Jornal divulga trecho da delação de Marcos Valério que cita Aécio

Foto: Geroge Gianni/PSDB
 
 
 
Jornal GGN – O jornal O Tempo teve acesso a alguns anexos da delação premiada de Marcos Valério que contam com um pouco mais de detalhe como Aécio Neves teria se beneficiado de esquemas de corrupção que podem ter envolvido o Banco Rural e a Codemig. Ciente do vazamento, Aécio já saiu pela tangente e respondeu que a denúncia apenas trata de transações “privadas”, não de desvios de verba pública.
 
Um dos trechos expõe que o ex-governador de Minas Gerais teria sido beneficiado por um empréstimo fraudulento que envolvia, além do hoje senador tucano, o ex-presidente da Assembleia Legislativa Mauri Torres, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, e o ex-secretário de governo Danilo de Castro. Os dois são do PSDB.
 
De acordo com a delação, Mauri, antes do mensalão de 2005 estourar na mídia, solicitou ao sócio de Valério nas agências SMPB e DNA Propaganda (Ramon Hollerbach Cardoso) um empréstimo de “valor muito alto” que seria usado para comprar um apartamento na região centro-sil de Belo Horizonte. 
 
Valério diz na delação que ficou acertado de que o empréstimo seria tomado do Banco Rural, mas o plano mudou um pouco depois porque Danilo de Castro, então secretário de Aécio, pediu que o empréstimo também fosse compartilhado com ele e com “então governador”.
 
“Como o valor era um pouco alto, resolvemos, junto com o Banco Rural, fazer um empréstimo com o aval dele [Mauri]. Mas aí surgiu uma demanda do secretário Danilo de Castro, que era para ajudar, além do Mauri Torres, ele próprio e o governador de Minas. (…) Fizemos um financiamento numa quantia maior e repassaríamos todos os valores em dinheiro para Mauri e Danilo”, diz o documento.
 
Quando o escândalo do mensalão entrou em cena, o grupo recuou. Valério diz que pagou o dinheiro solicitado pelos tucanos de seu “próprio bolso” e depois teria sido compensado por verbas desviadas pelo governo Aécio da Codemig.
 
“A partir daí, ficou acertado que o sr. Oswaldo Borges da Costa (ex-presidente da Codemig) iria providenciar o pagamento de tudo e quitar o empréstimo fraudulento feito com o Banco Rural para dar um ar de legalidade à operação”, diz a delação.
 
Procurador pelo jornal O Tempo, a assessoria de Aécio reciclou a mesma resposta dada quando a delação da JBS veio à tona mostrando que o tucano também solicitou um empréstimo de R$ 2 milhões a Joesley Batista. O argumento é o de que trata-se de operação privada, que não envolve (ou envolveu, no caso relatado por Valério) recursos públicos. “Trata-se de uma transação privada, que nada tem a ver com a atividade pública dos citados”, disse o tucano.
 
O secretário de Saúde de Minas durante o mandato de Aécio, Marcus Pestana, aparece na relação recebendo “recursos ilícitos” da DNA. Hoje Pestana é deputado federal pelo PSDB. 
 
Sobre Clésio Andrade, um dos pivôs do mensalão mineiro, Valério diz na delação que diversos deputados estaduais da base do governo foram pagos para que ele fosse indicado candidato a vice na chapa de Azeredo, que buscava a reeleição em 1998.
 
“Valério cita o nome dos deputados Carlos Melles, Bilac Pinto, Sebastião Costa e Paulo Piau como supostos recebedores desses repasses. Além destes, teriam sido realizados pagamentos a pessoas ligadas a Azeredo para ‘convencê-lo’ a aceitar a indicação de Clésio Andrade, como o ex-deputado Amilcar Martins.”
 
Leia a reportagem completa aqui.

8 comentários

  1. uai  ..só este jornal teve

    uai  ..só este jornal teve acesso ?

    O que não vale pra mim não vale pros outros

    se vazamento  ..NÃO dá pra tolerar

    agora  ..que Aócio Never é golpista como o avô  ..isso é outro tema que não vem ao caso

    e sobre Marcos Valério  ..bem ..pegou cadeia demais pros padrões nacionais ..tem que tentar diminuir custe o que custar

  2. Né por nada não, mas esse

    Né por nada não, mas esse jornaleco sempre se calou sobre as bandalheiras do Abominável. O dono desse troço se chama Victório Mediolli, ex-tucano, milionário (ou seja, ladrão de dinheiro público), se elegeu Prefeito de Betim (os brasileiros têm merda na cabeça) e agora tem aspirações maiores (as mesmas do ex-amigo traficante, quer ser governador). Portanto, como fonte de informação essa matéria pode ser considerada mais um lixo jornazístico do pig da roça.

    • Hoje existem “26 municipios

      Hoje existem “26 municipios estrategicos no Brasil”

       

      Baita pilantras. e importados. Mercadoria falsa.

      Ele não é “ex psdb”. Marfrig.

       

  3. Nao tenham a menor
    Nao tenham a menor duvidas,Aecio Neves e a copia fiel e cuspida do retrato do Brasil de hoje.A cara do Executivo,do Legislativo e do Judiciario,especialmente o Ministerio Publico e o Supremo Tribunal Federal.O CCC,o CV,o crime organizado com todos os tentaculos e ramificacoes, a pistolagem do sul do Para,o contrabando,o trafjco de influencia e de drogas,a Grande Midia,os caes de aluguel,as mafias espalhadas aos quatro cantos,enfim,tudo que nao presta pode ser resumido em tres palavras:Aecio Neves e o Brasil,tudo a ver.

  4. Depois dos rasgados elogios

    Depois dos rasgados elogios ao Mineirnho feitos por um juiz da mais Alta Corte, fica difícil acreditar na força de delações partindo de quem quer que seja. 

    Aécio tá lascado pra maioria, porque o povo sentiu-se traído por ele, depois de sair às ruas a defender sua canditadura, e a depositare tantos votos nas urnas confiantes que estavam lutando por um Brasil sem corrupção. Não foi pouca coisa ver o que Aécio e seus familiares viveram nesses últimos meses. Blindado ele sempre esteve, inclusive por Moro, por Gilmar, e hoje até mesmo por Marco Aurélio, que o pôs de volta ao Senado.

    Aécio já foi julgado pelo povo.

  5. Não acredito em nada do que

    Não acredito em nada do que diz Valério. Tudo mentira. Aécio é um bom camarada.

     

    NOSSA, ESTOU FICANDO MENTIROSO!!!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  6. Só agora?

    Acho que o Marcos Valério mentiu na época do julgamento. Bastaria isso para não ser ouvido nem premiado.

    Valério, assim como outros espertos que “lembram” de falar depois que mentiram, deveria ser punido pelo seu silêncio criminoso e não premiado pela sua súbita e interesseira ação extemporânea.

    Isso vale para os “Cunha” da vida e para todos os que jogam de espertos com esse privilégio estúpido com que a justiça premia a quem mentiu na hora em que tinha que falar.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome