEVE SER VERDADEIRO NINGUÉM ESCREVERIA NADA TÃO GRAVE EM JORNAIS E REVISTAS SE NÃO FOSSE VERDADEIRO AINDA MAIS QUANDO SE TRATA DE MINISTROS DA SUPREMA CORTE. Isso chega a ser vergonhoso mais do que isso, em minha opinião não DEVERIAM ESTAR OCUPANDO UMAS DAS CÁTEDRAS DA SUPREMA CORTE.

  6. Informação é como terra,

    Informação é como terra, ouro, petróleo: é a riqueza do mundo.

    Ela existe, e tem valor; aproveitemo-nos, portanto, deste valor, e desfrutemos de seus benefícios.

    Não há mais privacidade neste mundo; nós mesmos fornecemos, graciosamente, informações sobre nossa intimidade, aos googles e facebooks da vida.

    Até nos desnudamos, literalmente.

    A internet reduziu os figurões citados no post do Nassif à mesma fragilidade de uma adolescente cujas fotos íntimas estão na mão de algum ex-namorado ressentido.

    O que era inocente consequência de hedonismo ou indulgência sensual, ou hábitos de consumo, se transformou em informação privilegiada.

    Compre uma casa, compre um automóvel, uma mansão em Miami ou em BH; antigamente, era possível não só esconder isso do mundo, mas até dos familiares mais próximos.

    Hoje, informação telematizada, torna-se do conhecimento até de hackers.

    Os voyeurs, como se sabe, também existem, antes apenas em carne e osso, hoje também como stalkers virtuais.

    Assim, o que era, antes, apenas uma manobra oculta para se dar bem, uma pequena Lei de Gérson posta em prática para levar alguma vantagem, ou mera vaidade desejosa de aplauso, se transformou em um tendão de aquiles de altíssima sensibilidade e fragilidade.

    Barroso, Carmem Lúcia, quem os desejaria ver nus, a não ser eles mesmos? Todos ficamos, em algum  momento de nosso dia e de nossas vidas; apenas, agora, não é mais possível fazê-lo em total intimidade. E nunca mais será. Onde e quando estivermos nus, alguém estará vendo.

    A informação privilegiada existe, e gera duas coisas: lucro e poder.

    Porque não seria usada, então? Se, para os powers that be, é tão fácil e trivial obter informação, sobre adolescentes nuas, Petrobrás, Dilma, Merkel, porque não se beneficiar dela?

    Ninguém estará fora dessa possibilidade. Civis, militares, presidentes ou chairmen.

    Há telemática, e há interesse; uma nasceu para a outra. E se a consequência é lucro e poder, então estamos no paraíso.

    Como disse o antigo futebolista argentino, de saco cheio ao ser perguntado pela enésima vez se havia doping e/ou suborno no futebol: “Hay drogas y hay diñero; por lo tanto, se hay drogas y hay diñero, hay doping y hay suborno. Te contesté, o no?”

     

  7. Deve haver chantagem mesmo,

    Deve haver chantagem mesmo, mas penso que, para a maioria dos chantageados, é um empurrãozinho que faltava para partcipar ativamente do golpe. A chantagem sempre existiu, mesmo porque quase todos cometem erros, uns menores, outros maiores. Na essência, os atores do golpe são elementos infiltrados externamente (lava jato) ou associados e identificados com a plutocracia.

  8. Se são legalistas, obedecem à lei. Se obedecem às leis…

    Se os Militares são legalistas é porque obedecem às leis. Mas se estão com o rabo preso, é porque desobedeceram às leis. Ou seja, o fato de estarem com seus rabos presos, significa que não são legalistas, mas criminosos.

  9. Por ordem na bagaça

    Nassif: é isso que pe deixa puto com cos gringos. Que isto é quintal seu, tudo bem. Até o Povão tem aceitado (e se não aceitar os verdeoliva sentam o pau). Que põe e tiram quem eles bem entendem, isto já faz tempo. Admitem até o ladrão mor fazendo discurso sobre governança, isso é normal. Mas, pô, não deixem avacalhar a eleição. É o único momento em que a gentalha pode confirmar os candidados que eles impuseram. Veja o que você pode fazer…

+ comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome