Lava Jato recicla depoimento vazado contra Lula sem avançar na investigação

Além de usar uma delação não homologada na denúncia contra Lula, Lava Jato demonstra que não avançou em nada em relação aos fatos narrados por Pedro Corrêa há quatro meses

Jornal GGN – Pedro Corrêa, ex-deputado do PP,  é uma figura curiosa na Lava Jato. Foi o único réu da operação que conseguiu fazer o sisudo Sergio Moro cair na gargalhada durante um depoimento. O mérito é da leveza com que admite os crimes de corrupção que vinha cometendo há mais de 30 anos – isso mesmo, muito antes do PT chegar ao poder.

No começo deste mês, em depoimento à força-tarefa para instruir um processo contra Lula, ele disparou que nunca esteve preocupado com o desenvolvimento da Petrobras, mas sim em desviar dinheiro da estatal para injetar em políticos do PP, impulsionando o desempenho da legenda. Além da naturalidade com que conta os esquemas, também gosta de interromper a entrevista para fazer comentários aleatórios. Por exemplo, que seria uma piada a vitória de Lucina Genro (PSOL) na disputa pela prefeitura de Porto Alegre, embora ela lidere pesquisas de opinião.

Esse depoimento recente de Corrêa foi publicado na página do Estadão no dia 15 de setembro [assista ao vídeo abaixo]. Um dia antes, a Lava Jato promoveu uma coletiva de imprensa em que expôs Lula como o chefe de toda a corrupção que existe no plano federal. Para subsidiar a denúncia, usou vários trechos da delação na qual o ex-deputado afirma que Lula sabia dos fins arrecadatórios das indicações políticas para a Petrobras. 

https://www.youtube.com/watch?v=gWq-fPIRF0A]

Leia também:  Moro: conversei mesmo, não teve ilegalidade, mas não confirmo as mensagens

Com um calhamaço em mãos – provavelmente, cópia da delação premiada que acertou com o Ministério Público Federal no começo do ano – Pedro Corrêa lê tudo o que já disse antes sobre Lula. Inclusive resgata o episódio em que o ex-presidente teria ameaçado demitir o Conselho Administrativo da Petrobras caso Paulo Roberto Costa não fosse nomeado para a diretoria de abastecimento, atendendo ao apelo do PP.

O uso desse depoimento – que foi vazado para a revista Veja há quatro meses – não pegou bem na mídia. A defesa de Lula apontou a fragilidade das informações e sua falta de validade legal. Isso porque o Supremo Tribunal Federal ainda não homologou a delação.

Mas além de usar uma delação não homologada, o depoimento de Corrêa à Lava Jato na denúncia contra Lula demonstra que a operação não avançou em nada em relação aos fatos narrados pelo ex-deputado em maio.

Diferentemente do que ocorre na delação recente de Delcídio do Amaral, por exemplo, onde há comentários sobre a existência de provas materiais e dúvidas por parte dos investigadores, com Pedro Corrêa, a Lava Jato limita-se a ouvir mais do mesmo.

Vista grossa

Como fez com Delcídio, Lava Jato repete com Corrêa o padrão de mostrar total desprezo por qualquer indício de corrupção que tenha ocorrido antes do governo Lula ou que atinja partidos que não sejam PT, PMDB e PP.

É o que transparece quando Corrêa diz que Paulo Roberto Costa, no “delírio” de ser presidente da Petrobras, começou a “servir” todos os partidos, incluindo o PSDB. Não há perguntas sobre quem eram os tucanos que tratavam com o ex-diretor e quais os contratos corrompidos para além do episódio de Sergio Guerra e a CPI da Petrobras.

Leia também:  Em um regime legal, pode haver punição sem crime? Por que esta pergunta não faz sentido?, por Katarina Peixoto

O comportamento é repetido com Delcídio, que aparece em outras delações como um ex-diretor da Petrobras, do governo FHC, que vinha atuando nesse esquema de desvio de dinheiro da estatal muito antes da chegada de Lula à Presidência. Os crimes do ex-senador não foram vazados.

Basicamente, Pedro Corrêa colabora com a denúncia contra Lula alegando que o petista podia não ter conhecimento de todos os centavos roubados da Petrobras, mas com certeza sabia que os partidos da base aliada, pós-mensalão, eram pagos para apoiar o governo dessa maneira.

Mais sobre o depoimento vazado à Veja:

[video:https://www.youtube.com/watch?v=MvBsOrwFYGY height:394

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

8 comentários

  1. zóia

    O filme não é sobre a delação. O philme é sobre a revista veja.

    Parece que isso é um comercial da revista com aparência de telejornal.

    A revista não leio, a tv não assisto.

    A mim parece mais um estelionato eleitoral nos moldes do “eles sabiam de tudo” da véspera da eleição presidencial.

  2. Muitas ilações sem provas

    E se colocassemos assim:

    Basicamente, Pedro Correa colabora com a denúncia contra Fernando Henrique Cardoso alegando que o tucano podia não ter conhecimento de todos os centavos roubados da Petrobras, mas com certeza sabia que os partidos da base aliada, eram pagos para apoiar o governo dessa maneira.

    Segundo sabe-se, no periodo FHC a propinacracia também existia na Petrobras… E ai, porque FHC jamais foi perseguido e teve sua vida devassada tal qual Lula? Questão de tempo? Ou porque não se tem provas, tanto quanto não se tem contra Lula, apenas ilações.

  3. É a “teoria do domínio do fato” revisitada.

    Prezados,

     

    Essa quadrilha, essa gangue, essa ORCRIM da Fraude a Jato se pensa muito inteligente e criativa, mas na verdade os integrantes dela são apenas soldados-repetidores das instruções. O charlatanismo e fundamentalismo religioso-patológico demonstrado por dallagnol e quejandos não esconde o que caracteriza essa e diferencia esses funcionários públicos criminosos, règiamente pagos com o dinheiro dos impostos recolhidos de todos nós: O CARÁTER NAZIFASCISTA, PRONTO E ACABADO.

    Mas o pior é que até na maldade os canalhas da Fraude a Jato são falsos, pois ao contrário dos fascistas italianos e dos nazistas alemães, que eram nacionalistas extremossos, OS NAZIFASCISTAS BRASILEIROS SÃO VIRA-LATAS E ENTREGUISTAS.

    Como sentenciou Wanderley Guilherme dos Santos, a chamada “Lava a Jato” é uma fraude política, tocada por publicitários.

  4. Hoje li que 12 políticos são
    Hoje li que 12 políticos são denunciados e ai moro vc não vai fazer nada só porque são graúdos de outros partidos.
    Aécio Temer. Serra. FHC…. Alkimim. Renan..o atual homem forte de Temer que não lembro o nome é muitos mais

  5. Luciana Genro ganhar uma eleição é piada?

    Piada para mim e ver a turma do PP, senadora Ana Amélia a frente- aquela que era funcionaria fantasma do senado- falar em moralidade. Isso sim é uma piada!

    O caso da Ana Amélia é fichinha perto destes personagens: Pedro Correa, Jose Janene, João Pizzolati …a fina flor da ladroagem.

    O Moro acha engraçado. Para mim é outra coisa.

  6. Será que o ze cardoso ainda

    Será que o ze cardoso ainda está achando que as instituições estão funcionando normalmente?

    Será que os petistas, mesmo depois do mensalão, ainda pensam que a perseguição aos petistas iria parar com ze dirceu condenado a prisão perpétua?

    Sinceramente, as forças da direita são muito fortes, mas os governos lula, e principalmente dilma (a maria louca), contribuiram em muito sobre o atual enrrascada por que passa os principais diregentes petistas.

    A recondução do janto depois do que ele fez com genoino é de corar qualquer um. Estou assustado com visão de poder que essa mulher tem. A pergunta é: onde estão os assessores do PT? será que não tem ninguem lá que possa entender de jogo de poder? mesmo depois de 13 anos.

    Já observaram que NENHUM dos ministros moneado pela dupla se levanta para protestar contras os abusos da lava? o contrário ocorre do outro lado. Gilmar não perde uma opornidade para defender quem o colocou lá. Lealdade maior, impossível.

    Uma lição deve  ser aprendida pelos petistas: política não é para amadores e nem para os que não entendem o jogo de poder. Se não souber disso, melhor não entrar.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome