Perícia da PF vai ajudar acusados pela Odebrecht

Foto DW
 
Jornal GGN – A coluna Painel, da Folha, traz a nova de que o laudo da perícia da Polícia Federal sobre os sistemas que registravam pagamentos de propina da Odebrecht ainda levarão o assunto longe. Isso porque a certeza de que arquivos foram apagados e foram identficadas várias omissões serão exploradas pela defesa de dezenas de acusados nos processos em que a Odebrecht forneceu munição.
 
Segundo a coluna, o fato da empresa ter apagado arquivos pode alimentar uma outra guerra, e desta vez particular, entre Marcelo Odebrecht e seu cunhado, Maurício Ferro.

 
Ferro foi vice-presidente jurídico da empresa e trava esta guerra particular com Marcelo Odebrecht desde que ele insinuou em depoimento sigiloso, obtido pela Folha, que o cunhado ajudou a empreiteira a destruir provas.
 
Representantes da empresa não entenderam que a perícia poderia ser negativa neste aspecto, e se disseram satisfeitos com relação ao processo de compra de terreno para o Instituto Lula, o exame teria comprovado idoneidade das provas.
 
Entretanto a empresa parece ignorar o que vem por aí a partir da perícia, e ensaiam uma estratégia dizendo que, quando houve a destruição de dados, em 2015, a Odebrecht ainda não pensava em colaborar na guerrinha da Lava Jato.
 
Com informações da Folha

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Justiça descobre pessoas por trás de perfis que comemoraram a morte do neto de Lula

2 comentários

  1. A manchete complementar

    A manchete complementar deveria ser: com exceção do Lula e dos petistas. O resto nem precisava inocentar, já estão lavados desde sempre. Lembra da foto do Moro com o Aécio? Ou como disse o Marco Aurélio: um exemplar homem público e paí de família.

  2. Me engana que eu gosto

    Quem lê uma notícia dessa no “Folha de São Paulo” pode até pensar que a empresa privada que o publica não está alinhada com o golpe, quem sabe até esquecer-se de que Geraldo Alckmin nomeou não um mas dois “argumentos de venda” da sua gestão com homenagens à família Frias (o hospital de tratamento de cânceres e a ponte estaiada). Alguém já viu uma cidade em que dois de seus “monumentos” homenageam a mesma pessoa?

    E ainda por cima uma pessoa que não é médica (hospital) nem engenheira (ponte) mas sim jornalista. Sim, o mesmo Geraldo Alckmin que vendeu a água que brota no nosso solo lá no estrangeiro para que compremo-la lá (no estrangeiro) tem um carinho imenso pela família dona da empresa que publica esse jornal. Sim, o Geraldo Alckmin, aquele amigo do Aécio, do Huck, do Dória, do FHC que, por sua vez, assumiu dois filhos que não eram seus, um de carne e osso outro chamado “real”…

    A turma do golpe agradece a esse jornal: que mal pode fazer uma notícia dessas perto do benefício que é cooptar corações e mentes, fazer a turma acreditar que o jornal é imparcial? É preciso uma chapa branca disfarçada de civil, né?

     

    P.S.: A Sabesp está fazendo um show, incomodando um monte de gente (“Desculpe-nos pelo incômodo, estamos trabalhando para você”) passando vistosas mangueiras azuis em áreas da cidade em que pretende ajudar a Folha a conquistar corações e mentes. E votos para as eleições desse ano. Só pode ser coisa do combinado Alckmin-Dória; Alckmin passou 20 anos sem trocar um cano de rua que fosse. Esse Dória é bom em propaganda, hein? Imagem – tendo realidade por trás ou não – é com ele mesmo… E imaginar que a turma compra haver uma briguinha entre dois, é mole? Me engana que eu gosto.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome