Estadão desmascara manobra de Barbosa no julgamento de formação de quadrilha

Do GGN – Segundo o repórter Felipe Recondo, setorista do Estadão no STF, na época Joaquim Barbosa criticou o relatório do Procurador Geral da República Roberto Gurgel, considerando-o falho e inconsistente, e sem provas contra José Dirceu. E disse temer que, se a pena por formação de quadrilha fosse pequena, ocorreria a prescrição do crime.

Essa foi a razão de não ter desmentido Luís Roberto Barroso, quando este denunciou a manobra, limitando-se a ofendê-lo.

Análise: As operações aritméticas do ministro Joaquim Barbosa

Por Felipe Recondo

Em meio às falas sobrepostas na sessão de quarta do STF, o ministro Joaquim Barbosa soltou uma frase que guardava consigo há pelos menos três anos: “Foi para isso mesmo, ora!”

 

28.02.2014 | 17:36

Barbosa admitiu que penas por formação de quadrilha foram calculadas para evitar prescrição

Dida Sampaio/Estadão
Felipe Recondo – O Estado de S. Paulo

Barbosa acabava de admitir abertamente o que o ministro Luís Roberto Barroso dizia com certos pudores. A pena para os condenados pelo crime de formação de quadrilha no julgamento do mensalão foi calculada, por ele, Barbosa, para evitar a prescrição. Por tabela, disse Barroso, o artifício matemático fez com que réus que cumpririam pena em regime semiaberto passassem para o regime fechado.

A assertiva de Barroso não era uma abstração ou um discurso meramente político. A mesma convicção teve, para citar apenas um, o ministro Marco Aurélio Mello. Em seu voto, ele reconheceu a existência de uma quadrilha, mas considerou que as penas eram desproporcionais. E votou para reduzi-las a patamares que levariam, ao fim e ao cabo, à prescrição. Algo que Barbosa há muito temia, como se verá a seguir.

Foi essa suposição de Barroso que principiou a saraivada de acusações e insinuações do presidente do STF contra os demais ministros. Eram 17h33, quando Barroso apenas repetiu o que os advogados falavam desde 2012 e que outros ministros falavam em caráter reservado.

Joaquim Barbosa acompanhava a sessão de pé, reticente ao voto de Barroso, mas ainda calmo. Ao ouvir a ilação, sentou-se de forma apressada e puxou para si os microfones que ficam à sua frente. Parecia que dali viria um desmentido categórico, afinal a acusação que lhe era feita foi grave.

Mas Joaquim Barbosa não repeliu a acusação. Se o fizesse, de fato, estaria faltando com a sua verdade, não estaria de acordo com a sua consciência. Três anos antes, em março de 2011, Joaquim Barbosa estava de pé em seu gabinete. Não se sentava por conta do problema que ainda supunha atacar suas costas. Foi saber depois, que suas dores tinham origem no quadril.

A porta mal abrira e ele iniciava um desabafo. Dizia estar muito preocupado com o julgamento do mensalão. A instrução criminal, com depoimentos e coleta de provas e perícias, tinha acabado. E, disse o ministro, não havia provas contra o principal dos envolvidos, o ministro José Dirceu. O então procurador-geral da República, Roberto Gurgel, fizera um trabalho deficiente, nas palavras do ministro.

Piorava a situação a passagem do tempo. Disse então o ministro: em setembro daquele ano, o crime de formação de quadrilha estaria prescrito. Afinal, transcorreram quatro anos desde o recebimento da denúncia contra o mensalão, em 2007. Barbosa levava em conta, ao dizer isso, que a pena de quadrilha não passaria de dois anos. Com a pena nesse patamar, a prescrição estaria dada. Traçou, naquele dia em seu gabinete, um cenário catastrófico.

O jornal O Estado de S. Paulo publicou, no dia 26 de março de 2011, uma matéria que expunha as preocupações que vinham de dentro do Supremo. O título era: “Prescrição do crime de formação de quadrilha esvazia processo do mensalão”.

Dias depois, o assunto provocava debates na televisão. Novamente, Joaquim Barbosa, de pé em seu gabinete, pergunta de onde saiu aquela informação. A pergunta era surpreendente. Afinal, a informação tinha saído de sua boca. Ele então questiona com certa ironia: “E se eu der (como pena) 2 anos e 1 semana?”.

Barroso não sabia dessa conversa ao atribuir ao tribunal uma manobra para punir José Dirceu e companhia e manter vivo um dos símbolos do escândalo: a quadrilha montada no centro do governo Lula para a compra de apoio político no Congresso Nacional. Barbosa, por sua vez, nunca admitira o que falava em reserva. Na quarta-feira, para a crítica de muitos, falou com a sinceridade que lhe é peculiar. Sim, ele calculara as penas para evitar a prescrição. “Ora!”

Felipe Recondo é repórter do jornal O Estado de S. Paulo em Brasília.

118 comentários

  1. Quando um juiz fala fora dos

    Quando um juiz fala fora dos autos, quando um juiz encobre provas, quando um juiz desrespeita a opinião divergente dos seus pares, quando um juiz faz política dentro da toga, quando um juiz age com o fígado, quando um juiz faz discurso como se fora político, quando um juiz compra apartamento em Miami usando o endereço do seu apartamento funcional em desrespeito flagrante à Lei, quando um juiz assaca acusações a outros poderes da República sem provas, quando um juiz viaja à Europa com benefícios pagos pelo contribuinte, quando um juiz se torna um algoz, quando um juiz perde a serenidade que lhe impõe o cargo ele coloca em risco a credibilidade da justiça, do tribunal onde exerce suas funções públicas e mais grave ainda, coloca em risco a estabilidade do país e por isso não merece ser mais tratado como juiz, mas como um desvairado e desequilibrado que merece o impeachment, vale dizer, ser removido de suas funções.

    • Parece que você não está bem

      Parece que você não está bem informado, não existe verdade em nada que vc escreveu, sinceramente, perdeu uma grande oportunidade de ficar calado.

       

      • Você é que parece bem

        Você é que parece bem desinformado. É tudo verdade confirmada. Não aparece na imprensa porque o o Barbosa é inimigo do inimigo. Basta ele não agir de acordo que rapidamente tudo vira escandalo.

    • So nos resta saber qual a

      So nos resta saber qual a razao do PIG desembarcar de Barbosa tao rapidamente, porque a fonte dessa reportagem foram dados que o estadao ja tinha ha dois anos atraz…

    • Estão tentando se livrar do ridículo

      Estão tentandoi se livrar do ridículo papel a que se prestaram.

      A população já percebeu a muito tempo que e pig faz manipulação. Por isso param de comprar esses lixos, que estão indo todos pra falância. Aliás, se não tivesse sido a ajudinha de R$2 bilhões do PSDB a globo já teria ido pras cucuias.

      Da mesma forma os governadores tucanos comprando 50.000 assinaturas de veja sem licitação (crime) pra salvar a abril do buraco. Alckmin e serra violam a Lei e fica por isso mesmo. Os cidadão percebem os dois pésos e duas medidas da pig e da “in”justiça do Brasil.

      Impedimento já pro Barbosa e pro Gilmar!

      Senadores, acordem! Façam valer os votos que lhes demos. Vocês foram eleitos, esses déspotas do stf não.

       

      Constituição: “O Poder emana DO POVO e em NOME DELE será exercido!   Não é da mídia e da ewlite que o poder emana, apesar deles sempre tentarem subverter a Constituição.

  2. Olá  Nassif
    Não estou entendo

    Olá  Nassif

    Não estou entendo nada do que está realmente acontecendo. Já tinham sido julgados e agora outro julgamento e sobre quadrilha. Se eram todos do mesmo partido com os mesmos objetivos era lógico que era quadrllha. Me define o que é quadrilha. Novamente, não estou entendo nada.

     

    • Não. A condenação era dada como certa. O processo já existia

      Depois de devidamente instruído o processo, normal que o juiz já tenha uma visão geral de quem vai condenar etc.

      O aumento supostamente desproporcional da pena por quadrilha ou bando teria a finalidade de evitar a prescrição e garantir o cumprimento das penas em regime inicialmente fechado, segundo disse o repórter que assina a matéria (Ricardo Recondo). Parece que esse foi também o entendimento do ministro Barroso, ao menos quanto à finalidade de evitar a prescrição.

      A prescrição do crime de quadrilha ou bando é de oito anos, fora das hipóteses do art. 110 do Código Penal (antes do trânsito em julgado da sentença condenatória). Eu só queria entender como eles calcularam a prescrição pela pena aplicada (art. 110), se a publicação do acórdão interrompe o prazo da prescrição, isto é, passa a contar do zero, isso quando já há interrupção do prazo da prescrição a partir do despacho que recebe a denúncia.

      Do recebimento da denúncia até a publicação do acórdão, acredito que não passaram oito anos. Se houve a publicação do acórdão, interrompeu o prazo. E aí passaria a correr o prazo do zero depois dessa data, levando em conta a prescrição pela pena aplicada, na hipótese de se considerar que houve trânsito em julgado para a acusação, que não interpôs recurso (ideia com a qual eu não concordo, pois pode haver, após o julgamento do recurso da defesa, no mínimo, oposição de embargos de declaração por parte da acusação, tipo de recurso, não havendo que se falar em sentença irrecorrível ou transitada em julgado).

      Se não houve prescrição antes da publicação do acórdão, certamente não haveria depois, mesmo que fosse aplicada a pena mínima de um ano para quadrilha ou bando, pois precisaria transcorrer quatro anos após a data da publicação da sentença ou acórdão (inciso V do art. 109 interpretado com o inciso I do art. 112 e com o inciso IV do art. 117, todos do Código Penal), tudo isso se considerarmos que houve o trânsito em julgado da sentença para a acusação quando não interpôs recurso no primeiro momento.

      A alegação de que foi para evitar a prescrição me parece um tanto errada. Sobra apenas a de garantir o cumprimento em regime fechado.

       

      • Prescrição pela pena in concreto

        Argolo.

        Após o acordão, se a pena fosse inferior a dois anos, a prescrição passaria a sercalculada pela pena efetivamente aplicada, isso em  todo o período, ou seja, da denúncia até o acordão se passaram masi de quatro anos, portanto, estaria prescrita a pena..

        O prazo de oito anos e para a pena in abstrato. 

  3. “A porta mal abrira e ele

    “A porta mal abrira e ele iniciava um desabafo. Dizia estar muito preocupado com o julgamento do mensalão. A instrução criminal, com depoimentos e coleta de provas e perícias, tinha acabado. E, disse o ministro, não havia provas contra o principal dos envolvidos, o ministro José Dirceu. O então procurador-geral da República, Roberto Gurgel, fizera um trabalho deficiente, nas palavras do ministro”:

    VOCES nao estao enxergando a fonte disso AGORA???????

     

    Foi o proprio reporter, que ja sabia dessa historia ha dois anos atraz E AGORA decidiu contar la pra voces pra nao afundar o estadao com o supremo.

    • Pois então…. por isso que o

      Pois então…. por isso que o Sinistro JB mandou o repórter “chafurdar na lama”, que no caso é o próprio Gabinete dele, onde o repórter estava acostumado a frequentar.

      Agora que o PIG  iniciou a Operação Descarte(s), ele traz à tona o que todo mundo estava careca de saber…

  4. Algo aconteceu.

    Como dizem os “hermanos” quando sentem que algo inexplicável aconteceu e as causas são asquerosas: “Te digo qué han pasado cosas”! A ficha não caiu só agora para o estadão, pois este foi um dos órgãos que tentaram o linchamento para fins políticos (era véspera de eleição). Mudança de atitude ? Também duvido. A única explicação que encontro no momento é que estão com medo de se associarem a uma barriga, a uma fraude, sei lá. Devem saber que vem revelações de linchamento, arbitrariedade, talvez. Mesmo o jornal da globo estava meio broxa ontem ..

  5. Para quem não lembra, o

    Para quem não lembra, o jornalista Felipe Racondo do Estadão foi aquele que foi mandado por JB “chafurdar no lixo”.

    Parece então que o jornalista aceitou a ordem.

    JB agiu como promotor. Nunca foi um Juíz.

    O interesse dele era condenar os réus e usou de todas as artimanhas legais ou não para fazê-lo.

    Como foi desmascarado pelo Ministro Barroso cometeu outra grave infração:

  6. Joaquim Barbosa: O cerco se fecha.

    Cientista político diz na CBN que Joaquim Barbosa cometeu crime

     

    Cientista político alerta: JB atacou Dilma e não podia fazer isso 
    Miguel do Rosário 

     

    Essa é entrevista é uma bomba.  O fato de estar publicada na CBN, que pertence às organizações Globo, mostra que não está sendo possível conter a avalanche de críticas ao JB. Ela está vindo com muita força, de todos os lados, de pessoas esclarecidas e preocupadas com o direito, com a justiça e, sobretudo, com a democracia, conceitos agredidos violentamente pelo sociopata político Joaquim Barbosa. O cientista político Claudio Couto, da Escola de Administração Pública da FGV de São Paulo, acusou o presidente do STF, Joaquim Barbosa, de fazer acusações de cunho político e partidário contra seus colegas e contra a presidente da República. “Ele não podia fazer isso, pois um juiz deve ser neutro”, diz Couto. Ele aborda ainda a possibilidade do STF reverter decisões sobre o mensalão, mesmo que isso contrarie a “opinião pública”. Couto lembra que o STF deveria ser uma instituição contra-majoritária, ou seja, mais preocupada com os direitos individuais do que com a opinião da maioria, até porque é uma opinião contingente e volátil, que hoje pode estar de um lado, e amanhã, de outro. Com a expressão de “alerta ao Brasil”, Joaquim Barbosa fez praticamente um chamamento ao golpe foi o que entendi após ouvir essa entrevista de Couto. E é isso mesmo o que eu acho que Barbosa fez: chamou um golpe. Ou preparou os fundamentos de seu discurso eleitoral, cometendo um gravíssimo crime político, em dose dupla: juiz não pode exercer atividade político-partidária e não se pode usar a TV Justiça para se fazer propaganda eleitoral. A grande pergunta: qual será o partido que abrigará este louco incensado pela mídia?    http://cbn.globoradio.globo.com/Player/player.htm?audio=2014%2Fnoticias%2Fclaudiocouto_140227&OAS_sitepage=cbn%2Fcomentarios%2F#.UxEsFtaczC8

     

  7. Quadrilha é ele que está

    Quadrilha é ele que está montando (ou já montou) com os 2 da VEP do DF que, ainda por cima, querem envolver o governador na história. Há muito tempo já se falava na urgência de se colocar um freio no jb. Foi duramente criticado por nós, pessoas comuns, juristas de renome e,  nem de longe,  vinculados ou simpatizantes do PT,  artistas, intelectuais, organizações de classe, enfim, nada o deteve e ele foi se sentindo o poderoso. Não atentou para uma coisa muito simples: quem se atrela à mídia velha, se acaba. Isso aconteceu com o desfile das escolas de samba no Rio (agora é meramente um espetáculo de exposição de celebridades, correndo pela avenida), com o futebol, com a oposição e, agora com o stf, que até pode se recuperar depois do voto do Barroso e do Teori. Mas, o jb… já vai ser abandonado.

    E penso que a queda da “quadrilha” + a publicização do inquérito que era segredo de justiça + o que ainda vem por aí podem mudar completamente os rumos da AP 470 e selar o destino do jb – ostracismo total, para sempre. A não ser que vá ser estudo de caso de psiquiatria.  

  8. HISTÓRIA

    Do início da minha idade adulta até os dias atuais tem observado que a história real nunca será conhecida pelos morttais comuns. O “suposto mensalão” persistirá com estas aspas até o fim dos tempos , do mesmo modo que há a possibilidade delas(as aspas) serem eliminadas juntamente com o vocábulo “suposto”.Quanto aos fatos? Ora os fatos!

  9. A pergunta que não quer

    A pergunta que não quer calar: o que faz o Senado?

    A empresa de fachada com sede no apartamento funcional, o cerceamento de defesa dos réus com o Inq 2474, a mentira acerca do conteúdo do mesmo no plenário do STF, os estupros aos princípios mais comezinhos do direito penal e do processo penal na relatoria da AP470, as acusações graves contra colegas de tribunal e contra a presidenta da República sem qualquer prova e agora esta confissão despudorada de inversão no critério trifásico de aplicação da pena, não são todas essas causas suficientes para o impeachment desse inquisidor? Onde ficam, no mínimo, o notório saber jurídico e a reputação ilibada? Vossas Excelências farão vista grossa, assim como vem ocorrendo com as gravíssimas acusações contra Gilmar Mendes?

    Começo a achar uma boa ideia um parlamento unicameral, a poupar-nos vultosos recursos anualmente, haja vista que o plenário côncavo caminha rumo à irrelevância, se é que lá ainda não chegou.

     

    • Pergunta que não quer calar

      Eu não faria nada, pois ele sairia como mártir. Ai, sim, poderia se candidatar a algo, logo.

      Ele está pra se aposentar. Deixaria ele no ostracismo mesmo, não criaria holofotes.

  10. Batman

    Sinceramente, sinto pena de JB. Ele criou para si mesmo uma personagem e acreditou nisso. Acreditou mais ainda ainda quando essa personagem servia aos interesses de certa classe e interesses políticos.Virou o Batman. O menino pobre que salvou o Brasil. O tempo passou. O tempo não pára.

    JB não serve mais. Já cumpriu o papel. Parece esses conjuntos musicais criados pela mídia e a indústria do disco para ganhar dinheiro por um certo e proveitoso tempo. Mas a obsolescência já está programada. A personagem não interessa mais. JB ainda não se deu conta disso. É questão de tempo, outra vez o tempo. 

    Será trágico quando JB, o homem real, perceber que as senhoras que o aplaudiam nos restaurantes do Rio ou Brasília,  simplesmente o ignorararão, mudarão de calçada, quando o virem, pelo ostracismo a que será relegado.

    imaginem a depressão, totalmente justificada de JB, quando esses que hoje o incensam como herói , acharem que ele, em vez do elevador social,  deveria pegar o elevador de serviço.

     

     

  11. Saiu no Estadão?

    E daí? Para, Nassif!!!

    A votação dos embargos infringentes não purgam o STF de suas mazelas.

    Agora, quer purgar quem ficou batendo na tecla de mensalão? São questões simples: existiu ou não; quem apoiou ou não o objeto de discussão. O resto é debate sobre time de futebol domingo à noite.

    Estamos falando de presos sem provas. É nó górdio, Nassif. Presos sem provas de crimes devem ficar livres. E falamos de manobras descaradas para manter pessoas em regime fechado.

    O que devo considerar, por exemplo, de um ministro que declara não haver prova para o crime e para condenação, mas o fará pois a literatura permite?

    Claro que permite, é a última instância. Não é teoria de fato, mas Carl Schmitt.

    Está feio para quem apoiou as teses do Barbosa (não o Rui, mas o outro), quem se deixou levar pela truculência. Eles aceitaram uma ilegalidade, assinaram embaixo. Esquecem que o sistema jurídico que ME SUBMETE é o mesmo que submete os “mesaleiros” e pode me prejudicar e ninguém vai falar nada.

    Estou certo, errado, maluco ou um misto de tudo isso?

  12. O efeito da patética caricatura barbosiana

    A SEMENTE DO ÓDIO FASCISTA – Joaquim Barbosa é hoje a voz do fascismo golpista no Brasil. 

    A partir das infelizes declarações deste disseminador do ódio é que reverberam teses fascistas nas redes sociais e também o ódio visceral contra o Partido dos Trabalhadores. 

    Transcrevo de forma literal, logo abaixo, a fala de um apresentador do SBT do Paraná (o link do vídeo está no final do texto). Será que o Ministério Público serve para alguma coisa que não seja perseguir lideranças populares? Segue a transcrição:

    “(…) Em parte, Joaquim Barbosa está errado, é pior do que ele pensa. A revolução petista deu seu primeiro passo há décadas, quando tomaram conta dos sindicatos e das universidades. 

    É por isso que hoje eles tem poder e quadros para indicar e aparelhar o Supremo Tribunal Federal. A absolvição dos acusados de formação de quadrilha é na verdade o primeiro resultado escancarado da dominação petista do judiciário. 

    Agora, Joaquim Barbosa acerta quando percebe que eles não vão parar. A corte, cada vez mais dominada pelo PT, tende a interpretar as leis conforme os interesses dos bolcheviques do ABC. Para o partido, é para isto que os ministros são nomeados. 

    Aí, cabe novamente a pergunta: “Quem pode parar o PT?” Quem pode dizer: “Fiquem aí, vocês não podem.” 

    Parece que só o despertar da consciência do povo pode parar o PT. As leis e os tribunais não poderão mais. 

    É o presidente da suprema corte quem diz.”

    http://tijolaco.com.br/blog/?p=14701

  13. Virgem Maria ! e….. “Cai o

    Virgem Maria ! e….. “Cai o Rei de espadas, cai o rei de ouros, cai o rei de páus, cai, não fica nada”, né Ivan Lins ? Se o primeiro cai, devem cair todos os demais, como nas cartas. Afinal, acredito que essa tramóia não saiu de uma cabecinha só, não, MAS DE UMA QUADRILHA., onde os PGRs tiveram papel mt importante,  o PUETA, o GILMAR e nossa gloriosa e incansável MíDIA.

    • Onde estará de fato a quadrilha?

      Será que imiscuída no MP? No STF? Nos dois?

      Há indícios…

      E também que pode estar havendo quadrilhas acima da lei.

      Ou melhor: montadas na lei.

      Embora neste “infingente passeio” … tenham caído do cavalo!

    • Pois é, a quadrilha de alguns

      Pois é, a quadrilha de alguns ministros, PGR e imprensa se associaram com o intuito criminoso de dar um nó na lei, manobrar para criminosamente inventar crime para os petistas. Depois o Joaquim ainda tem coragem de dizer que a Presidente é que manobra.

      • Malu, esse Joaquim nem sabe

        Malu, esse Joaquim nem sabe mais o que fala, está “perdidinho da Silva”, “enfiando os pés pelas mãos,” “Pisando na Jaca”. Só o amigo Luciano Hortêncio p/ arrumar mais frases de caminhão, etc, para dizer do momento atual do Menino que veio de Minas p/ mudar o Brasil. Pena que a” encomenda  está saindo pior que o soneto”. e os membros da QUADRILHA “tirando o seu da reta”. rarararara

  14. O melhor do pior dos “infringentes”

    Os melhores piores momentos de Brabosa:

    1) “… Foi pra isso mesmo, ora! ,,,”

    Ao confessar que inflou a pena, que a lei determina que seja justa, e não inflada, seja porque motivo se queira, como a também previsão legal de prescrição. Leis das quais o sinistro é um guardião mór. Impeachment nele!

    2) “… quadrilha ou bando…”

    O sinistro ,digo ministro JB ao referir-se aos réus por várias vezes, em recurso processual (portanto ainda não definitivamente julgados e ainda detentores da presunção de inocência, como quadrilha ou bando, por várias vezes. Deu-se mal, pois agora não poderá referí-los, definitivamente, como tal, sob pena de calúnia, injúria ou difamação.

    3) O diálogo:

    LB:”… já o elogiei …”

    JB: “… mas eu não preciso de seus elogios…gâ, gâ …”

    LB: ” … e eu estou manifestando minha opinião! …e para mal dos pecados (?) de V.Excelência, MEU VOTO VALE TANTO QUANTO O DE V.Excelência…”

    Sabendo-se na frente de câmeras de alta audiência, nem vou discutir os discursos políticos e insinuações venais de JB aos colegas, onde não é seu papel julgá-los ou avaliá-los, mas discutir apenas seus argumentos.

    Fez o STF de palanque e de Central Globo de Produções.

    É instigante e extenuante não conseguir entender porque JB e GM, avacalhadores públicos e notórios do decoro da função de ministros e do STF não sofrem processo de impeachment, com fartos motivos para tal.

    Sem muito barulho. Um sereno, duplo e fundamentado impeachment.

    Pela voz de representantes eleitos pelo povo.

    Com a serenidade exemplar de um Luiz Barroso.

     

  15. Esse texto todo é pra dizer

    Esse texto todo é pra dizer que são vagabundos, mas não deveriam ser punidos por uma questão técnica??

    Ótimo, não conta a formação de quadrilha (que existiu), mas ainda assim são vagabundos tanto quanto ou pior do que os que formam quadrilhas pra assaltar. Pois estes deveriam em tese servir a si próprios, já os queridos condenados em questão estavam lá única e exclusivamente para perseguir o interesse público. Antes que algum lunático pelo PT endoide, aconteceria a mesma coisa fosse o PSDB, PMDB, PP, enfim, qualquer um partido desse país falido ética e moralmente.

    • Cada um que aparece por

      Cada um que aparece por aqui… A situação apontada pelos Ministros Barroso e Zavascki é sim técnica e desmonta, claramente, o argumento de que o processo seguiu a linha “técnica”. É preocupante, pois todo o episódio evidenciou a caráter político dado por JB ao processo, passando á margem da lei. Se, neste caso, a condução política fica evidenciada, quem garante que no resto do processo não tivemos o mesmo andamento? Agora, há evidências concretas de que a coisa não foi bem conduzida. Toda a AP 470 está sob suspeita, isso está claro.

  16. Trágico

    É trágico que o primeiro negro a ocupar um cargo no STF faça o papel de Stephen da Big House do Django livre. Tudo isso com o apoio glorioso da Rede Globo de Televisão incentivando todos os desmandos, incensando o insensato, glorificando o transgressor do código de ética da magistratura. Não importa que inocentes sejam condenados, que a constituição seja atropelada, o que conta é que a cabeça dos líderes petistas seja decapitada e que os nossos amigos retornem ao poder. Qual o subproduto disso? Uma intolerância cada vez maior da classe média burra, alienada e ignorante; um ódio aos políticos e um desprezo pela política; o conformismo de alguns dizendo que no fundo são todos igualmente ladrões. Eis aqui, meus caros, a grande contribuição dos MARINHOS para a democracia no Brasil.

    • Até nisso Barbosa é uma fraude…

      “É trágico que o primeiro negro a ocupar um cargo no STF…”

      O problema é que até nisso Barbosa é uma fraude. Isso porque dois outros negros já haviam, antes dele, sido ministros do STF: Hermenegildo de Barros e Pedro Lessa.

      Para fazê-lo o primeiro ministro negro do STF foi necessário uma subtração de dois nomes. Ou seja, mais uma conta de chegar na vida do Catão licenciado dos bares de Brasília.

      •  
        Antes                      

         

        Antes                                                                                   Depois, com TÔ                  

         

                                                                                              

               

  17. Uma BOMBA

    Que a punição por formação de quadrilha foi uma conta de chegar não há dúvida pela resposta de Barbosa: “Foi para isso mesmo, ora!” De qualquer forma o artigo é uma BOMBA, ainda mais que publicado pelo insuspeito Estadão.

    Também é essencial a leitura do texto, Cai o castelo de cartas do ministro Barbosa, de Breno Altman, em http://www.brasil247.com/portanto/247/poder/131748/Cai-o-castelo-de-cartas-do-ministro-Barbosa.htm. O autor mostra como fica extremamente problemático todas as demais penas da AP 470.

    E também sugiro que não deixem de ler a entrevista de Claudio Couto em http://cbn.globoradio.globo.com/Player/player.htm?audio=2014%2Fnoticias%2Fclaudiocouto_140227bilidadeOAS_sitepage=cbn%2Fcomentarios%2Fdade.UxEsFtaczC8 , conforme sugerido por Marco St.

    O conjunto desses artigos mais a entrevista a meu ver é fortíssima cacetada na AP 470, se é que não a põe por terrra. Não por acaso se está falando em revisão da ação.

  18. Barroso foi bem didático

    Como um desequilibrado desse pode chegar a presidir a Suprema Corte de um país que é uma das maiores economias do mundo,  um partido que tenha um mínimo de senso de democracia e respeito ao outro e ao contraditório, não pode dar guarida a esse sujeito e corta o nosso coração fazer tais críticas a um afrodescendente, por outro lado tconstatamos que ser escravista não é uma questão de cor de pele e sim de pensamento, isso é fato, é o que estamos vendo.

    [video:http://www.youtube.com/watch?v=swxMWnpG_pc%5D

  19. O estadão desmascara?

    Quiê qué isso pessoal do GGN?

    O estadão desmascara? Esse pig não merece esse crédito! Por favor, corrijam o título da matéria.

    TODO MUNDO VIU E OUVIU  o Joaquim Silvério das Reis, digo, Joaquim Barbosa, confessar que fez conta de chegar, ou seja, queo julgamento foi espetáculo midiático.

    JB fez o que interessava à elite e à mídia suja e entreguista.

    SENADORES, por favor, façam seu dever e salvem a Consttuição, Salvem o Brasil do facismo. Já passou da ora de darem impedimento nesse JB e no Gilmar.

  20. O salvador da Pátria?

    Pessoal, já peceberam que a pig sempre seleciona as fotos do JB com o brasão da república sobre sua cabeça, como se fosse uma auréola?

    De salvadores da Pátria, falsos moralistas, estamos fartos: basta lembrar do sr. Jânio Quadros.

    JB é o Jânio Quadros 2.0 e o Gilmar o Jânio Quadros 2.1, essa é a verdade… A mesma farça midiática.

  21. E agora, Joaquim?

    A maioria dos ministros do STF decidiram: não houve quadrilha, nunca existiu. E não venham desfeitear esse resultado, pois apesar do Joaquim dizer que não, foi fortemente fundamentado. E agora, Joaquim, quem é que vai recolher as penas espalhadas por você e por parte da Corte, pelo PGR,  pela imprensa “amiga”, pela oposição de que era uma organização criminosa, uma quadrilha? Quem? Um processo em cima do Antônio Fernandes do PGR cairia muito bem porque foi ele quem primeiro lançou a organização criminosa e quadrilheiros ao vento.

  22. Barbosa, extra-medíocre.

    O único menino pobre e preto de Minas que salvou o Brasil foi um tal de Edson Arantes do Nascimento. Com apenas dezessete anos, disputava sua segunda partida pelo Campeonato Mundial na Suécia. O jogo era contra o País de Gales, que tinha um ferrolho considerável. Eram quartas de finais, quem perdesse, voltava para casa. Numa jogada genial, o Crioulo (assim era chamado pelos seus companheiros do Santos) recebe o passe dentro da área adversária, dá um balãozinho no beque e empurra para as redes. Brasil classificado 1 x 0 País de Gales. Depois disso, mais duas partidas e o Brasil conquistou seu primeiro título mundial. Ah, Pelé foi convocado pelo Feola não para preencher cotas, mas porque já era o maior jogador de futebol do país.

    O outro menino que saiu de Minas e mudou o mundo foi Alberto Santos Dumont, só que ele era muito rico, riquíssimo. Não registrou patente de suas invenções. Se o tivesse feito, nenhum boçal do mundo teria a cara-de-pau de dizer que os Irmãos Picaretas, digo, Wright, inventaram o avião. Quanto ao Barbosa, vai passar para a História como “aquele ministro do STF que não respeitava seus colegas, a lei, a Constituição nem ninguém.”

  23. NÃO HOUVE QUADRILHA, JÁ CAMARILHA…

    Ficou decidido pela maioria dos juízes, não ter havido formação de quadrilha na AP 470, mas ficou ainda mais escancarado, para quem tem olhos de ver, que uma camarilha se formou para provar também ter havido quadrilha.  

    A gente olha, pensa e não acredita a que ponto essa camarilha chegou. Que república é essa?

  24. Os desmandos de JB.

    Já faz tempo que o Presidente do STF têm demonstrado falta de respeito com seus pares. 

    É inconcebível, que, tenhamos um tribunal sujeito, e, submetido a opinião pública que levada pela paixão de interessesde uma mídia claramente opositora possa expor e constranger juízes no seus julgamentos.

    Quando o Presidente do STF, claramente se opõe a seus pares, lançando no ar palavras de desagravo em plena sessão, em que, um ministro está fundamentando seu voto é fato preocupante.

    Mostrando-se sem nenhum constrangimento, e como sempre destemperado, não se acanha, tal qual um déspota, em menosprezar a quem ousar lhe contrariar. E assim agirá, enquanto tiver  apoio.

    Enfim, acredito que após o reinado deste que em nada tem dignificado sua missão, possam os ministros do STF fazer profunda reflexão do que foi essa passagem e da influência negativa que lhes foi imposta.   

     

     

     

  25. JB, já havia deixado claro

    JB, já havia deixado claro que dosava as penas em razão da prescrição, desde o Ramon Rollerbach e Cristiano Paz; o advogado foi a tribuna e pediu para o Ayres Britto ( era o presidente ), relembrar ao plenário o voto de que Peluso havia deixado pronto, antes de sua saída. Peluso tinha condenado a pena mínima e aí JB faz a gracinha, é claro né, pena mínima pq aí levaria a prescrição…

    JB fez o que pode e o que não pode para aumentar as penas, inclusive, tentando valer-se de leis posteriores que fixavam penas mais altas.

    Ministro Barroso e ministro Teori, ainda não estavam e Ministro Lewandowski ficou, apenas com o Toffoli, na fase de dosimetria que foi onde aconteceram as maiores confusões. Ministro Lewandowski, ainda tentava explicar que dosimetria era uma expressão importada da medicina e significava que a pena deveria ser dosada no sentido de garantir proporção e razoabilidade, etc… mas não tinha jeito; foi acusado por JB, de ser advogado de defesa dos réus e de “baratear” crimes de corrupção. Foi nessa fase tb que JB disse que havia lido num jornal, acho que estadunidense que o sistema penal brasileiro era ” laughable”; Ministro Lewandowski, explicou que a Corte aplicava as leis e que se quisessem mudá-las tinham que ir para o Congresso… Não teve jeito, continuou metendo pau no nosso sistema e não adiantou Toffoli explicar que nos EEUU, era diferentem que havia, inclusive pena de morte e que no Brasil um casal que matou um filho foi condenado a 20 anos… Até o decano falou daquele sujeito que matou 80 na Noruega e tb havia sido condenado a sei lá qto… Mas, não dava, JB disse que era preciso conhecer a realidade dos países nórdicos para entender isso… Ele queria penas absurdas e conseguiu. Ministro Lewandowski, explicou que deveriam ter em mente a totalização das penas e aí vem o Fux, dizendo que quem comete muitos crimes, tem muitas penas!!! Pena, eu tenho é desse senhor com 60 anos na cara que vai parar no STF para proferir uma imbecilidade dessas… Conclusão, conseguiram, eles sim ” baratear” crimes gravíssimos para atender a seus próprios interesses. O plenário do STF, ou melhor, a composição sagrada com Peluso e Ayres Britto, conseguiu (apesar dos esforços do Ministro Lewandowski e Toffoli), a façanha de transformar caixa 2 de campanha eleitoral em crime mais grave que estupro, homicídio, latrocíno, etc… Ou seja, para a sagrada composição, saí mais barato estuprar e matar do que fazer caixa 2.

    Foi tanta barbaridade para que conseguissem chegar a essas penas que a gente pode viver 100 anos e não vai lembrar de tudo. As melhores passagens na dosimetria foram do Toffoli; uma dizendo que não concordava com aquela coisa de chegar a pena mais prá lá ou mais prá cá; depois disse que não concordava com essa coisa de pena prêt-à-porter… mais a frente sugeriu em meio ao caos instalado em plenário que se somasse todos os votos e dividisse pelo número de ministros… Mas teve uma bem legalzinha do Ministro Lewandowski com JB. JB desesperado para puxar para a lei posterior cujas penas eram mais altas e Ministro Lewandowski não deixava pq a oferta tinha sido na vigência da lei mais antiga e o recebimento na mais nova ( não lembro quem era agora; acho que era Pizzolato )… Aí JB sai com o seguinte, Ministro, eu tenho um dado concreto e o dado concreto é que não sabemos a data, sei lá de que… e Ministro Lewandowski, na maior calma… se não sabemos a data então não é dado concreto, data venia… Agora, a gente até dá risada mas as consequências desse julgamento, além de não terem graça nenhuma, ainda vão trazer muitos problemas para todos nós. Que tenhamos a serenidade e o bom senso que os demais ministros da Corte não tiveram ao criá-los para que possamos superá-los.

    • “e aí vem o Fux, dizendo que

      “e aí vem o Fux, dizendo que quem comete muitos crimes, tem muitas penas!!! Pena, eu tenho é desse senhor com 60 anos na cara que vai parar no STF para proferir uma imbecilidade dessas… “

      Matou a pau, Cristiana. Realmente, a fase da dosiometria so não foi mais hilaria, ou de morrer de rir, como o livro postumo de Nabokov (O Original de Laura), porque envolvia vidas humanas. Quando proferiram as sentenças, teve muita gente que pulou da cadeira e as orbitas saltaram dos olhos com as penas insufladas para os tais crimes cometidos pelos petistas e cia.

      E nos dias seguintes muitos de nos aqui, manifestamos nosso espanto com as cenas dos ministros somando as penas. Disse varias vezes nao entender como juizes no supremo poderiam não saber apenar; pois bem, o que estava intrinseco nessas criticias era a ma fé de alguns ali, especialmente de Joaquim Barbosa puxando o coro, para que as penas fossem mesmo mais pesadas e levassem os réus à prisão fechada. Agora, a cortina caiu e JB esta nu e, diria, que praticamente so. 

       

      • Maria Luisa, foram tantas que

        Maria Luisa, foram tantas que a gente até esquece; lembra que eles decidiram que quem absolvia não apenava? num julgamento normal, isso não seria uma problema mas na AP 470 que correu o risco de sumir até com os infringentes, isso representou o risco de um 6X4 acabar em 50 anos de reclusão… Mas enfim, logo no começo da dosimetria, JB armou para votarem primeiro as condenações não unânimes e assim, os que absolveram outros réus, pelos mesmos crimes, perdiam a oportunidade de apresentar seus parâmetros na dosimetria, já que não votavam naquele caso. Mais uma vez, quem salvou o plenário, foi o Ministro Lewandowski. Pq o resto era só na base do acompanho o relator e daí qdo chegasse em outro réu mas mesmo crime em que o magistrado fosse votar, vinha aquela conversa de que o plenário acabou de deliberar sobre isso… De minha parte, até a Revisão Criminal, fora o Ministro Lewandowski, todo mundo, ou acompanhou o relator ou a divergência. Ninguém, sequer, tentou denunciar o que estava ocorrendo no plenário do STF. É certo que o Barroso fez isso, agora mas tb é certo que essa bola já havia sido levantada pelo Ministro Ricardo Lewanowski e, quem trouxe novidade, infelizmente, para ajudar a piorar o que já era ruim, foi o Ministro Teori, que conseguiu fundamentar, por analogia, o trânsito em julgado parcial. Não agradeço e acho um absurdo;mas entendo que um magistrado tenha que saber se virar para o bem ou para o mal. Ele fundamentou sua decisão, tecnicamente; o resto do plenário, poetava, filosofava , mentia e omitia para adequar o ordenenamento a tese furada de JB.

        O que mais me choca é que esse magistrados sabiam, o tempo todo que seus votos, muito além das condenações, significavam o achincalhe midiático dos réus; eles sabiam que cada decisão sua, não representava apenas cadeia ou multa mas a desqualificação nacional dessas pessoas. E foi o a instância mais alta do Poder Judiciário que se prestou a fazer isso com os réus. Eu vou ficar bem na mídia com o meu voto e o réu que se vire; eu tenho a caneta e a toga e eles não tem nada. Aí a gente pensa, por essa razão mesmo é que eu tenho que proteger… Mas não, eu vou me valer do meu cargo para ficar bem, ludibriar a sociedade, ferrar com a vida das pessoas e ainda fazer discurso moralista… Eu ainda tenho dificuldades para aceitar que isso tudo se passou na mais alta corte de justiça do país. Eu nunca poderia imaginar que ia ver uma coisa dessas.

  26. Queria ter acesso a todos os

    Queria ter acesso a todos os documentos, o conhecimento jurídico necessário e entrevistar as pessoas (jornalistas, políticos, jurístas, etc) que se envolveram no mensalão desde que ele surgiu em 2005 para poder escrever sua história. Desde o início este caso sempre me pareceu por demais nebuloso, com uma história cheia de desvios e muitíssimo mal contada. Tem muita gente escrevendo sobre o tema, é verdade, mas eu gostaria de ver um trabalho de um historiador ou cientista político. Desses, alguém, algum dia vai escrever sobre o tema e colocar alguma ordem nesse caos e quando tudo vier a tona penso que muitos dos envolvidos vão preferir nem estar vivos.

    • Não é preciso conhecimento

      Não é preciso conhecimento jurídico. Basta  ler o laudo 2828/2006 que o Joaquim Capitão do Mato escondeu dentro do inquérito 2474 durante sete anos. Neste laudo a iniocência dos petistas é clara como água mineral.

      Ainda tem idiotas neste país que acreditam nesta história de mensalão petista.

      Mensalão mesmo, foi o do PSDB de MInas, onde havia dinheiro público(dfa CEMIG) e réus confessos.

  27. Perdeu a serventia para o

    Perdeu a serventia para o pig, agora será descartado.  Não se esqueça, José, quer dizer, Joaquim, que até os militares que um dia foram para o pig dos anos 60 os salvadores da pátria, também passaram a ser chamados de ditadores. Os tempos da redentora -que viera pra salvar a democracia- passaram a ser chamados de anos de chumbo. O pig é assim, josé, quer dizer, Joaquim: é hipócrita, constrói e destrói com a mesma facilidade em função dos interesses dos barões. Seus 15 minutos de fama chegaram ao fim. “Apesar de você, amanhã de ser outro dia”. Viu? Este dia chegou.

     

    E agora, José, quer dizer, Joaquim?
    A festa acabou,
    a luz apagou,
    o povo sumiu,
    a noite esfriou,
    e agora, José, quer dizer, Joaquim?
    e agora, você?
    você que é sem nome,
    que zomba dos outros,
    você que faz versos,
    que ama, protesta?
    e agora, José, quer dizer, Joaquim?

    Está sem mulher,
    está sem discurso,
    está sem carinho,
    já não pode beber,
    já não pode fumar,
    cuspir já não pode,
    a noite esfriou,
    o dia não veio,
    o bonde não veio,
    o riso não veio,
    não veio a utopia
    e tudo acabou
    e tudo fugiu
    e tudo mofou,
    e agora, José, quer dizer, Joaquim?

    E agora, José, quer dizer, Joaquim?
    Sua doce palavra,
    seu instante de febre,
    sua gula e jejum,
    sua biblioteca,
    sua lavra de ouro,
    seu terno de vidro,
    sua incoerência,
    seu ódio – e agora?

    Com a chave na mão
    quer abrir a porta,
    não existe porta;
    quer morrer no mar,
    mas o mar secou;
    quer ir para Minas,
    Minas não há mais.
    José, quer dizer, Joaquim, e agora?

    Se você gritasse,
    se você gemesse,
    se você tocasse
    a valsa vienense,
    se você dormisse,
    se você cansasse,
    se você morresse…
    Mas você não morre,
    você é duro, José!

    Sozinho no escuro
    qual bicho-do-mato,
    sem teogonia,
    sem parede nua
    para se encostar,
    sem cavalo preto
    que fuja a galope,
    você marcha, José, quer dizer, Joaquim!
    José, quer dizer, Joaquim, para onde?

  28. Ísso é aterrador…Barbosa

    Ísso é aterrador…Barbosa CRIOU UM CRIME, para pessoas que foram absolvidas posteriormente, e SEUS PARES CONCORDARAM E CALARAM-SE até a chegada de Barroso.

    Não tenho “vocação” de Regina Duarte”…mas DESTA “JUSTIÇA” TENHO MEDO. Nada impedirá que ARRANQUE UM CIDADÃO DE SUA CASA…LHES SALGUEM A VIDA E DECENDÊNCIA.

    Vamos à revisão…

     

    • Omissos !

      Sempre questionei Vossas Excelências por este lado omisso. Os blogs sempre a mostrarem farta documentação que induzia aos leigos ser um julgamento não claro;  pessoas ilustres do meio jurídico a afirmarem que o mensalão sempre foi uma farsa ( I.Gandra, Cláudio Lembo, Jobim e recentemente professores do direito, entre muitos outros juristas).

      E os pares: M.A.Melo, Celso Melo, Tofolli, Lewandowski, Barroso e outro de nome difícil e as duas  mulheres, precisavam ficar caladas e omissas como todos estão até agora – o malvado xingou todos eles, chamou-os de comprados, aludiu que a presidente seria a chefe da quadrilha…

      As reportagens que agora pipocam mostram que o Barbosa ( sozinho?, sem o Gilmar ? sem o Gurgel? ) estava tramando esta maracutais desde cedo – e os seus pares não sabiam ?  Em qualquer empresa ou ambiente de trabalho sempre se sabe o que rola nos  bastidores, ainda mais tendo Vossas Excelências mais excelências que adoram um batom e maquiagem para aparecer no Jornal Nacional  ou nas fotografias de revistas – vide Barbosão, Gilmar Dantas ,  M.A. Mello A.Brito.

      Todos são omissos. Dizer que é estratégia não condiz com a verdade – O Dirceu, O Genoíno  e os outros que podem vir a ficar livres após as maracutaias jurídicas serem desvendadas, tiveram a sua vida devassada, sacaneada…..e se moverem uma acão contra o STF, o MP e todos os omissos que participaram deste Mentirão, quem vai pagar a conta ?

      E Vossas Excelências do Congresso continuam de rabo preso ? E o PT vai continuar omisso ?  Só os blogs que defendem o acusado ? O JN vai falar o quê? O Boechato vai continuar a babar o Babosão?

      O malvado do Batmam vai fugir para Miami? O Gilmar vai dar as aulas que faltam para pagar os trocentos milhões do contrato com os baianos? Quem vai pagar a conta? Os omissos, muito bem pagos por nós, que a podiam ter evitado desde seu início ou nós ?

  29. Presidentes do STF

    A julgar pelos comentários “isentos” deste blog nós somos um país muito errado mesmo, né? Dos últimos quatro presidentes do STF pelo menos três [Gilmar Mendes, Ayres Britto e Joaquim Barbosa] são considerados, aqui, como sendo inaptos, ou inescrupulosos, ou mal intensionados… É muito azar, não é mesmo?

    • Azar mesmo é existir gente

      Azar mesmo é existir gente que acredite que ministros do stf e até militares sejam seres iluminados, criaturas perfeitas, homens ou mulheres acima do bem e do mal, sem interesses pessoais, sem ambições políticas, sem preferências político partidárias, verdadeiros sábios… Bom, pelo menos aqueles que dancem a música que a mídia toca, que marquem o gol e que corram pros braços da galera! Façamos o seguinte, então: vamos extinguir o executivo, o legislativo, até mesmo a cbf e pedir aos sábios do stf que deixem de lado a constituição, assumam o governo do país e comecem a decidir  tudo de acordo com sua sabedoria celestial.

      • Meu filho, não dá ideia que é

        Meu filho, não dá ideia que é capaz deles levarem a sério, rsrsrs….Os eleitores do Quincas então !!!

    • Desacreditar o inimigo, esta é a estratégia

      O que estão fazendo agora, é desviar o foco das acusações de seus crimes para questionar a credibilidade dos juízes. Triste.

      • Triste é ver pessoas que

        Triste é ver pessoas que ficam apenas na torcida sem se darem ao trabalho de conhecer o assunto, sem nem mesmo ler com atenção e que portanto não conseguem apresentar nenhum argumento defendendo seu parecer.  Apenas criticam aqueles que realmente acompanharam o julgamento e estão aqui demonstrando por a+b que esse julgamento não foi justo.

  30. Será a pressão do peso da consciência?

    Pelo que eu entendi, o julgamento do “mensalão” agravou o estado de saúde do supremo do supremo. Será que é o peso da consciência que está pressionando a coluna vertebral de Vossa Excelência?  Se é,  basta protelar o término do julgamento por mais alguns meses e começar a imprimir os convites para a missa de sétimo dia de Joaquim Barbosa.  Será uma ótima oportunidade para o Criador demonstrar que de fato é brasileiro. E o Brasil de joelhos agradecerá à providência divina.

    Obs: Eu me proponho a redigir o texto dos convites para a missa de sétimo dia.

  31. Para quem quiser entender

    Para quem quiser entender como começou essa história toda, mensalão tucano e mensalão petista, é só ler o livro:

    O OPERADOR: COMO E A MANDO DE QUEM MARCOS VALERIO IRRIGOU OS COFRES DO PSDB E DO PT

     

    Esse é o blog do jornalista que escreveu o livro:

    http://lfigueiredo.wordpress.com/

     

  32. Absurdo

    Espero que a OAB tenha a coragem necessária para tomar providências contra os absurdos de Barbosa, para dizer o mínimo. Não dá mais para aguentar.

  33. See you in court

    Sugestão ao PT e a cada um dos dirigentes partidários absolvidos.

    De agora em diante, metam processo judicial (não sei se por injúria, calúnia, difamação ou os três juntos) em cima de quem falar em “quadrilha do mensalão”, ou referir-se a qualquer um dos absolvidos usando o termo “quadrilha”. Vocês foram inocentados da acusação e agora qualquer imputação nesse sentido é crime.

    Os mal-acostumados, na imprensa, continuam a tratá-los como antes.

    Não deve haver vacilo. Vocês foram xingados durante oito anos, dia após dia. Agora chega, tem que parar e tratar com respeito.

    Como se dizia antigamente, metam-se em brios.

    Processo em quem insistir na ofensa.

     

     

  34. JB agiu mal sim, mas o erro

    JB agiu mal sim, mas o erro que ele cometeu foi desfeito pelo STF de maneira legítima e absolutamente dentro da legalidade. O que ocorreu prova três coisas:

     

    1º – a impotência da mídia, que por mais que tenha desejado não conseguiu transformar-se em Tribunal de excessão obrigando o STF a homologar sua versão do Mensalão;

    2º – a saúde institucional brasileira e a maturidade da maioria das pessoas que ocupam cargos de destaque na cúpula do poder judiciário do país;

    3º – o protagonismo do povo brasileiro, que não somente repeliu a injustiça na internet e pagou a multa imposta aos réus crucificados pela imprensa como rejeitou “pacote eleitoral Mensalão” ao eleger Dilma e apoiar sua reeleição.

     

    O Brasil superou as instabilidades históricas que levaram ao golpe de 1964 e está pronto para se tornar um Estado maduro, consciente de sua importância regional e mundial. Agora só falta uma coisa para isto ocorrer: os generais se ajoelharem e pedirem desculpa à nação pela sua infame conduta no passado. 

  35. O JUIZ É UM ESCRAVO DA LEI

    Há muitos que criticam o Judiciário quando, vi. gratia, mpotente, não autorizado pela lei,  deixam em liberdade um assassino confesso, não pego em flagrante.

    Mas o Juiz, acima de tudo, é um escravo da lei.

    Não pode, sob pretexto algum, sobrepor-se a lei, que tem origem no poder do povo. As leis  são criadas através do Legislativo, participa delas o  Executivo, ora no projeto, ora apenas na sanção e promulgação.

     Ao Judiciário cabe, apenas, aplicar a lei, não podendo exorbitar neste seu Poder. Não pode criar fórmulas mágicas para fazer justiça – a justiça que ele, Judiciário entende, pois está submisso, inteiramente submisso aos preceitos legais. É permitido ao Judiciário a interpretação da lei, mas jamais sua desobediência, quando o entendimento do texto legal é pacífico, tanto na doutrina como na Jurisprudência.

    Não pode, ele, Judiciário, assim, legislar, como vem fazendo, criar fórmulas mágicas, como a teoria do domínio do fato, sem provas algumas, para condenar pessoas, pois em nosso sistema penal, o réu tem presunção de inocente, cabendo ao Estado, à Promotoria, provar a sua culpa.

    Agora, vemos aí um caso mais do que esquisito.

    Colocou-se Dirceu no banco dos réus. Barbosa importou, lá da idade média européia, a teoria do domínio do fato e,, mesmo sem provas, fez com que, de acordo com os desejos da mídia brasileira, que os demais ministros embarcassem em sua tese e o condenasse sem prova alguma, existentes apenas alguns indíciios, sem qualquer consistência de provas, para que delas se extraíssem uma condenação.

    Agora, ainda, fato que já veio à tona em 2011, fez de tudo para evitar a prescrição penal,  alterando, ao seu  critério, sem suporte na legislação,  o cálculo da pena, pois era certo que a prescrição in concreto iria demonstrar que o crime estava prescrito em 2007.

    Ora essa conduta, modificar a maneira com que a lei  determina a aplicação da pena, de forma dolosa, intencional, não pode ser entendida como correta.  Mais do que isto é uma demonstraçao de força, de arbítrio, de conduta totalmente indiferente aos ditames da lei. Um ato ditatorial, pois não fundamentada pela lei.

    A condenação de Dirceu éstá bem claro foi puro ato de arbítrio,  pois não havendo provas, havia a presunção de inocência. Não seria, assim, a literatura jurídica que autorizaria a sua condenação. E ainda a falta de provas atingiiu todos os delitos que a ele foram atribuídos. Mas não foi o bastante para que o STF, sob o comando de um relator que burlou a lei, agindo fora do comando legal,  condnasse injustamente Dirceu.

    Após, ainda, não satisfeito, o Ministro Barbosa, agora presidente da Suprema Corte, indignou-se publicamente, colocando ainda sob suspeitas seus pares, porque não foi mantida a  incrível  majoração da pena do crime de quadrilha, com cálculo que a lei não autoriza,  tudo para evitar a prescrição,  ilegalidade que foi desmascarada pelo voto do ministro Barroso, fiel aos mandamentos legais..

    Ao Juiz não é dado o direito de impor-se à lei. O Magistrado é e sempre será, no regime democrático, um escravo da lei.

       

  36. Ora, bolas… Joaquim Barbosa

    Ora, bolas… Joaquim Barbosa é a prova viva de que a nomeação de Ministros para o STF não tem absolutamente nada a ver com montagem de maioria pró-Governo. Ou ele terá peito de admitir que combinou uma coisa com Lula e fez outra? O Ministro simplesmente caiu no canto da sereia da grande Imprensa brasileira, acreditou que poderia ser um novo Collor e já começa a enxergar uma 4a feira de Cinzas bem mais cinzenta do que normalmente seria. Sr. Ministro, o senhor perdeu uma excelente chance de ter lutado pela Senzala; mas como aquele inesquecível personagem interpretado por Samuel Jackson em “Django Livre”, preferiu a Casa Grande, a qual defendia com um fanatismo superior ao dos próprios Patrões. E agora sem utilidade, verá o que a Casa Grande costuma fazer com quem presta serviços a ela; a matéria acima do Estadão é só o começo… 

  37. Denuncia com todas as qualificadoras! quem sabe cole o caput…

    Em meus tempos de estagiário no Foro Regional do Jabaquara/Saúde III, lá pelos idos de 1989, era corrente a máxima entre “certos” Promotores de Justiça (a mesma carreira jurídica – no âmbito federal – que teve origem Joaquinzão Malazarte…):
    – DENUNCIE NO ART. 121 DO CÓDIGO PENAL COM TODAS AS QUALIFICADORAS (OBJETIVAS E SUBJETIVAS!), QUEM SABE COLE AO MENOS O “CAPUT”…

  38. A admissão na maior

    A admissão na maior cara-de-pau e sem pudor deixou claro que o dito cujo (não aguento mais escrever o nome do sujueito) admite chicana, desde que seja contra os réus. A favor o deixa possesso a ponto de babar

    Isso mina totalmente a sua credibildade como juiz. É promotor. E dos piores, pois é midiaticamente populista, sem limite algum em seus objetivos. Que eu saiba por mais que o promotor tenha como motivação a condenação de um réu, ele deve se impor limites. Vejo isso nas séries do Law&Order, já que o Barbosa gosta da televisão 

  39. O problema é muito sério e talvez exija o afastamento urgente

     

      “Transtorno de Personalidade Narcisista” (CID 10 F60.8).

    Do Psiqweb : A característica essencial do Transtorno da Personalidade Narcisista é um padrão invasivo de grandiosidade, necessidade de admiração e falta de empatia, que começa no início da idade adulta e está presente em uma variedade de contextos.

    Os indivíduos com este transtorno têm um sentimento grandioso de sua própria importância (Critério 1). Eles rotineiramente superestimam suas capacidades e exageram suas realizações, freqüentemente parecendo presunçosos ou arrogantes. Eles podem presumir que os outros atribuem o mesmo valor a seus esforços e surpreender-se quando não recebem o louvor que esperam e julgam merecer. Um menosprezo (desvalorização) da contribuição dos outros freqüentemente está implícito na apreciação exagerada de suas próprias realizações.

    Essas pessoas constantemente se preocupam com fantasias de sucesso ilimitado, poder, inteligência, beleza ou amor ideal (Critério 2). Elas podem ruminar acerca de uma admiração e privilégios a que teriam direito e comparar a si mesmos com vantagem sobre pessoas famosas e privilegiadas.

    Um indivíduo com Transtorno da Personalidade Narcisista se acredita superior, especial ou único e espera ser reconhecido pelos outros como tal (Critério 3). Ele pode achar que somente consegue ser compreendido e apenas deve associar-se com outras pessoas especiais ou de situação elevada, podendo atribuir qualidades de “singularidade”, “perfeição” ou “talento” àqueles a quem se associa.

    Os indivíduos com este transtorno acreditam ter necessidades especiais, que estão além do entendimento das pessoas comuns. Sua própria auto-estima é amplificada (isto é, “espelhada”) pelo valor idealizado que atribuem àqueles a quem se associam.

    Eles tendem a insistir em ser atendidos apenas pelos “melhores” (médicos, advogados, instrutores, cabeleireiros) ou em afiliar-se às “melhores” instituições, mas podem desvalorizar as credenciais daqueles que os desapontam.

    Os indivíduos com este transtorno geralmente exigem admiração excessiva (Critério 4). Sua auto-estima é, quase que invariavelmente, muito frágil. Eles podem preocupar-se com o modo como estão se saindo e no quanto são considerados pelos outros. Isto freqüentemente assume a forma de uma necessidade de constante atenção e admiração. Eles podem esperar que sua chegada seja recepcionada com grande alarde e ficar perplexos pelo fato de os outros não cobiçarem tudo o que possuem. Eles podem “caçar” elogios constantemente, por vezes de maneira muito cativante.

    Um sentimento de intitulação manifesta-se na expectativa irracional destes indivíduos de receber tratamento especial (Critério 5). Eles esperam ser adulados e ficam desconcertados ou furiosos quando isto não ocorre. Eles podem, por exemplo, pensar que não precisam esperar na fila e que suas prioridades são tão importantes que os outros lhes deveriam mostrar deferência, e ficam irritados quando os outros deixam de auxiliar em “seu trabalho muito importante”.

    Este sentimento de intitulação, combinado com uma falta de sensibilidade para com os desejos e necessidades alheias, pode resultar na exploração consciente ou involuntária dos outros (Critério 6).

    Essas pessoas esperam que lhes seja dado o que desejam ou julgam precisar, não importando o que isto possa significar para os outros. Por exemplo, esses indivíduos podem esperar grande dedicação da parte dos outros e sobrecarregá-los de trabalho sem levar em conta o impacto que isto possa ter sobre suas vidas.

    Eles tendem a formar amizades ou relacionamentos românticos somente se vislumbrarem a possibilidade de que a outra pessoa vá ao encontro de seus objetivos ou de outro modo aumente sua auto-estima. Eles freqüentemente usurpam privilégios especiais e recursos extras, que julgam merecer por serem tão especiais.

    • rsrsrsrs,  eu incluiria F63.8

      rsrsrsrs,  eu incluiria F63.8 ( 312.34 – DSM – IV) Transtorno Explosivo Intermitente, na longa lista de diagnósticos diferenciais, mas numa coisa concordo logo de cara : é caso para afastamento imediato….. 

  40. este julgado forma uma jurisprudência perigosa

    Este julgamento, desqualificando a formação da quadrilha forma uma jurisprudência muito perigossa no Brasil, que é um dos países do mundo mais perigoso em termos de criminalidade, principalmente de formação de quadrilha, onde milhares de pessoas morrem, são sequestradas, etc… .  Esta consciência os julgadores que votaram pela maioria para desqualificar o crime ou seja para beneficiar os réus pelaprecrição eles não tiveram. Estou com Joaquim Bqarbosa, a demora no julgamento,muitas vezes objeto de manobras de de vistas e vistas do sr.Levandowisk e outros mais acabou por dar certo.

     

    Estamos com o Barbosa.

     

    • E a teoria do dominio do

      E a teoria do dominio do fato? Esta também não cria uma perigosa jurisprudência em nosso ordenamento? Ou seria correto dizer, que prejuizos ao ordenamento só se dão em relação “pro reo”?

  41.  
    Joaquim Barbosa, afinal,

     

    Joaquim Barbosa, afinal, após a lavada sofrida pelo Ministro Luiz Barroso, embora tendo tentado mais uma de suas palhaçadas, sabe, no fundo, o quão mal saiu-se no filme. Ele, mais que ninguém, deveria sentir-se envergonhado por ser relator de um julgamento tão cheio de mentiras e farsas no intuito de aparecer, de preferência tripudiando dos réus exaustivamente. Parece não haver mais dúvida de que esse julgamento teria sido outro bem distinto se a imprensa fajuta não tivesse desempenhado o papel de juiz também, aliando-se a alguns ministros de forma tão sórdida. 

    Ainda hoje, dia de carnaval, a Globo, em seu JN, fez alusão à visita do Governador do DF a José Dirceu. Essa ladainha não acaba nunca. Nem que seja uma linazinha é escrita diariamente para manter viva a idéia de que José Dirceu e seus colegas presos são as piores pessoas do mundo. O ódio de muito é tanto que é provável que nunca mais José dirceu possa andar pelas ruas. Isso é um absurdo.

  42. Aê, quem tiver o telefone do

    Aê, quem tiver o telefone do Joca, avisa que não é para pintar e nem mandar a tinta tão cedo… A chapa tá quentona pro lado dele… Aliás, o resto tb podia segurar a lingua por um tempo. Hoje vi que MAM estava no Globo, numa página inteira; nem li para evitar mais vergonha alheia e perder o resto do respeito que ainda tenho por ele.

  43. Cartórios…

    Gente decente reclama, com razão, da impunidade, das manobras protelatórias nas miles justiças, das prescrições delas resultantes, etc.

    Defender a argumentação do Barroso é defender igualmente a maioria das causas das impunidades, das manobras protelatórias, etc. Fico cá pensando na provável tradução do juridiquês para a língua franca: “eles não registraram firma em cartório, não fizeram atas de reuniões, conversas, etc.”

    Indignação seletiva é dose…

  44. Os cauculos de JB pra prender petistas.

    Que falta eu sinto de um mecanismo midiático que possa, realmente, fazer um contraponto na opinião pública.

    Posso está absolutamente errado, mas apesar da apressada carreira da internet pra cristalizar seu espaço nesta esfera, a opinião pública, ela ainda esbarra na economia, ou seja, ainda se tem muito, mas muito mais rádios e TVs no mundo que computadores conectados. Paro para pensar: que outrpo mecanismo além da internet pode ser usado pra fortalecer a necessidade de um contrapontoo ideológico?

    É, tambem, a cada dia me parece que a mente humana que melhor entendeu o paradigma desta luta, depois de Marx, foi Antonio Gramsci; neurônios do mundo uní-vos e Gramsci neles.

  45. Não acredito que é o fato de

    Não acredito que é o fato de ser negro, que torna jb um empuste em termos de conhecimento.

    O que há de ruim em Jb está por dentro.

    Sua inacapacidade de resistir a holofotes.

    Sua despreparação técnica e jurídica para ocupar o cargo.

    E, sua personalidade agressiva, auto-elogiosa, que o faz pensar que para 

    ser melhor que os outros , tem que pisar, humilhar e trancafiar cidadãos, mesmo

    que não haja provas contra eles. 

    O que foi a Teoria do domínio do fato ,além de uma estratégia para imputar culpa, a

    quem não tinha provas nos autos?

    JB deve estar sentindo-se mal ao olhar-se no espelho.

    Morreu pela boca, ao confirmar que inflou penas, para prejudicar cidadãos.

    Jânio de Freitas faz um artigo primoroso ao analisar a personalidade canhestra de JB.

    Ele não tem mais espaço no STF.

    Ele, vai pedir para sair , e vai cair no ostracismo.

    Mas, antes, perseguirá os Ptitas por mais um tempo, aliado ao Juiz tucano de Brasília.

    Não há mal que dure para sempre, felizmente.

     

  46. QUADRILHA

    Se realmente o Brasil fosse um país sério, os ministros do STF não seriam indicados por partidos. O pt indicou a maioria, será que só o Joaquim Barbosa destoou? Acho que é um ponto para se refletir, assim acabaria estes comentários inúteis que vão se arrastar até as eleições.

    • Se o Brasil fosse um país sério?

      Fico imaginando qual país para você é sério.
      Pois em todo o mundo os juízes da suprema corte são indicados de alguma forma por poderes políticos.

      Por exemplo, no modelo americano a indicação se dá pelo Presidente da República, com aprovação pelo Senado (modelo este que seguimos).
      Já no modelo alemão, pelo qual é seguido por quase toda a Europa, a indicação advém do poder legislativo e com investidura por tempo certo de 12 anos e sem direito a recondução.

      Sendo assim, de qual país (sistema constitucional) sério o senhor está falando?

      • Diogo , ouvi falar que na

        Diogo , ouvi falar que na Argentina eles estão mudando a lei para indicar juiz pelo sistema  de voto direto para o Judiciário, antes de indicar um juiz destes que vai ficar lá ate completar 70 anos, poderiamos conhecer melhor , quem esta sendo indicado, só sabemos depois o Fux por entrevista do José Dirceu , foi indicado para livrar a cara dele neste processo do mensalão, ísto aí não é critério e o Barbosa foi indicado pelo Lula para fazer uma média com os afrodescendentes . Neste quesito o PSDB sabe indicar melhor , pois todos eles são fieis ate debaixo dágua, deveriam ficar no máximo 6 anos .

  47. Por que não foi noticiado?

    Segundo Janio de Freitas, no artigo, Uma frase imensa, de 02/03,  “O resultado, na quinta-feira, da decisão do Supremo quanto à formação de quadrilha, não foi o noticiado 6 a 5 favorável a oito dos condenados no mensalão. Foi de 7 a 4. O ministro Marco Aurélio Mello adotou a tese de que era questão prescrita e reformou seu voto, que se somou aos dados, pela inocência dos acusados, de Luís Roberto Barroso, Cármen Lúcia, Rosa Weber, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Teori Zavascki. Derrotados com a formação de quadrilha foram Celso de Mello, Gilmar Mendes, Luiz Fux e Joaquim Barbosa.”

    Entendo que isso é de grande importânica, no entanto não vi nenhuma notícia a respeito na chamada grande imprensa. Por que será?

  48. Fica evidente que esta
    Fica evidente que esta matéria foi feita a fim de apoiar o PT e acabar com a reputação de um dos poucos que batem de frente com o Governo. E sem contar com os Racistas que se aproveitam para atacar.

    • Fica evidente que você caiu de cabeça no chão

      Pelo fato de você ter caído de cabeça no chão, escreveste uma pérola da nossa língua portuguesa. Para completar decobriu racismo nas falas de todos os que defendem a democracia e a justiça.

       

      Ao bater a cabeça no chão você se tornou um adepto do PIG? Ou você já o era antes de bater a cabeça no chão?

    • Nunca vi uma manifestação de

      Nunca vi uma manifestação de racismo sequer nas críticas feitas a esse magistrado. Talvez estejam justamente nas cabeças de quem está a acusar os outros, não ?

  49. Sei lá… Acho que tem

    Sei lá… Acho que tem magistrado que não entendeu muito bem o significado de ” protagonismo do judiciário” e aí… #Partiu queimar o filme da Corte para manter-se em evidência. Bem, não fomos convidados para o tal debate acadêmico mas desconfio que alguma coisa saiu do script. Não resta dúvida que estão protagonizando mas um bafão desse tamanho eu nunca vi nem no Executivo e nem no Legislativo; e , olhe que já passamos até por impeachment de Presidente da República! O grito de carnaval de JB, animou os foliões. Faz tempo que não vejo uma pré-carnavalesca animada que nem essa do STF. A rede tá pegando fogo e as ruas, tb. Cuidado pessoal para a Globo não veicular as imagens dos blocos bombando, Brasil afora, como manifestações contra a Copa.

  50. Mudança de Rumos

    Nassif: para o caso do STF, eu concordo com o crime de “formação de quadrilha ou bando”, em gênero, numero e grau. Apenas observo que esta quadrilha ou bando não se compunha dos corréus da AP 470, mas de uma corja que investida em determinados setores “oficiais” e amparados por prerrogativas institucionais criaram um cenário incriminador de pessoas cujas ideologias e interesses conflitam com os seus. É verdade, já disse aqui e repito, os acusados não são anjos nem lhes defendo atitudes desabonadoras que o mundo político partidário porventura os tenha levado a cometer. Mas uma coisa, juridicamente falando, é ser imoral; outra, ilegal. E a imoralidade do réu não autoriza a ilegalidade do julgador. A constituição reza que “qualquer pessoa” faz ou deixa de fazer em função da Lei. A imoralidade do ato posta, moeda corrente no cenário político mundial, quando posta à mesa do Juiz não autoriza o julgador a inovar no seu veredito. Esta missão é do legislador, na Casa das Leis, não do interprete, ainda mais quando este fabrica teses esdruxulas para corroborar seus instintos mais baixo e mesquinhos, de ódio e de vingança contra adversários. Nisto erraram alguns do STF, que foram acompanhados por incautos colegas, possivelmente temendo os do Quarto Poder, ávidos estes por vender seus espaços comerciais, pois para a Nação estão se lixando. Rui dizia que quando a Lei aplicada ilegalmente deixar de proteger meus desafetos, logo logo me alcançará. E agora que este mesmo Quarto Poder descobriu a fria em que se meteu e começa a abandonar seus meninos de recado, seus bobos úteis, ficou o “bando” à deriva, com seus componentes esbravejando como cães raivosos, contra tudo e contra todos que venham a lhes contrariar. Não é fácil, para filhotes de ditador, conviver com a liberdade dos outros. Sobretudo, com a Democracia, ema quem sempre derramaram seu veneno visceral.

  51. Transgressão à Lei Orgânica da Magistratura Nacional

    Lei Orgânica da Magistratura Nacional
    Lei Complementar nº 35 de 14 de Março de 1979
    artigo 36
    É vedado ao magistrado:

    III – manifestar, por qualquer meio de comunicação, opinião sobre processo pendente de julgamento, seu ou de outrem, ou juízo depreciativo sobre despachos, votos ou sentenças, de órgãos judiciais, ressalvada a crítica nos autos e em obras técnicas ou no exercício do magistério.

  52. E QUANTO AO RESGATE MORAL DO DELEGADO ZAMPRONHA ?

    Ele não teria sido afastado das investigações e tido suas manifestações públicas interditadas por conta de revelar que na polícia federal quadrilha petista é piada ? Parece que está até agora sem poder falar, por ordem dos donos do processo.

  53. Muito, muito isento mesmo!

    Ah, sim. O autor do artigo de opinião é Felipe Recondo, ou seja, aquele mesmo cuja esposa trabalha no STF, no gabinete do Lewandowsky, o qual foi oficiado pelo Barbosa, que, na qualidade de Presidente do STF, viu nisto uma relação de acesso privilegiado à informações, algo incompatível com as regras da República (a imparcialidade, por exemplo). E agora, o Recondo vem “revelar” o tal acontecimento. Também pudera, pois, como se vê, ele é extraordinariamente isento!

    • Não se desespere!

      Seu totem de ébano não ruiu ainda! o tempo, senhor da razão, há de revelar mais e mais maracutaias deste déspota inescrupuloso, além das inúmeras que já circulam por aí, e alijá-lo definitivamente no limbo da história, que é o lugar dos malfeitores e dos insanos usurpadores do poder. 

      Se escolher ministro do STF fosse a única função do Presidente da República, poderíamos considerar Lula como o pior Presidente de todos os tempos, mas como isto é apenas um das diversas funções, e foi Lula quem também indicou Lewandowski, o grande estadista tem o beneplácito de que ninguém é perfeito, afinal Pelé perdeu muitos gols, apesar de ser o maior artilheiro da história.

      A História tem seu lugar reservado para Joaquim Barbosa. Lula o indicou e nomeou pensando em suas políticas afirmativas (como as cotas em Universidades) e como há pouquíssimos juízes da etnia negra no Brasil e a indicação partiu de alguém do quilate de Frei Beto, Lula não titubeou e o indicou sem pesquisar profundamente sua verdadeira história. Baseou-se, imagino eu, apenas em sua trajetória de vida, que, sem dúvida, é brilhante: menino negro, pobre, do interior e que ascendeu por esforço próprio à carreira de Procurador. Mas, seu ego inflado e seu destempero, sua ficha corrida e outras coisas que só o lustre dos salões revela, Lula deveria ter perscrutado um pouco mais.

      • Desde 2007  joaquim tinha o

        Desde 2007  joaquim tinha o processo sob sua relatoria. Por que não deu o encaminhamento necessário para evitar a prescrição do crime de formação de quadrilha?.Foram os holofotes da Globo que o fizeram  acordar para o trunfo que tinha em mãos para se tornar o Batman, justiceiro? Quantos processos estão a domir nas gavetas do senhor joaquim prejudicando interessados  porque não possuem a mesma relevancia politica para a imprensa? 

        Os holofotes fizeram ressurgir do fundo da alma de joaquim o que ele tinha de mais obscuro: o odio, o ressentimento, a vigança. Triste o STF que tem um ministro dessa laia que ja mostrou total falata de condições para ocupar o cargo. 

        Um exemplo de sua incapacidade:

        * 15 de agosto de 2008, espinafrando o ministro Eros Grau por haver concedido Habeas Corpus para Humberto Diaz, braço direito do banqueiro Daniel Dantas:

         

        “Como é que você solta um cidadão que apareceu no Jornal Nacional oferecendo suborno?”, perguntou Joaquim.

         

        Eros respondeu que não havia julgado a ação penal, mas se havia fundamento para manter prisão preventiva. Joaquim retrucou dizendo que “a decisão foi contra o povo brasileiro”. Em outro round, depois que Joaquim Barbosa deu Habeas Corpus para garantir a Daniel Dantas o direito de não se auto-incriminar em uma Comissão Parlamentar de Inquérito, Eros, em tom de gozação, comentou que esse HC repercutira mais que o dele. JB enfureceu-se. A partir daí, o exercício de pancadaria verbal foi longe. Joaquim só não agrediu Eros porque foi contido. Ele chamou o colega de velho caquético, colocou sua competência em questão, disse que ele escreve mal “e tem a cara-de-pau de querer entrar na Academia Brasileira de Letras”. Eros retrucou lembrando decisões constrangedoras de JB que a Corte teve de corrigir e que ele nem encontrava mais clima entre os colegas. O clima azedou a ponto de se resgatar o desconfortável boletim de ocorrência feito pela então mulher de JB, tempos atrás: “Para quem batia na mulher, não seria nada estranho que batesse em um velho também”, afirmou.

         

        No dia seguinte, Joaquim Barbosa ao encontrar Eros Grau na sala de lanches do STF, disse elevando o tom de voz: “O senhor é burro, não sabe nada. Deveria voltar aos bancos e estudar mais”. “Isso penso eu e digo porque tenho coragem. Mas os outros ministros também pensam assim, mas não têm coragem de falar. E também é assim que pensa a imprensa”.

  54. Está na hora do impeachment do Babosão?

    O ministro Babosão mostrou se prepotente, truculento, fascista. Acha que está acima da Constituição e pratica um monte de atos ilegais. Já está na hora de iniciar o impeachment do Babosão.

  55. Barbosa a Temporalidade e a liberdade de expressão

    Caro Nassif, nos meus 64 anos, vividos intensamente pelo amor aos meus pares e por meu país, hoje professor, vivi as organizações estudantis, as lutas intensas , a clandestinidade por um processo democratico de transição, onde a orgaanização dos setores progressistas com os trabalhadores em geral, intelectuais, estudantes era o nosso objetivo, conheço a brasilidade da luta armada, contra a ditadura, mas era e sou pela manifestação democratica do voto contra a ditadura  na época e por um  Estado de direito até o fim… Tenho  o mais profundo respeito pela sua dignidade e transparência reflexiva como jornalista,  mesmo que as vezes  suas reflexões eu não concorde, mas as leio com atenção face a sua liberdade generosa e responsavel ao escrever, que a dialogia democratica possa superar este ranso de uma elite,  de uma  mídia coorporativista, que ainda teme a iclusão cada vez maior da maioria do povo brasileiro, Barbosa reflete um personalismo, um espelho de narcíso, como diz meus alunos, “o barato é louco, o processo é lento, mas sério”! Saudações.

  56. Ano passado JB era o máximo,

    Ano passado JB era o máximo, agora é o mínimo.

    Era um herói, agora é um miserável possuído por satanás.

    O mensalão era um escândalo, agora nao é bem assim.

    Havia uma quadrilha, mas agora é tudo mentira.

    Havia um crime, mas agora não se tem tanta certeza.

    Será que vão tentar me convencer de que tudo não passou de intriga da oposição?

    Rapaz, loucura pouca é bobagem.

     

  57. AP470 – JB e formação de quadrilha
    Alguém ai colocou finalmente um julgamento mais equilibrado em contraponto ao desequilíbrio de JB. E ainda chamou de bom artigo ???
    EQUILIBRADO??? É comédia, para rolar de rir.
    Não sei o que mais precisa para provar e condenar por formação de quadrilha, esta tudo lá no processo, alguém escolhia quem ia receber, outros mandavam quanto deveria receber, outros iam no cofre do povo abriam e tiravam, outros iam no guichê e recebiam, e ainda por cima coincidindo com datas de votações importantes, não era quadrilha? Já sei. Era uma congregação de filhas de Maria, distribuíam para os pobres? Agora pensando bem pelo raciocínio dos ministros do STF que votaram contra a formação de quadrilha, já entendi. O problema é que não tinha uma firma constituída. A culpa são das juntas comerciais de todo o Brasil que ainda não permitem o estabelecimento de uma empresa que conste no objeto do contrato social “Formação de Quadrilha” mas ai caímos em outra culpa, o governo federal que ainda não criou um CNAE (código de atividade) para esta atividade. Bem mas teríamos um outro problema, os ministros que absolveram criariam outra peça jurídica. “A impossibilidade de condenação, pois o Capital social foi apontado o valor integralizado, quando deveria ser o valor efetivamente apurado nas contravenções e portanto não se configuraria a formação de quadrilha já que o valor do capital estava errado.” Ou arranjariam outra desculpa esfarrapada.
    E viva a Venezuela com Maduro e Cuba com Fidel. Alguém ai colocou finalmente um julgamento mais equilibrado em contraponto ao desequilíbrio de JB. E ainda chamou de bom artigo ???
    EQUILIBRADO??? É comédia, para rolar de rir.
    Não sei o que mais precisa para provar e condenar por formação de quadrilha, esta tudo lá no processo, alguém escolhia quem ia receber, outros mandavam quanto deveria receber, outros iam no cofre do povo abriam e tiravam, outros iam no guichê e recebiam, e ainda por cima coincidindo com datas de votações importantes, não era quadrilha? Já sei. Era uma congregação de filhas de Maria, distribuíam para os pobres? Agora pensando bem pelo raciocínio dos ministros do STF que votaram contra a formação de quadrilha, já entendi. O problema é que não tinha uma firma constituída. A culpa são das juntas comerciais de todo o Brasil que ainda não permitem o estabelecimento de uma empresa que conste no objeto do contrato social “Formação de Quadrilha” mas ai caímos em outra culpa, o governo federal que ainda não criou um CNAE (código de atividade) para esta atividade. Bem mas teríamos um outro problema, os ministros que absolveram criariam outra peça jurídica. “A impossibilidade de condenação, pois o Capital social foi apontado o valor integralizado, quando deveria ser o valor efetivamente apurado nas contravenções e portanto não se configuraria a formação de quadrilha já que o valor do capital estava errado.” Ou arranjariam outra desculpa esfarrapada.
    E viva a Venezuela com Maduro e Cuba com Fidel.Alguém ai colocou finalmente um julgamento mais equilibrado em contraponto ao desequilíbrio de JB. E ainda chamou de bom artigo ???
    EQUILIBRADO??? É comédia, para rolar de rir.
    Não sei o que mais precisa para provar e condenar por formação de quadrilha, esta tudo lá no processo, alguém escolhia quem ia receber, outros mandavam quanto deveria receber, outros iam no cofre do povo abriam e tiravam, outros iam no guichê e recebiam, e ainda por cima coincidindo com datas de votações importantes, não era quadrilha? Já sei. Era uma congregação de filhas de Maria, distribuíam para os pobres? Agora pensando bem pelo raciocínio dos ministros do STF que votaram contra a formação de quadrilha, já entendi. O problema é que não tinha uma firma constituída. A culpa são das juntas comerciais de todo o Brasil que ainda não permitem o estabelecimento de uma empresa que conste no objeto do contrato social “Formação de Quadrilha” mas ai caímos em outra culpa, o governo federal que ainda não criou um CNAE (código de atividade) para esta atividade. Bem mas teríamos um outro problema, os ministros que absolveram criariam outra peça jurídica. “A impossibilidade de condenação, pois o Capital social foi apontado o valor integralizado, quando deveria ser o valor efetivamente apurado nas contravenções e portanto não se configuraria a formação de quadrilha já que o valor do capital estava errado.” Ou arranjariam outra desculpa esfarrapada.
    E viva a Venezuela com Maduro e Cuba com Fidel.Alguém ai colocou finalmente um julgamento mais equilibrado em contraponto ao desequilíbrio de JB. E ainda chamou de bom artigo ???
    EQUILIBRADO??? É comédia, para rolar de rir.
    Não sei o que mais precisa para provar e condenar por formação de quadrilha, esta tudo lá no processo, alguém escolhia quem ia receber, outros mandavam quanto deveria receber, outros iam no cofre do povo abriam e tiravam, outros iam no guichê e recebiam, e ainda por cima coincidindo com datas de votações importantes, não era quadrilha? Já sei. Era uma congregação de filhas de Maria, distribuíam para os pobres? Agora pensando bem pelo raciocínio dos ministros do STF que votaram contra a formação de quadrilha, já entendi. O problema é que não tinha uma firma constituída. A culpa são das juntas comerciais de todo o Brasil que ainda não permitem o estabelecimento de uma empresa que conste no objeto do contrato social “Formação de Quadrilha” mas ai caímos em outra culpa, o governo federal que ainda não criou um CNAE (código de atividade) para esta atividade. Bem mas teríamos um outro problema, os ministros que absolveram criariam outra peça jurídica. “A impossibilidade de condenação, pois o Capital social foi apontado o valor integralizado, quando deveria ser o valor efetivamente apurado nas contravenções e portanto não se configuraria a formação de quadrilha já que o valor do capital estava errado.” Ou arranjariam outra desculpa esfarrapada.
    E viva a Venezuela com Maduro e Cuba com Fidel.

     

     

    A maior parte dos meus amigos advogados se dividem se o JB exagerou ou não, mas a grande maioria considera estranho acatar os embargos e a absolvição.

    Na minha modesta condição de pesado contribuidor de impostos, e pai de familia que sempre incutiu nos filhos o respeito pelo bem alheio e pelas instituições e se sente profundamente traido pelos homens que ocupavam o terceiro cargo do pais (presidente da camara) e o de chefe da casa civil cargo talvez mais importante os dois jogaram a imagem destes cargos na lama, alguem já pensou nisto.

    Não sei o que mais precisa para provar e condenar por formação de quadrilha, esta tudo lá no processo, alguém escolhia quem ia receber, outros mandavam quanto deveria receber, outros iam no cofre do povo abriam e tiravam, outros iam no guichê e recebiam, e ainda por cima coincidindo com datas de votações importantes, não era quadrilha? Já sei. Era uma congregação de filhas de Maria, distribuíam para os pobres? Agora pensando bem pelo raciocínio dos ministros do STF que votaram contra a formação de quadrilha, já entendi. O problema é que não tinha uma firma constituída. A culpa são das juntas comerciais de todo o Brasil que ainda não permitem o estabelecimento de uma empresa que conste no objeto do contrato social “Formação de Quadrilha” mas ai caímos em outra culpa, o governo federal que ainda não criou um CNAE (código de atividade) para esta atividade. Bem mas teríamos um outro problema, os ministros que absolveram criariam outra peça jurídica. “A impossibilidade de condenação, pois o Capital social foi apontado como o valor integralizado, quando deveria ser o valor efetivamente apurado nas contravenções e portanto não se configuraria a formação de quadrilha já que o valor do capital estava errado.” Ou arranjariam outra desculpa esfarrapada.
    E viva a Venezuela com Hugo Chaves que em uma penada dobrou o numero de juizes da suprema corte e indicou 50%. Não que isto possa acontecer aqui, mas que tem que mudar a forma politica de indicar os ministros do STF e STJ, tem e para ontem. E viva a Cuba de Fidel que nem suprema corte deve ter e se tiver devem ser todos militares.

     

    • A maior parte dos meus amigos

      A maior parte dos meus amigos advogados se dividem se o JB exagerou ou não, mas a grande maioria considera estranho acatar os embargos e a absolvição. Já a esmagadora maioria dos juristas notórios e consagrados, inclusive os anti-petistas e direitistas como Yves Gandra Martins e Cláudio Lembo, pensam bem diferente de você e seus amigos, deve ser porque acompanharam as sessões e leram os autos: essa é a diferença. Você e seus amigos leram a veja e se informaram pelo JN da globo. Há disponibilidade dos textos dos autos pela internet, é só irem ao site do STF.

      • Mas mesmo não lendo os autos

        Mas mesmo não lendo os autos e coisa e tal, as pessoas tem o direito de não concordar com o parecer de um juiz.

        Não isso não faz diferença. Depois da setençã transitada e julgada não há nada que simples mortais possam fazer. Mas isso não tira o direito das pessoas simplesmente não concordarem.

        Mesmo que eu seja um plantador de tomates que não leu a VEJA e nem viu o JN, posso sim achar que há algo errado. Isso faz diferença? Não. Mas isso não impede de uma pessoa comum não concordar.

        Essa é a qualidade e o defeito da internet. Não somos notórios juristas consagrados. Somos simples zé ruelas (como diz o Homer Simpson), mas ainda assim podemos não concordar.

        Não discordo do seu argumento el,e é corretíssimo. Apenas ressalto que um leigo não concordar com um grande jurista faz parte do jogo.

         

    • Engraçado..

      O senhor parece aqueles comentaristas fascistas da Veja , que tal qual o juiz nazista Freisler , bradam Justiça , atropelando  5 séculos de ciência jurídica…

       

      Desde quando o Brasil é Venezuela e Cuba ?

       

      De repente o senhor é eleitor do Aécio , o candidato da rede Globo e de certa elite paulistana , aí se explica suas idéias compradas , concordantes desse simulacro de julgamento  …

  58. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome