Justiça solta últimos presos temporário da Operação Carne Fraca

operacao_carne_fraca.jpg

Da Agência Brasil

Luciano Nascimento – Repórter da Agência Brasil
 
O juiz federal Marcos Josegrei da Silva determinou a soltura dos três presos na Operação Carne Fraca, da Polícia Federal. A decisão do juiz, que é responsável pela operação, foi tomada ontem (25). Ele determinou a soltura de Rafael Nojiri Gonçalves, Antônio Garcez da Luz e Brandízio Dario Júnior.
 
Os três eram os últimos que ainda estavam presos temporariamente, uma vez que o magistrado havia prorrogado a custódia deles por mais cinco dias. No dia 22, o juiz já havia determinada a liberação de outros oito presos temporários.
 
Ainda estão presas preventivamente 25 pessoas, que não têm prazo para deixar a prisão. Também há um empresário considerado foragido, Nilson Alves Ribeiro.

 
Deflagrada pela Polícia Federal (PF), no último dia 17, a Operação Carne Fraca apura corrupção na Superintendência Federal de Agricultura no Estado do Paraná (SFA/PR) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. No rol de empresas investigadas pela Polícia Federal estão a JBS, dona das marcas Seara e da Big Frango; a BRF, controladora da Sadia e da Perdigão; e os frigoríficos Larissa, Peccin e Souza Ramos.
 
A PF investiga o pagamento de propinas a fiscais federais agropecuários e agentes de inspeção em razão da comercialização de certificados sanitários e aproveitamento de carne estragada para produção de gêneros alimentícios.
 
Segundo a PF, os fiscais investigados na operação recebiam propina das empresas para emitir certificados sanitários sem fiscalização efetiva da carne e que o esquema permitia que produtos com prazo de validade vencido e com composição adulterada chegassem a ser comercializados. De acordo com a operação, eram usadas substâncias para “maquiar” a carne vencida.
 
Ao todo, foram expedidos 27 mandados judiciais de prisão preventiva, 11 de prisão temporária, 77 de condução coercitiva e 194 de busca e apreensão. Ao todo, 21 frigoríficos são investigados na operação. Além disso, o Ministério da Agricultura afastou 33 fiscais de suas atividades.
Leia também:  Moro assume cargo de diretor em empresa que atende Odebrecht

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

10 comentários

  1. “Os três eram os últimos que

    “Os três eram os últimos que ainda estavam presos”:

    E nao teve mil pollicias federais de merda pra os levar pra casa dessa vez?

    Na hora de prender teve ou nao teve?

    Na hora de desgracar o Brasil internacionalmente aas maos de um delegado de merda com palavra de delegado de merda do Brasil, teve, nao teve?

    Porque eh que nao houve mil policias federais de merda pra os levar pra casa dessa vez?

  2. “Se gritar ‘pega ladrão’ num

    “Se gritar ‘pega ladrão’ num fica um, meu irmão. Se gritar “pega ladrão’…” — Zeca Pagodinho

     

    Nassif: tão falando que no Jaburu é só festa…

  3. O objetivo foi cumprido

    O objetivo da operação era desacreditar a pecuária brasileira, de acordo com as ordens do Pentágono. Esse objetivo foi cumprido. Agora já não há necessidade de manter presos.

  4. Como era de esperar, já

    Como era de esperar, já começaram as AÇÕES JUDICIAIS nos Estados Unidos contra frigorificos brasileiros

    para extorquir indenizações que sairão do Brasil. O mesmo escritorio Rosen Law que entrou com ações contra a Petrobras

    já protocolou ação contra a JBS no distrito judicial leste da Pennsylvania.

    O roteiro é o mesmo, como novela da Globo, começa um inqueirito no Brasil por corrupção e com base nesse inquerito

    esse escritorio e outros procuram acionistas americanos dessas empresas que abrem procsso para fazer ACORDO mediante boa compensação, o escritorio fica com uma parte. O Rosen está se especializando em processar empresas brasileiras, parece que é um negocio de grande futuro, o ninho do processo está no Brasil, lá eles colhem os frutos.

    • André, esses abutres vivem

      André, esses abutres vivem disso.

      E como o País está de 4 fica ainda mais fácil tirar lasquinhas ou grandes pedaços.

      Só uma dúvida, a BRF tem ações nos EUA ? Ou esse processo é baseado simplesmente em operações que a empresa tem por lá ?

       

       

      • A BRF tem ações listadas na

        A BRF tem ações listadas na Bolsa de Nova York. O processo “class action” de acionistas minoritarios é baseado no fato de que a BRF no Brasil infringiu a LEI AMERICANA ANTI-CORRUPÇÃO. É um principio de extensão da jurisdição americana sobre o Brasil, alegremente aceita pelo MPF e pelos tribunais brasileiros, não vi ninguem contestar e no entanto é uma ABSURDO JURIDICO aceitarmos um sistema juridico de outro pais como se isso fosse normal.

        A BRF tem 80 anos, fundada por Attilio Vivacqua em Santa Catarina, nunca precisou de corrupção mas a PF disse que eles davam alguma coisa a fiscais. No Brasil as empresas pagam fiscais não para quebrarem a lei, pagam para poder funcionar,

        um fiscal dentro da empresa pode paralisa-la por qualquer pelo em ovo real ou inventado.

        • Obrigado pela resposta

          Obrigado pela resposta André.

          Realmente, um absurdo jurídico e político.

          O País e o Estado estão acovardado e a população média completamente imbecilizada.

          O que me espanta são os empresários, será que não vai cair a ficha deles ?

          Engraçado, até agora o Abílio está quietinho, não falou nada para defender a empresa da qual preside o Conselho.

           

           

  5. Quanto custará o desastre

    Nassif, ainda não estimou o dano a economia do país causada pelo desastre da politica federal politizada de amiguinhos do psdb e associados da globo?

    Estimo por baixo como algo como 30 bilhões de dólares só de perdas de exportação nos próximos 10 anos, período que com muito trabalho quase se recuperará o mercado perdido. 

    Sem falar nas centenas de milhares de desempregados.

    Informe a esta pf que fiscal desonesto na grande maioria das veses não libera produto sem fiscalização, isto é fiscal bobo, mas chantageia para não criar embaraços.  Há várias instâncias de fiscalização e uma só pode chantagear para não embargar ou atrasar o desembaraço. Qualquer leigo como eu sabe disso. A pf não sabe disso? Acusaram a carne se ser podre sem razão e sem noção. E a globo que encampou o “escândalo” não vai ser acionada?  

    Onde estão os economistas? Onde estão os cálculos? Quantas escolas, hospitais, etc a globo estima que foram inviabilizados? Quanto fica mais dificil a recuparação da economia já devassada pelo governo temer? Quanto desemprego a pf e a globo causaram sem nenhuma razão a não ser de escandalizar mais o país? 

    Foi no terceiro “aniversário” da lava jato. Comemoração muito devida e própria.

    • Só o LULA!

      Acho que ninguÉm duvida, SÓ O LULA COM SEU PRESTÍGIO LÁ FORA PODERIA RECUPERAR O MERCADO INTERNAIONAL DA CARNE BRASILEIRA, jogado fora pela pf aecista.. Só ele, LULA, e mais ninguém.

       

  6. Operação Carne Fraca: Uma Cortina de Fumaça

    A operação carne fraca não passa de uma cortina de fumaça para desviar a atenção da população da retirada de direitos sociais e trabalhistas. Enquanto a população, que nem sequer consome carne, em virtude de seu baixo poder aquisitivo, fica discutindo se a carne é forte ou é fraca, os Trogloditas estão fazendo o maior desmonte nacional, promovendo recuos sociais.

    Não que os alimentos comercializados pela burguesia não contenham imundícies. Até uma criança sabe que a burguesia, para garantir sua maximização de lucro, comercializa até bosta disfarçada de caviar. O problema é porque só agora esses Trogloditas despertaram e começaram a ‘combater’ essa porcaria?

    Quando a esmola é grande o cego desconfia.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome