O Sérgio Moro de Ribeirão Bonito, por Luis Nassif

A pequena cidade de Ribeirão Bonito, perto de São Carlos, viveu um caso exemplar do punitivismo turbinado pela mídia.

Em fins dos anos 90, cinco filhos da cidade, bem-sucedidos em suas profissões, decidiram montar uma ONG para ajudar na transparência municipal. O caso foi repercutido por todo o país, como exemplo das novas formas de organização social.

A presidência ficou nas mãos de um ex-presidente da Klabin, Josmar Verillo. O primeiro caso identificado mereceu cobertura do Fantástico e da imprensa nacional. Assim como Sérgio Moro e Deltan Dallagnol, o sucesso subiu à cabeça do sujeito. Passou a buscar fatos novos que permitissem manter a ONG na onda da mídia.

O prefeito da cidade, Rubens Gayoso Júnior, era visto por todos como uma figura adorável.  Na ânsia de buscar escândalo, Josmar levantou um anúncio publicado no jornal de São Carlos. E constatou que a prefeitura pagou o equivalente a 80 cm2 a mais do que foi publicado. O valor era irrisório.

A partir dessa tolice, moveu uma campanha inclemente contra o prefeito, contra a opinião de outros conselheiros, que consideravam ridícula a denúncia.

Pouco antes, Rubens havia denunciado vereadores que tentavam achacar  a prefeitura. Montou-se, então, um jogo já conhecido. Numa ponta, Jomar buzinando a falsa denúncia; na outra, a Câmara fortalecida com as denúncias contra o prefeito, articulando o impeachment.

A campanha produziu uma depressão no prefeito Rubens, que acabou em um câncer fulminante. Os demais conselheiros deixaram a ONG, que encerrou suas atividades. Projetos relevantes para a cidade, como a reforma do grupo escolar, a recuperação do cinema, ficaram parados, destruídos pelo exibicionismo de Jomar.

Hoje em dia, em Ribeirão Bonito, a lembrança de Rubens, o Rubinho, é celebrada como a do maior prefeito que a cidade teve. Josmar encerrou sua carreira de executivo, meteu-se em negócios mal-sucedidos. Não dá mais com as caras pela cidade. Vive das lembranças de inquisidor, como membro da Transparência Internacional.

Na cidade, as ruínas da escola e do cinema são o exemplo mais eloquente dos malefícios do punitivismo desregrado e de sua parceria com a mídia.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Gilmar critica relação da mídia com Lava Jato e Bial defende Globo

8 comentários

  1. Faltaram muitas informações.
    Faltaram muitas informações. Rubens Gayoso denunciou 3 vereadores por corrupção. A câmara então se voltou contra ele e efetivamente o cassou por causa dos anúncios de jornal. Rubens Gayoso era do PT.

    Ou seja, não só prenúncio do atual punitivismo, mas prenúncio de golpe parlamentar.

  2. Faltaram muitas informações.
    Faltaram muitas informações. Rubens Gayoso denunciou 3 vereadores por corrupção. A câmara então se voltou contra ele e efetivamente o cassou por causa dos anúncios de jornal. Rubens Gayoso era do PT.

    Ou seja, não só prenúncio do atual punitivismo, mas prenúncio de golpe parlamentar.

  3. Tacla Duran
    E o que vai acontecer com esta turma de Curitiba. Os depoimentos de Tacla Duran cada dia é difundido na sociedade e desmascarando os Morrow é DD de Curitiba. Juiz que se pendura na fama tem vida curta. A fama é passageira e traiçoeira.

  4. Tacla Duran
    E o que vai acontecer com esta turma de Curitiba. Os depoimentos de Tacla Duran cada dia é difundido na sociedade e desmascarando os Morrow é DD de Curitiba. Juiz que se pendura na fama tem vida curta. A fama é passageira e traiçoeira.

  5. Se tornou rotins….em 2015 a
    Se tornou rotins….em 2015 a Lava Jato ja havia dado prejuizo de 150 bi ao pais….somado o golpe e o perdāo de dividas trilhionárias pelo golpistas, a Lava Jato não nos trouxe sequer 1 beneficio

  6. O Sérgio Moro de Ribeirão Bonito.
    Antoninho Marmo Trevisan, Josmar Verillo, José Chizzotti e outros, a partir de orientação que dei a Trevisan, depuseram, devidamente, Sérgio Buzza. Venho junto à Transparência Internacional desde 1988. Elegeram Rubens Gayoso Júnior, parente de Trevisan, com promessas de indústrias, usina de álcool, etc. Depuseram Rubinho, que voltou ao cargo, mas morreu de câncer. De “progresso” apenas uma filial da Faculdade Trevisan. Nada mais. De todos, apenas, Josmar mora em um Eco Resort, sem dar a mínima para o crack que grassa em RB.

  7. O Sérgio Moro de Ribeirão Bonito.
    Antoninho Marmo Trevisan, orientado por mim, que estou com a Transparência Internacional desde 1988, Josmar Verillo, José Chizzotti e outros depuseram Sérgio Buzza. Elegeram Rubens Gayoso Júnior, PMDB e PT de última hora, depuseram-no. Ele voltou ao cargo e morreu de câncer. Dos “progressos” prometidos, apenas uma filial da Faculdade Trevisan. De todos, apenas Josmar Verillo reside em Ribeirão Bonito, num Eco Resort. Todos estão pouco se lixando com o crack, a AIDS e o aumento de câncer, que grassam o município.

  8. Exemplos como esses, existes

    Exemplos como esses, existem em muitas cidades brasileiras. E toda vez que uma cidade passa por casos assim, leva-se muito tempo para se reconstruir. Fico pensando no caso do Pais todo vivendo essa trapalhada sem fim de todos os seus poderes. Quanto tempo para recuperar tudo o que estamos perdendo…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome