Em entrevista no Roda Viva, Temer admite que Dilma sofreu golpe e diz que Lula evitaria impeachment

'Ex-presidente fez revelações que mudam a narrativa histórica sobre o impeachment da antecessora e comprova revelações de Intercept', aponta Kennedy Alencar

Ex-presidente Michel Temer. Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – Há pouco mais de uma semana, reportagem da Folha de S.Paulo baseada no arquivo do “The Intercept Brasil” revelou que os procuradores da Lava Jato sabiam que a divulgação do diálogo entre a então presidente da República, Dilma Rousseff, e Lula, foi ilegal, porque a captação ocorreu horas depois do fim da ordem judicial e ainda, que o ex-presidente, ao considerar assumir o cargo de Ministro da Casa Civil, não pretendia conquistar foro especial para que seu inquérito fosse julgado no Supremo Tribunal Federal, mas sim fazer conciliação com políticos e partidos para reverter a crise política.

Pelo menos 22 telefonemas foram gravados de forma ilegal pela Polícia Federal, incluindo conversas entre Lula e o então vice-presidente Michel Temer. Ontem, durante sabatina no programa “Roda Viva”, da TV Cultura, o ex-presidente Temer, principal beneficiado com a queda de Dilma, reiterou que Lula queria evitar a queda de Dilma, quando tentou assumir a Casa Civil e, ainda, chamou a deposição da ex-presidente petista de “golpe”.

“Temer reitera não ter dúvida de que o prestígio de Lula perante o Legislativo teria evitado a queda de Dilma. Uma operação de combate à corrupção não pode interferir assim na História de um país. O Judiciário e o Ministério Público Federal não poderiam ter realizado uma trama política contra o então governo”, escreve Kennedy Alencar nesta terça-feira (17), em seu blog no iG.

O articulista ressalta que as revelações feitas ontem por Temer “mudam a narrativa histórica sobre o impeachment da antecessora, Dilma Rousseff”.

Leia também:  "Moro tem uma formação intelectual fascista", diz Renan Calheiros

Às 18h32 do dia 16 de março de 2016, a Globo News noticiava que a então presidente Dilma fora grampeada e uma cópia da transcrição do diálogo que ela tivera com Lula naquela tarde foi lida ao vivo. Em pouco tempo, em Brasília, vários manifestantes se aglomeraram em frente ao Palácio do Planalto para protestar contra o governo. Paralela à revolta popular, deputados da oposição pediam a renúncia de Dilma no plenário da Câmara, levando a um encerramento tumultuado da sessão naquele dia.

O diálogo grampeado foi divulgado ilegalmente pela Lava Jato, como mostram as mensagens entregues por uma fonte anônima ao Intercept comprovando, portanto, a ação política do Ministério Público e do Judiciário, representado nesse caso pelo então juiz Sergio Moro, outro beneficiado com a queda de Dilma e desprestígio político do PT e Lula, se tornando Ministro da Justiça no governo Jair Bolsonaro (PSL).

“A avaliação de Temer no “Roda Viva” tem credibilidade porque ele foi o principal beneficiário da queda de Dilma e conversou com Lula, tendo sido grampeado pela Lava Jato, que escondeu deliberadamente a gravação que enfraquecia a tese de que o ex-presidente queria ser ministro para obter foro no STF e fugir de Curitiba”, pondera Kennedy.

“Temer restabeleceu a verdade histórica. Fica claro que houve, sim, golpe parlamentar, expressão que sempre foi usada neste blog e nos comentários na rádio CBN em relação ao impedimento”, reforça o comentarista completando que torna-se cada vez mais evidente “o papel de Moro e da Lava Jato na derrubada de Dilma, o que foi uma interferência política ilegal do Judiciário no Executivo”. “Numa democracia plena, isso não poderia ter ocorrido”, prossegue.

Leia também:  Recado do Nassif: Aras tira a Lava Jato dos tuiteiros e coloca em mãos profissionais

“O relato de Temer ao programa apresentado pela jornalista Daniela Lima tem forte peso histórico. Ele deixa claro que o motivo para Lula ser indicado para a Casa Civil destrói o argumento da Lava Jato, de Moro e também do STF (Supremo Tribunal Federal) para impedir que o petista assumisse o posto”, conclui.

O mesmo pacote de conversas divulgados dia 8 de setembro pela Folha em parceria com o Intercept mostra que os procuradores da Lava Jato de Curitiba demonstraram preocupação com as consequências que sobrevieram sobre o então juiz Sérgio Moro, responsável por permitir a divulgação do pacote de grampos de conversas entre Lula e pessoas próximas.

A hipótese de que Lula aceitava a nomeação como ministro para travar as investigações contra ele foi usada pelo então juiz da Lava Jato para justificar o ato de tornar público o diálogo entre Dilma e o petista.

“A Lava Jato manipulou a opinião pública e a imprensa no episódio do grampo de Lula-Dilma. Mudou a História do Brasil, abrindo caminho para um desarranjo institucional que jogou o país nas mãos de Jair Bolsonaro. Moro e cia têm essa responsabilidade histórica que nunca será apagada”, ressalta Kennedy.

Na coluna de hoje ele destaca ainda outra revelação: a de que os procuradores Deltan Dallagnol e Thaméa Danelon ofereceram ajudar o advogado Modesto Carvalhosa no pedido de impeachment do ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes.

“Imagine um cidadão ser processado e o Ministério Público se dispor a redigir peças de um advogado de acusação. Mais: Dallagnol diz no Telegram que ninguém pode saber sobre o que ele e Danelon planejavam fazer. Ora, esconderam porque era ilegal o que discutiam no aplicativo. Trataram de processo penal no Telegram, fora dos autos, para tramar contra um ministro do Supremo”.

Leia também:  PEC da Reforma Sindical é devolvida por falta de assinaturas

*Clique aqui para ler a coluna de Kennedy Alencar na íntegra.

O GGN prepara uma série de vídeos que explica a influência dos EUA na Lava Jato. Quer apoiar o projeto? Clique aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

10 comentários

  1. Quem seriam então, os donos do golpe?
    …depois do que disse o Temer, isso começa a cair no colo dos militares, que assim como o judiciário, foram seduzidos pelos cantos de seria da elite brasileira…
    O PT é corrupto e atrasa o Brasil…
    Alguém deve ter soprado isso nos ouvidos deles…
    Seremos mais fortes, cresceremos mais rápido e isso tudo ao lado dos americanos, longe destes comunistas, dos brics, do foro de são paulo e da Venezuela…
    O general tuiteiro apostou todas as fichas no Moro…
    Agora temos um problema Houston!
    A maioria da elite golpista quer por que quer a conclusão do golpe, querem a dinheirama prometida!
    Querem pegar seu pote de ouro no fim do arco-iris!
    Danem-se os milhões que ficarão sem emprego, das empresas que quebrarem!
    Se o salário minimo não aumentar – fodam-se!
    Qualquer que seja a saída agora estamos mais próximos da Venezuela do que da Europa ou EUA!
    Com algumas diferenças…
    Se restabelecer a democracia o sofrimento dos mais pobres será menor…
    E o risco de perder ativos soberanos também será menor!

  2. Por mais importante que seja um golpista admitir que foi golpe é preciso considerar que o presidente golpista não admitiu que foi golpe. Ele simplesmente usou a palavra golpe.
    Na verdade, o presidente golpista ao utilizar essa expressão, assim como referir -se ao presidente Lula como alguém que conseguiria estancar a sangria provocada pelos golpistas no governo da presidenta Dilma, simplesmente enviou um recado àqueles que participaram da trama golpista e hoje o querem preso,ou seja, o golpista mor,autor de cartinhas para desestabilizar o governo, envia um sinal claro de que pode não só assumir que foi golpe como também informar cada passo dado nesse sentido e seus participantes.
    Não me surpreenderia nada se seus processos fossem rapidamente arquivados.

  3. Embora seja louvável a admissão do golpe de estado contra a presidenta Dilma Rousseff, Temer abusa da hipocrisia ao negar a sua participação no golpe.
    Todos sabemos que Temer montou verdadeiro QG para receber deputados, oferecendo cargos e outras “cositas más” para que votassem favoravelmente ao impeachment.
    Antes da votação do impeachment na Câmara, o futuro governo já estava totalmente loteado entre parlamentares e partidos políticos.
    Simplesmente impossível fazê-lo sem a participação, ou sem o protagonismo de Temer.
    Mas valeu a admissão, o registro e o reconhecimento histórico do golpe.
    Janaína também já admitiu.
    Falta FHC reconhecer e pedir perdão.

  4. Grande novidade Temer!
    Por que na ocasião nao tomou frente e denunciou este conluio? Ou, no mínimo, porque não recusou continuar sentado no planalto como um politico honrado faria ante tamanho crime contra o voto do povo?
    E, claro, após esta declaração fique preparado para investidas da turma remanescente do conluio. Farão de tudo para novo passeio na cadeia, sob holofotes exclusivos da globo.

  5. E quem com uma liminar proibiu Lula de ser nomeado????

    E agora, tem essa lenga lenga de garantista…..que não sabia dos audios?? E precisava?

    Os audios eram provas ilegais…..não deveriam ser conhecidas por juiz nenhum……..processos inteiros foram arquivados por causa de provas ilegais…..os audios eram reconhecidamente ilegais, no entanto, passaram por cima desse detalhe e afiançaram a gigantesca ilegalidade da trolha a jato e impulsionando o golpe…….

    Não tem santo nesse estoria…não há nenhum movimento safado que vá apagar a mancha na vida dessas pessoas…………

    10
  6. So faltou o articulista completar que o ministro do supremo que seria atingido pelos procuradores é o mesmo que impediu indevidamente por ingerência em outro poder a posse de Lula, logo golpista também.

  7. Tenho uma pergunta, a declaração da pomba gira Janaína de que as pedaladas não foram o motivo para o golpe não pede um processo contra ela, parceiros e PSDB por confessa falsa imputação de crime?

  8. Gilmar Mendes, Janaína Paschoal, Fernando Holiday e agora Michel Temer… a turma que pretende esvaziar a indignação e a reação contra o golpe está atacando forte, hein? É só observar o tom que os golpistas adotam nessas falas. Não é assunção de culpa, auto-crítica e menos ainda tentativa de reparo. Tem sido um discurso frequente, esse…

    “Foi golpe, mesmo, foi ilegal, imoral e indecente. Mas está completo e você vai fazer o que? Aceita que dói menos.”

    Só que o golpe não foi; está sendo. E reação nenhuma será interrompida. Arrisco-me a dizer que os golpistas não terão paz enquanto o golpe estiver em curso. Talvez pretendam que não haja oposição, o que é absolutamente impossível dado o que estão, os golpistas, fazendo contra o estado brasileiro.

  9. Não, não é pequena a declaração de Temer.
    É espetacular! Veja que de forma sonsa, quase a palavra sai imperceptível, mais saiu.
    E é o momento político mais importante depois dos vazamentos das conversas
    ao intercept.
    A declaração de TEMER é uma bomba! Da qual a imprensa, golpista, criminosa,
    faz de conta que não ouviu. É para rir sim, eles fazem de conta que Temer não disse
    NADA! E é o fato político dos mais importantes.

    NOVES FORA QUE TEMER ESTÁ SIM, DENTRO DO GOLPE, QUERIA SIM, ENTRAR NA PRESIDÊNCIA
    POR VAIDADE SIM, DE DEIXAR SEU NOME NA HISTÓRIA.

    Mas admitir o golpe foi tanto maior, quanto ter participado do golpe. Pois agora haverá um
    fluído melhor no debate, especialmente do lado da esquerda, que energizou-a sem ainda
    ela perceber.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome