Ex-secretário da Saúde do Rio, Edmar Santos é retirado pela Justiça de pasta do governo

Mesmo em meio às denúncias de corrupção, o governador não retirou Edmar Santos completamente do governo e o nomeou para Secretaria de Acompanhamento da Covid-19

O governador do Rio, Wilson Witzel, ao lado de Edmar Santos - Foto: Carlos Magno / Governo do estado

Jornal GGN – A Justiça do Rio de Janeiro determinou o afastamento de Edmar Santos, alvo da Operação Placebo, da Secretaria de Acompanhamento da Covid-19, criada pelo governador Wilson Witzel. Ex-secretário da Saúde, Witzel o havia demitido quando foram levantadas as suspeitas, pelo noticiário, de irregularidades nos hospitais de campanha e denúncias de corrupção.

Entretanto, mesmo em meio às denúncias de corrupção, o governador não o retirou completamente do governo e o nomeou para as políticas de acompanhamento do coronavírus criadas na pasta.

A juíza Regina Chuquer, da 6ª Vara de Fazenda Pública, considerou que a nomeação de Edmar para o posto não cumpria os princípios constitucionais de moralidade e probidade administrativas. Em sua decisão, a magistrada ressaltou que ainda que seja garantida ao governador a responsabilidade de livre escolha de membros de seu governo, isso não significa “um cheque em branco”.

Em resposta, o governo Witzel afirmou que irá “suspender” a nomeação de Edson, a pedido da Justiça, mas que tentará mantê-lo no cargo e, para isso, vai recorrer judicialmente. Com a medida, o ex-secretário da Saúde perde o foro privilegiado e passa a ser investigado pela Justiça de piso, aonde a Operação é comandada pelo juiz Marcelo Bretas.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Contestação de Aras coloca Lava-Jato em ponto crítico

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome