Ex-esposa de Bolsonaro, Ana Cristina comprou imóvel no Rio 65% mais barato

Parentes da ex-esposa do mandatário foram investigados no esquema da "rachadinha" de Flávio Bolsonaro. Ana Cristina trabalhou em gabinete de Carlos

Foto: Reprodução/Redes

Jornal GGN – A segunda ex-esposa de Jair Bolsonaro, Ana Cristina Siqueira Valle, pagou menos da metade na compra de um apartamento na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio. Apesar de ainda nenhuma acusação em concreto, ela é investigada desde o ano passado, por consequência dos inquéritos da “rachadinha” contra os filhos do presidente.

Quando Ana Cristina comprou o imóvel por R$ 420 mil, valor muito inferior ao R$ 1,2 milhão avaliado pela Prefeitura no Imposto, familiares da ex-esposa de Bolsonaro haviam sido alvos de quebras de sigilo em inquérito contra Flávio Bolsonaro, no esquema da “rachadinha” na Assembleia Legislativa do Rio, enquanto era deputado estadual, uma vez que seus parentes foram nomeados em gabinetes parlamentares.

Os familiares sacaram 84% de suas remunerações no período em que trabalhavam para Flávio na Alerj.

Apesar de ela não ter sido investigada diretamente neste caso, passou a ser alvo das apurações do Ministério do Rio, quando as irregularidades foram levantadas contra o irmão de Flávio, Carlos Bolsonaro. Isso porque Ana Cristina foi chefe do gabinete de Carlos, quando ele era vereador na Câmara Municipal do Rio, em 2001.

A compra do imóvel, que hoje levanta suspeitas, foi feita em julho do ano passado. A escritura da compra foi obtida por reportagem do Estadão, detalhando um pagamento de R$ 420 mil.

“Os números citados pelo documento mostram um excelente negócio para Ana Cristina. A Secretaria Municipal da Fazenda da capital fluminense arbitrou para o apartamento um valor de R$ 1.194.191,30. Sobre ele, incidiu o ITBI de 3% – R$ 35.825,74. Ana Cristina “economizou” R$ 774.191,30, equivalente a 64,82% do valor oficialmente apontado pelo município”, traz a reportagem.

Hoje, Ana Cristina é chefe de gabinete de um vereador, em Resende, no Rio.

Leia também:  Impasse pode levar processo contra Lula à prescrição

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. Existiu um comercial que acredito foi baseado nas vendas de imóveis para a famiglia.
    No “reclame” o vendedor falava para o cliente: “quer pagar quanto”?
    Olha, se um deles pular do 20o andar de um edificio pule atrás pois com certeza vai ser um bom negócio.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome