Quem colocou as tarjas pretas no documento da PF?

Por Stanley Burburinho

Quem colocou as tarjas pretas no documento da Polícia Federal, sobre os e-mails do Marcelo Odebrecht, publicado pelo Estadão: um jornalista do Estadão ou alguém da Polícia Federal? Posso estar enganado. Veja abaixo:

Fiz  download do arquivo “.pdf “ pulicado pelo jornal Estadão com o relatório da Polícia Federal sobre os e-mails de Marcelo Odebrecht. Para acessar o documento publicado pelo Estadão, use este link: http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/wp-content/uploads/sites/41/2015/07/relatoriotelefonemarceloodebrechtok1.pdf

Abri o arquivo com o Adobe Reader e cliquei com o botão direito do mouse sobre o arquivo “.pdf” e cliquei no item “Propriedades do documento” que é o último item da janela que aparece e depois cliquei na aba “Descrição”. Surgiu a janela com a imagem abaixo. (Você não conseguirá fazer isso sem fazer download do “.pdf” publicado pelo Estadão. Dentro do Chrome ou qualquer outro browser você não conseguirá ter acesso às propriedades do documento. Acho que não previram isso como também esqueceram de inibir a opção “Salvar como” que permite fazer o download.)

Reparei que alguém no Estadão, no dia 20/07/2015, às 23h15m, converteu o documento original enviado por alguém da Polícia Federal para o formato “.pdf” usando o software PDFCreator Version 1.3.2. (ver a marcação na cor verde). Pode ser também que alguém na PF fez a conversão. Mas devido a hora que a conversão foi feita, acho difícil. Será fácil de saber.

Reparei que o autor do “.pdf” é alguém que usa o login “mc110215” (ver a marcação  na cor vermelha) que é colocado automaticamente pelo software que faz a conversão  para o formato “.pdf”.

Posso estar enganado, mas “mc110215” pode ser Mateus Coutinho, um dos jornalistas do Estadão que assinou a matéria que publicou o documento da PF:

Leia também:  Diante de Lula, Moro negou influência sobre o que a mídia publica

 

http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/relatorio-mostra-siglas-de-marcelo-odebrecht-para-politicos/

No documento existem vários trechos com tarjas de diversas cores, que vazam o texto embaixo, somente para realçar algum ponto, mas nenhuma com a cor preta opaca com o objetivo de esconder. Se você der um “copy” no parágrafo que têm as tarjas pretas e em seguida der um “paste” em qualquer editor de texto, tipo Notepad, o texto embaixo das tarjas pretas aparecerão.

O número “110215” do login “mc110215” pode ser, não estou afirmando, o número de matrícula de funcionário do Estadão? O juiz Moro disse hoje na imprensa que pediu que esclarecessem o motivo das tarjas pretas. Veja abaixo:

PF terá que explicar por que blindou Serra no Código Odebrecht” – http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/189860/PF-ter%C3%A1-que-explicar-por-que-blindou-Serra-no-C%C3%B3digo-Odebrecht.htm

Alguém da PF terá que aparecer para dizer se colocou ou não as tarjas pretas o que pode revelar quem da PF vaza para a velha mídia. Desconfio que algum jornalista do Estadão assumirá para não comprometer a sua fonte na PF.

Curiosidade: as páginas 23, 24 e 25 estão em branco no documento publicado pelo Estadão. Mas se você copiar e colar em qualquer editor de texto verá a troca de e-mails com os bastidores de uma entrevista que alguns grandes empresários dariam ou deram para a Folha durante a eleição passada.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  "Combate à corrupção que desrespeita direitos fundamentais destrói democracia"

85 comentários

  1. Um jornal colocar tarja preta
    Um jornal colocar tarja preta em documento divulgado no mesmo?
    Aí é para fechar as portas!

    Pode fechar este jornal! Não serve para nada!

    • Um jornal colocar tarja preta . . .

      Como o jornal não serve para nada?
      Tenho uma cadela em casa que nos exige MITO jornal para manter o seu canto preferido minimamente aceitável !!!

  2. Excelente.
    Alguém ficará mal
    Excelente.

    Alguém ficará mal nesta história:

    – Ou o cambaleante Estadão, por deixar escancarado que não é isento e protege Serra.

    – Ou a PF, revelando totalmente sua parcialidade nesta operação.

    No mais, vão abafar isso rapidinho.

  3. A única consquência prática

    A única consquência prática de tudo isso: os jornais não vão mais disponibilizar os pdfs para download. No mais, no país do Cardoso, tudo continuará como antes, com vazamentos impunes aos borbotões

  4. Que pilantragem, Sr. juiz

    Que pilantragem, Sr. juiz Moro. Morou? Se essa historinha se confirmar, cada vez mais esclarece o viés de perseguição judicial a um partido politico.

  5. Finalmente um tópico sensato.

    A emenda das tarjas pretas ficou pior que o soneto. Interessa saber quem as colocou, mas interessa mais ainda saber quem a vazou para a mídia, pois dsta nada se espera mesmo. Ainda que o jornalista assuma o prejuízo, ficará marcado para o resto da vida como um imbecil que não entende nada de informática ou um cretino que publica apenas o que lhe convém.

    • Bom dia! Dormiu bem?Então

      Bom dia! Dormiu bem?

      Então você agora reconhece que o objetivo não era fazer Justiça coisa nenhuma, mas sim interferir na disputa política, né?

      Ou vai continuar fingindo que foi somente um “erro” do concurseiro ou do “jornalista”?

      Uma advogada que patrocinou as “delações” sob a tese do “projeto de poder” até pediu pra sair….

      … Ai, ai… “Projeto de poder”… Como se isso não fosse o mais elementar da Democracia: políticos e partidos querendo adquirir e exercer o Poder…

      Aliás, não é nem o “beabá”, afinal isso requer alguma alfabetização política: trata-se do papa-mama (sic), mesmo!

      Concurseiros….

      “Jornalistas”…

      Todos fazendo o jogo dos que mais se apegam ao financiamento empresarial de campanha…

       

  6. Não tem um delegado da PF do Paraná

    que é deputado federal do PSDB?

    É preocupante a partidarização de funcionários públicos.

    Mas aqui é o Brasil.

    As esculhambações do setor público e do setor privado são notórias.

    E o cidadão é quem paga a conta, seja como contribuinte, seja como consumidor.

    VTNC todos.

  7. Não tem um delegado da PF do Paraná

    que é deputado federal do PSDB?

    É preocupante a partidarização de funcionários públicos.

    Mas aqui é o Brasil.

    As esculhambações do setor público e do setor privado são notórias.

    E o cidadão é quem paga a conta, seja como contribuinte, seja como consumidor.

    VTNC todos.

  8. Não há crime perfeito. E há

    Não há crime perfeito. E há um montão de jornalistas incompetentes.

  9. De tudo o que li até agora

    De tudo o que li até agora sobre esse relatório, prudente e sensata mesmo é a análise crítica feita pelo jornalista Miguel do Rosário, do blog “O Cafèzinho”. Miguel do Rosário percebeu na divulgação das siglas de fácil decifração e nas pseudo-tarjas uma armação par enganar os leitores mais desavisados. Destaco abaixo um trecho da análise de Miguel do Rosário.

    “Numa guerra, como se sabe, a primeira vítima é a verdade. E as mentiras são construídas não como o oposto à verdade. Não há mentiras puras, porque senão seriam apenas verdades pelo avesso.

    A mentira propriamente dita é sempre uma meia verdade. Há distorções, às vezes sutis, e por isso mesmo poderosas; é aí que mora a mentira.

    Esse relatório da Polícia Federal, vazado com nomes cobertos por tarjas pretas, revela antes uma armadilha, uma tática para gerar mistério e interesse na sociedade.

    Qualquer internauta pode remover as tarjas pretas e os nomes continuavam pesquisáveis na ferramenta de buscar/editar.

    Ou seja, as tarjas pretas são um engodo.

    A troco de quê vazar um documento com tarjas facilmente removíveis?

    A inclusão de JS (José Serra) pode ter sido apenas cálculo. Tipo assim: vamos jogar um nome da oposição, para criar um frisson entre petistas.”

  10. Hilário!

    Se vc abrir o arquivo e der um ctrl + f no termo “José Serra” a busca vai dar justamente embaixo da tarja preta… Se der um ctrl + f no termo “folha” vai parar na página em branco…

    Haja gardenal…

  11. truque para descobrir o texto escondido

    Só não consegui ver o que tem nos retãngilos pretos.

    Usei uma ferramenta para visualizar documentos PDF (“Okular” no Linux).

    use a ferramenta para copiar textos.

     

    na página 12, tem uma tarja preta no texto. mas copiando e colando em um arquivo, podemos ler:

     

    Continuando, ainda relacionado a Rogerio Araújo, Marcelo ainda utiliza
    diversas siglas como PRC, EA, VH, JS, CMP, MG, as quais possivelmente se referem
    a Paulo Roberto Costa, Euzenando Azevedo (Odebrecht), Vitor Hallack (Camargo
    Correa), José Serra (Senador), Cesar Mata Pires (OAS) e Miguel Gradin.
     

    Página 13:

    p { margin-bottom: 0.25cm; line-height: 120%; }

    Identificação de Jose Serra (JS) o telefone da secretária (11) 3087.1450 está registrado em nome de Jose Serra, o endereço da Joaquim Antunes, possui telefone (11) 2157.2104 registrado em nome de Jose Serra.

     

    Pagina 14:

    Adiante Marcelo utiliza a sigla FP – verificando as demais anotações
    constantes do aparelho em análise, verifica-se que tais letras são as iniciais de
    Fernando Pimentel (atual governador de Minas Gerais) – para escrever a enigmática
    frase “ela cai eu caio”.

    Inclusive o endereço supracitado é o mesmo encontrado no cadastro de
    pessoa física (CPF) de Fernando Damata Pimentel.

     

    Página 19:

    O assunto da anotação indica as siglas GM e JEC, as quais pertencem,
    possivelmente a Guido Mantega e José Eduardo Cardoso, contudo não é possível
    precisar qual seria a razão do pedido de blindagem por parte de Mantega.
     

    Já para Edinho (Edinho Silva) anota-se que o mesmo deve ter visão geral
    da conta, inclusive com os gastos de Haddad.
     

     

    Página 20:

    Com relação a Adams, possível referência a Luís Inácio Lucena Adams
    (AGU), Marcelo diz que não abre mão de receber faturas Brenco (Companhia Brasileira
    de Energia Renovável), empresa produtora de etanol, controlada pela ETH Bioenergia
    (Odebrecht).

    Em outro tópico, cujo título é “CREDITOS”, temos menção a BMX e a
    indicação dos nomes de Vacareza e Zaratini, possivelmente Candido Vacarezza e
    Carlos Zaratini (ambos do PT/SP), relacionados a eles o percentual de 3% com a
    observação de “aproximadamente 27M” (possivelmente 27 milhões), destes 25 para GM
    e 2 para Vacarezza e Zaratini.
     

    No tópico “Notas Antigas”, temos menção a um adiantamento de 15, sem
    especificar a moeda e sua quantidade, para JS, o qual, possivelmente indica a pessoa
    de José Serra, como já visto anteriormente, e em seguida consta a anotação “IPI até
    dez e pis/cofins até jan”.
     

    Página 21:

    Observo que as siglas V’i e V’a podem ser referência tanto a Vacarri como
    a Vacarezza, entretanto Z refere-se a Zaratini (Carlos Zaratini), com relação a G não foi
    possível sua individualização, entretanto encontramos duas referências na agenda de
    contatos do aparelho em análise, sendo que na mais recente liga-o ao e-mail
    fei.zou@gmail.com.
     

    A sigla BM pode se referir a Blairo Maggi, contudo não há indicações
    concretas de que se trate do mesmo.
     

     

    Página 23:

    Marcelo e seus colaboradores, verifica-se a intenção de conceder a entrevista somente
    se as perguntas forem antecipadas e sem conteúdo polêmico. Inclusive Sergio Bourroul
    argumenta que só vale a pena a entrevista se for possível mandar recados, não
    mencionando para quem, nem que tipo de recado seria, inclusive instrui Marcelo a
    capitalizar a concessão da entrevista, dizendo que que “abriu uma exceção em
    consideração ao pedido da direção do jornal”.
    2110
    Hora de início:
    28/08/2014
    13:30:00(UTC+0)
    Hora final:
    28/08/2014
    15:00:00(UTC+0)
    Assunto: Entrevista Folha de São Paulo (David Friedlander e
    Raquel Landim),
    Assistentes:
    Localização: sala reuniões DP – 15o andar
    Detalhes:
    SB na coordenação.
    Marcelo,
    a primeira entrevista da série será com Abilio Diniz, a ser
    publicada neste domingo, dia 24. A sua será a segunda, no
    dia 31.
    A reportagem estava aguardando as confirmações de Murilo
    (Vale), Roberto Setubal (Itaú) e Joesley (JBS). Não sei se
    emplacou todos.
    Você receberá dois repórteres (David Friedlander e Raquel
    Landim), que virão acompanhados de um fotógrafo.
    Confirmado às 9h00 de amanhã e eu te acompanharei.
    Abaixo, repasso os principais pontos que nortearão a
    conversa:
    O país deve crescer abaixo de 1% este ano e os anteriores
    não foram muito melhores. Quais são os principais gargalos
    que impedem o crescimento?
    O que é preciso mudar para que os empresários voltem a
    investir?
    Na sua opinião, quais deveriam ser as três prioridades do
    governo logo no primeiro ano?
    Independente de quem venha a ser eleito, a previsão geral
    é de um ajuste duro em 2015. Qual é a sua expectativa?
    Os preços públicos, como gasolina, energia e tarifa de ônibus
    estão represados. Qual seria a melhor estratégia para ajustar
    a economia: um tarifaço logo de cara ou aumentos graduais?
    O Banco Central vem fazendo intervenções no mercado para
    segurar o real. O sr. acha que seria possível voltar ao câmbio
    flutuante de fato ou isso teria um impacto muito forte sobre a
    inflação?
    O desemprego, que até agora estava controlado, começou a
    aparecer aqui e ali. O sr. acha que pode haver uma onda de
    demissões pela frente?
    A campanha de Dilma se queixa de que o mercado faz
    terrorismo eleitoral quando aposta contra ela na bolsa e que
    não é a primeira vez que isso acontece no Brasil. Qual é sua
    opinião? O mercado faz terrorismo?
    O Supremo está a um passo de acabar com o financiamento
    privado de campanhas políticas. Na sua opinião, isso é bom
    ou ruim?
    O setor privado vive pedindo ajuda do governo, como
    benefícios fiscais e recursos do BNDES. Por que os
    empresários no Brasil dependem tanto do governo?
    Abs,
    De: Marcelo Bahia Odebrecht
    <mbahia@odebrecht.com<mailto:mbahia@odebrecht.com>>
    Data: 6 de agosto de 2014 22:19:14 BRT
    Para: Sergio Bourroul
    <sergiobourroul@odebrecht.com<mailto:sergiobourroul@odeb
    Categoria:
    Calendário
    Lembrete:
    Prioridade:
    Desconhecido
    Status:
    Desconhecido
    Classe: Normal
    Repetir dia:
    Nenhuma
    Repetir regra:
    Nenhuma
    Repetir intervalo: 0
    Repetir até:
     

     

    Página 24:

    recht.com>>
    Cc: Daniel Villar
    <dvillar@odebrecht.com<mailto:dvillar@odebrecht.com>>,
    Leonardo Sa de Seixas Maia
    <lsmaia@odebrecht.com<mailto:lsmaia@odebrecht.com>>,
    Zaccaria Junior
    <zaccaria@odebrecht.com<mailto:zaccaria@odebrecht.com>
    >
    Assunto: Re: pedido da Folha de S.Paulo
    Ok
    From: Sergio Bourroul
    Sent: Wednesday, August 6, 2014 19:14
    To: Marcelo Bahia Odebrecht
    Cc: Daniel Villar; Leonardo Sa de Seixas Maia; Zaccaria
    Junior
    Subject: Re: pedido da Folha de S.Paulo
    Marcelo,
    A sugestão de DV é boa.
    Você fala se o repórter antecipar as perguntas. Vou
    solicitalas,
    ok?
    E capitalizar dizendo que vc abriu uma exceção em
    consideração ao pedido da direção do jornal.
    Enviada do meu iPhone
    Em 06/08/2014, às 19:05, “Marcelo Bahia Odebrecht”
    <mbahia@odebrecht.com<mailto:mbahia@odebrecht.com>>
    escreveu:
    Se fosse uma entrevista apenas minha (e não uma serie) e
    como foco geral em nós, eu negaria. Não apenas pelo
    momento, como porque temos negado para todos.
    Mas se o foco eh nas prioridades para o País nos próximos
    anos, e não em nós, e como parte de uma série de poucos
    empresários, minha tendência seria aceitar.
    From: Daniel Villar
    Sent: Wednesday, August 6, 2014 18:58
    To: Sergio Bourroul; Marcelo Bahia Odebrecht
    Cc: Leonardo Sa de Seixas Maia; Zaccaria Junior
    Subject: RES: pedido da Folha de S.Paulo
    Marcelo,
    O que acha da demanda abaixo?
    Já fui mais reativo no passado recente a uma participação
    sua, mas pelo contexto descrito pela CDN, e pela provocação
    de SB, pode haver espaço para mensagens da Organização,
    desde que enviem previamente as perguntas e que as
    mesmas não sejam politizadas.
    De: Sergio Bourroul
    Enviada em: terça-feira, 5 de agosto de 2014 19:11
    Para: Daniel Villar
    Cc: Leonardo Sa de Seixas Maia; Zaccaria Junior
    Assunto: RES: pedido da Folha de S.Paulo
    Daniel,
    Favor avaliar a solicitação abaixo, da Folha de S. Paulo. Acho
    que devemos preservar MO, mas é possível que ele queira
    aproveitar para mandar algum recado. O repórter garante que
    não haverá questionamentos polêmicos e que envolvam
    diretamente a Odebrecht (Petrobras, BNDES, contratos,
    doação para campanha, preferências políticas etc). Quer
    apenas abrir espaço para a opinião de MO sobre os gargalos
     

    Página 25;

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

  12. As imagens com tarja, conseguiu abrir?

    Stanley:

     

    Você conseguiu visualizar as imagens com tarja? É possível extrair para arquivos as imagens embutidas em um pdf, daí a imagem de baixo fica separada da imagem de cima (a tarja)…

  13. Me lembrei daquela entrevista

    Me lembrei daquela entrevista do então ministro ‘Rubens Ricúpero”. Na verdade foi uma conversa pré entrevista com um jornalista da globo no qual o ricupero falou “meu caro, eu não tenho escrúpulos, o que é bom eu falo, o que não é eu faturo” ou algo do tipo…

  14. Justiça?

    Dentro do Tribunal Federal há agentes públicos vazando informações de uma investigação sob segredo de Justiça nas barbas de um Juiz de primeira instância, agraciado como o “homem do ano” pela Globo, os vazamentos são posteriormente manipulados  p/ midia partidarizada, que informa ao público brasileiro a currupção de pessoas que querem atacar e difamar. Isso todos sabiam e não é a primeira vez. Não é crime Federal? Ninguem é reponsabilizado. O que tem a dizer o Sr Ministro da justiça Eduardo Cardoso. Talvez esteja muito ocupado com a investigação das escutas telefônicas dentro das celas dos acusados e que parece também não vai dar em nada. Francamente, chegamos a um ponto que a patifaria se tornou algo normal  e contra qual nada se pode fazer ou será que sempre foi assim e hoje por meio dos “blogs sujos” tomamos conhecimento de como se manipula a opinião publica brasileira.

    • Pois é, mais uma vez o

      Pois é, mais uma vez o Stanley Burburinho faz estrago no golpe.

      O procurador fanfarrão Deltan Dallagnol que o diga: depois dos questionamentos do Burburinho na página do “procurador da Lava Jato” no facebook, o mesmo murchou murchou.

  15. Matou a charada

    Edson, você matou a charada. E agora Estadão? E agora PF? E agora Folha? E agora Veja? E agora Globo? Serra é mais um envolvido na Lava-Jato. Vocês vão noticiar? Imprensa golpista, salafrária.

  16. Tarjas Misteriosas

    A Dilma já disse: “Não ficará tarja sobre texto, doa a quem doer” será que foi isso!? Ah! tudo bem! O sentido é o mesmo.

  17. Tarjas pretas

    No acrobat, usando a ferramenta de “Print Production > Edit Object” é possível arrastar as caixas de textos que estão de baixo das tarjas. O nome de Cerra aparece várias vezes.

  18. Infantil.

    Fazer uma coisa que qualquer criança consegue desfazer é no mínimo um mistério. O que pretendiam afinal?

  19. A PF pode vazar trechos de investigação /

    Outra coisa que teria quer ser investigado é: como pode a PF vazar provas de alguma investigação, ou o que é pior, partes dela ?

  20. Outra teoria.

    Esta teoria da tarja ter sido colocada pelo jornal não está muito boa, pois do próprio texto da PF tem-se: (página 2)

    “II – Da análise: A análise é realizada utilizando-se o material espelhado, sendo referendados neste relatório somente os dados que em tese possam ser úteis para a investigação em tela, ressalvo, porém, que em determinados pontos deste relatório foram colocadas tarjas a fim de preservar informações sobre possíveis agentes cujos cargos detém prerrogativa de foro.”

    Minha teoria de consipiração é outra:

    Que o jornal tenha processado o texto usando software da Adobe JUSTAMENTE PARA INSERIR OS NOMES DE SERRA, PIMENTEL, ETC, SOB A TARJA !!!

     

    • Este documento trata-se de um

      Este documento trata-se de um documento oficial de investigação da Polícia Federal, quem seria louco de forjar um documento desse e ainda publicar na internet? Isso é crime Federal.
      O problema é que uma metade da populção vota no PT e a outra é tão ignorante (BURRA) a ponto de querer enxergar, honestidade, moral e caráter onde não existe.

  21. Se o zé ficar calado, como

    Se o zé ficar calado, como sempre, neste episódio criminoso, eu desisto. O inimigo está infiltrado na cúpula do partido.

  22. O que muitos não sabem é que

    O que muitos não sabem é que quando o documento em pdf é aberto no navegador e até mesmo algumas versões do Adobe reader, é possível selecionar todo o texto, copiar e colar no Word, por exemplo.
    Inclusive o texto que aparece abaixo da tarja preta. Fiz isso fiquei impressionado com os nomes que aparece embaixo da tarja preta…

  23. Defendendo o seu patrão

    Seria muita ingenuidade de nós leitores se achassemos que o Estadão ia derrubar o JS, ou GA…eles que pagam boa parte das receitas do jornal. Eles tem contrato de “podemos tirar se achar melhor”, temos qu nos conformar que o Estadão é pago para maquiar, para remover tudo que seja contra o PSDB. E ainda bem que temos outros meios de comunição

  24. Quer ser corrupto ? Vai pro PSDB
    Quem quiser ser corrupto pode ser com a consciência limpa. Basta ir pro PSDB. Lá a PF, ministério publico, Sergio Moro, Gilmar Mendes entre outros garantem que nada sera investigado. Vai tudo pra gaveta.

  25. Não interessa o nome, seja

    Não interessa o nome, seja quem for tem que receber tratamento igual.

    Chega de roubalheira!

    Nos tempos do Malufismo, falavamos em roubos dos cofres públicos, depois que esta gente, PSDB e PT pegaram as chaves do cofre, vimos que o Malufismo não passava de batedor de carteira.

    Fora PT, Fora PSDB, Fora PMDB, Fora PP, Fora PCdoB e tantos outros Ps.

  26. Além desse mistério, fica uma

    Além desse mistério, fica uma outra pergunta que gostaria de uma resposta convincente: PORQUE O STF SÓ ATENDE A DEFESA DE EDUARDO CUNHA????  Será que a reunião de Cunha com Gilmar Mendes, do STF, não foi a senha para que ele ficasse impune?????

  27. Burburrinho não deve nem ter

    Burburrinho não deve nem ter lido o documento:

    “II – Da análise:
    A análise é realizada utilizando-se o material espelhado, sendo
    referendados neste relatório somente os dados que em tese possam ser úteis para a
    investigação em tela, ressalvo, porém, que em determinados pontos deste relatório
    foram colocadas tarjas a fim de preservar informações sobre possíveis agentes cujos
    cargos detém prerrogativa de foro.”

    Então respondo aqui:

    Quem colocou as tarjas foi o APF WILIGTON GABRIEL PEREIRA

      • Aí é que está: a pergunta é

        Aí é que está: a pergunta é pq o estadão deixou sem tarja alguns nomes com prerrogativa de foro (provavelmente o fez conscientemente mas não compreendo o critério).

        Isso já disse antes (questionar pq algumas tarjas foram tiradas e não pq a de José Serra está com tarja), mas o sistema de comentários aqui é bem duvidoso. As vezes coloco msgs aqui e quando elas são publicadas já encontro outras que não estavam já respondidas. Como assim se essas msgs ainda nem estavam publicadas qd coloquei a minha? Fora as que não são publicadas.

      • Provavelmente houve falta de

        Provavelmente houve falta de conhecimento técnico de quem enviou o .pdf ao jornal e eles selecionaram qual sairia sem tarja pq não parece ser o arquivo original esse que disponibilizaram para download.

      • não leu o arquivo direito? tem o Pimentel, gov. de Minas
        O governador de minas Fernando Damata Pimentel aparece com o nome com tarja preta na página 14. o ministro da secretaria da comunicação do PT, Edinho Silva na página 19. Carlos Zaratini do PT na página 20.

  28. Máfia demotucana domina Órgãos Públicos
    Por incrível que pareça, investigações e provas correm um sério risco de serem aduteradas ou destruídas pela justiça, PF de Curitiba e outros órgãos dominados por simpatizantes demotucanos. Setores públicos viraram lugar de se fazer politicagem, vejam exemplo do juiz Moro.

  29. A prece
    Em primeiro lugar parabéns pelo seu senso investigativo e também pelas suas habilidades na informática. Uma medalha à um bom profissional. Contudo, prosseguindo no raciocínio, há que se considerar perdas e danos no desenrolar das consequência desta operação Lava Jato. Já existe, por parte do STF, cerceamento aos trabalhos do juiz Moro. Eu diria até que houve uma reprimenda, ou no mínimo, uma exigência de explicações para o caso Cunha. Isto não é bom. Passa a imagem de que parte do Judiciário não estaria apoiando as investigações. Mesmo que fosse assim, não deveria vir a público. Isto depõe contra a instituição. Já há muito pouco em que se possa confiar. Note-se que o governo apoia investigação mas não fala em punição. Todos sabemos da lentidão da Justiça, dos processos. E aqui estamos, a mais de 6 meses desde que o escândalo chegou a público. Não sou ansioso, mas me pergunto: já não era hora de partir para atitudes mais conclusivas? Não há como discutir a imensa utilidade pública dos serviços da PF e nem se poderia deixar de ressaltar a coragem e a dedicação ao dever do Excelentíssimo Juiz, mas… isto vai durar para sempre? Quero dizer, este clima de caçada e de denúncias nunca vai acabar? Ou em outras palavras: a reforma da casa, quando é que termina? Nós já tivemos condenações. Fatos criminosos foram veiculados. Gente poderosa teve que se explicar e alguns nem conseguiram. Há processos e há envolvidos. Que tal apenar aqueles em que há provas para indiciamento e amenizar um pouco o clima de terrorismo? Sem sombra de dúvida as investigações podem e devem continuar mas eu diria que antes de tornar fatos suspeitos como fatos públicos deveria existir uma verificação de provas. Por que digo isso? Bem… é inegável que a operação está trazendo sérias turbulências na economia. Mal comparando, eu diria que o processo se assemelha a uma quimioterapia. Sei que o brasileiro tem a mania do mutirão, mas não posso deixar de pensar que se as instituições fizessem seu trabalho do dia a dia não estaríamos enfrentado isso. E é isso que eu acho que deveria acontecer. Ao invés de agir como os Intocáveis na velha Chicago, os guardiões da decência deveriam colocar como meta diária o cumprimento rotineiro do dever. Eu sei que os funcionários públicos tem garantia de emprego e de salário, então podem se dar ao luxo de desconsiderar crises econômicas. O povo que não é empregado das instituições governamentais, no entanto, depende de estabilidade para sobreviver. Além de o governo ter escolhido um completo incompetente para ministro da área econômica, que tem induzido a presidência por caminhos completamente equivocados, há os efeitos da insegurança gerada nas empresas por investigações de contas e saldos não explicados. Ora, não sejamos freiras em baile de putas. Em um sistema que sempre correu largado, quem tem poder financeiro aproveitou as oportunidades. Devem ser investigados, e punidos. Mas trocar todo o sangue do paciente em alguns minutos pode levar o organismo a um choque irreversível. Que se faça, é claro. Mas que se faça no dia a dia algo que deveria ter sido feito e não foi. Se há ratos é porque há entulho. Façamos a limpeza diária e os ratos não mitigam. É preocupante! Inicialmente, falava-se em recuperação no segundo semestre. Essa ideia já sosobrou. Tanto é que foi diminuida a meta fiscal do ano. Estamos no meio do ano e o governo ainda não apresentou sua proposta de economia em gastos próprios. Quanto vão cortar na carne? Digo, quantos funcionários públicos vão ser demitidos para diminuir a massa de salários da máquina de governo? Quando será congelado o salário dos parlamentares e por quanto tempo? Qual o número de ministros será exonerada para reduzir gastos com ministério? Quais obras no nordeste serão interrompidas ou canceladas em virtude da relação gasto x utilização? Discursos oficiais já empurram a “recuperação” para 2017. Alocaram o ano de 2016 como sendo mais um ano de ajustes. E há economistas que já pressupõe a recuperação para 2019, após a derrota do PT em 2018. Isto, é claro, depois do Carnaval de 2019, porque de janeiro a março ninguém mexe uma palha. Ilustríssimos Senhores funcionários públicos, vós que tendes salário e emprego garantido, tende piedade de nós.

    • ahaha… piada. Parei em

      ahaha… piada. Parei em …”na medalha a um bom profissional”.

      A seção de comentários aqui do site já tinha ensinado a fazer isso no primeiro post do Nassif que, excitado por se tratar de algo relativo a José Serra, foi logo acusando de encobrimento quando a questão principal foi o descobrimento seletivo de alguns nomes já que o documento originalmente deveria encobrir todos os nomes com prerrogativa de foro (está explicitado no início do documento). 

      Pessoal de Alckmin deve estar com pulga atrás da orelha vindo o “erro” de onde veio.

       

       

    • A maioria dos funcionários têm

      Caro Sabiá,

      tive uma experiência de alguns anos no serviço público que acho útil te repassar…

      1. Poucos funcionários públicos tem cargo de chefia, e só eles que podem alterar regras e comprar qualquer coisa. Muitos func. pub. no Brasil ficam frustados de saber como melhorar o serviço pub. e não terem poder pra isso. Então, não ficou legal você pedir piedade, mas querer dos funcionários públicos o que a maioria não tem poder pra fazer.

      2. Acho que a estabilidade por concurso público é ótima pro Brasil e que só devem ser demitidos por justa causa. Há, pontualmente, muito (milhares de) empregado pra pouco serviço (o maior ex. deve ser o congresso), mas a maioria dos funcionários desnecessários no Brasil são acessores e chefes indicados politicamente que podem ser demitidos a qualquer momento. E espero que sejam.

      No geral, eu apoio todo o seu comentário

      abs

    • Se vc baixar e abrir o pdf é

      Se vc baixar e abrir o pdf é possível copiar o texto abaixo da tarja preta e colar No Word ou outro editor de texto e o mesmo pode ser feito com as partes onde existe as imagens…
      Até meu irmãzinho de 3 anos consegue fazer isso…

      • Tem razão!

        E não é só seu irmão; até um macaco do zoológico aqui do RJ se bem treinado faz.

        Mas a questão principal não é como fazer, mas sim pensar naquilo que pode ser feito. É neste instante que o mais velho e mais racional se diferencia dos demais.

  30. CORRUPÇÃO A MEDALHA DE OURO DO BRASIL

    Enquanto alguns inteligentes internautas discutem o favoritismo de candidatos, não nos damos contas de que se não for dado uma resposta a altura nestes processos de corrupção o BRASIL afundará em LAMA, governado por quadrilhas organizadas do crime, seria inteligente o povo saber que não há favoritismo para os ´´MÃOS LIMPAS´´  pois não encontramos em lugar algum da cúpula politica alguém que honre seu mandato, será que os politicos de DIREITA ou de ESQUERDA pensam na melhoria do povo brasileiro??, será que algum empresário pensa na qualidade de vida do povo brasileiro??, estamos a driva, e se os juizes federais não obterem exito no desenrolar destes processos ´´DOA a QUEM DOER´´, nossa justiça estará falida moralmente, nossa justiça ficará desacreditada, e entraremos num caos total, em tempo não seria melhor para os simpatizantes dessa ou daquela sigla que haja a faxina nos partidos afastando ali os maus politicos e entregando ao povo partidos com nova cara, com politicos temerosos a nossas leis, onde eles irão pensar duas vezes em corromper??, prefiro assim que o povo, que o nosso país conheça quem é quem e decida de olhos abertos em quem votar.

  31. Cerra……
    Identificação de Jose Serra (JS) o telefone da secretária (11) 3087.1450 estáregistrado em nome de Jose Serra, o endereço da Joaquim Antunes, possui telefone(11) 2157.2104 registrado em nome de Jose Serra

  32. tarja negra

    A prosperidade de certos homens públicos no brasil, é uma prova evidente de que eles vivem lutando pelo progresso de nosso subdesenvolvimento. Stanislau ponte preta  , frase dita há 50 anos atrás mas atualíssima.

  33. Serra, Collor e Eduardo Campos pois é…Estamos melhorando

    Eu vejo como positivo tudo o que esta passando pelo Brasil.

    Como vemos os mesmos senhores que estao a anos no poder e que agora falam de Impeachment para a Dilma parecem como diz a expressao popular: “Tem mais culpa no cartorio” do que ela. A conclusao é de que estamos em um contexto muito maior do que o discurso politico de crucificar a Dilma.

    O que vivemos no Brasil hoje é uma revisao dos nossos valores culturais aonde a corrupção enraizada desde de Dom Pedro I passa a nao ser mais aceita e tolerada pela nossa sociedade. E isto só pode ser visto como algo extremamente positivo, tanto eu, como a Dilma o Serra, o Collor e o Eduardo Campos vao passar assim como passaram Dom Pedro I e muitos outros, mas o negado desta lava jato para o futuro do Brasil é indiscutivelmente muito bom.

     

  34. Quem colocou tarja preta

    Amigo voce leu o documento todo???

    Logo no inicio  na pagina 2 ” II – Da análise: A análise é realizada utilizando-se o material espelhado, sendo referendados neste relatório somente os dados que em tese possam ser úteis para a investigação em tela, ressalvo, porém, que em determinados pontos deste relatório foram colocadas tarjas a fim de preservar informações sobre possíveis agentes cujos cargos detém prerrogativa de foro.”

     

    Esclareceu sua dúvida???

     

     

    • Não

      A minha dúvida segue.

      Se a PF faz um trabalho de investigação, o qual é sigiloso por natureza, a ser entregue ao MPF ou ao juiz. Qual a razão para por tarjas?

      O juiz vai usar a parte que interessa ao caso e desprezar o restante

      É como a transcrição de uma interceptação telefônica de um criminoso. Não importa o que ele fala ao telefone sobre a sua vida privada mas sim aos crimes que ele cometeu.

      Se autoridades com foro privilegiado cometem crimes o relatório não deve omitir seus nomes e sim ser encaminhado para quem tem a competência de processar o feito.

      A menos, é claro, que ele tenha sido elaborado para ser vazado à imprensa amiga.

  35. um burburinho genial

    Stanley Burburinho é um gênio. descobriu o óbvio: a grande mídia protege Serra, é aliada do PSDB e inimiga mortal do lulismo. a maior façanha hacker de todos os tempos, nem Snowden foi capaz de tanto.

    Burburinho poderia usar seus poderes para hackear quem foi que colocou Joaquim Levy na Fazenda, quem mantém o BC privatizado para o mercado financeiro há mais de 12 anos, quem nomeou Kátia Abreu para a Agricultura e Eliseu Padilha para a Aviação Civil e, por que não?, Mangabeira Unger na “Pátria Educadora”…

    o problema não é a grande mídia não! o problema não é Eduardo Cunha não! sem dúvida, eles são um problema. mas “o problema” são os Stanley Burburinhos que infestam o Governo, o lulismo, o PT e seus apoiadores. sempre descobrindo o óbvio, sem jamais revelar aquilo que não querem que deixe de estar oculto: a traição ao povo e à nação cometida por Lula, Dilma e os apoiadores acríticos do lulismo..

    “Uma nação pode sobreviver aos idiotas e até aos gananciosos, mas não pode sobreviver à traição gerada dentro de si mesma. Um inimigo exterior não é tão perigoso, porque é conhecido e carrega suas bandeiras abertamente. Mas o traidor se move livremente dentro do governo, seus melífluos sussurros são ouvidos entre todos e ecoam no próprio vestíbulo do Estado. E esse traidor não parece ser um traidor; ele fala com familiaridade a suas vítimas, usa sua face e suas roupas e apela aos sentimentos que se alojam no coração de todas as pessoas. Ele arruina as raízes da sociedade; ele trabalha em segredo e oculto na noite para demolir as fundações da nação; ele infecta o corpo político a tal ponto que este sucumbe”.

    Discurso de Marco Túlio Cícero, tribuno romano, 42 a.C.

    http://jornalggn.com.br/blog/jota-a-botelho/cicero-e-os-catilinas-brasileiros

    .

  36. Tarja Preta

    Será a mesma tarja preta daqueles remédios? “Use com cuidado! Não deseparecendo os sintomas, consulte a PF.”

  37. Tarjas pretas

    Importante destacar que não é apenas o nome do tucano que aparece. Uma das tarjas cobre o nome de Pimentel, seguida da frase “se ela cai eu caio”. “Ela”, creio ser a esposa dele, que também tava sendo acusada um tempo atrás.

  38. Manipulação de informações?????

    Manipulação de informações???? Que acusação absurda! Isso, no Brasil? Nunca!!! Mesmo nesse momento político conturbado. É o que dirão os hipócritas e no que crerão aqueles de inteligência raza.

  39. STF versus corrupção.

    É preciso que a sociedade se mobilize em apoio à operação Lava Jato. Como neste país quase que a totalidade dos integrantes dos três poderes não são confiáveis, é bem provável que muitos destes facínoras, que possuem o famigerado foro privilegiado, o que demonstra que todos são iguais perante a lei, mas alguns são mais iguais do que outros, fiquem impunes a zombar do povo que é o mantenedor das regalias que os mesmos possuem. Precisamos ocupar ruas e praças, num esforço conjunto, para passar o Brasil a limpo. A impunidade neste país é tão previsível que os executivos destas organizações criminosas, a exemplo da Odebrecht, urdem às escâncaras em conluio com inúmeras autoridades, sem nenhuma preocupação ou temor. Talvez não tenhamos uma outra oportunidade como esta em que um juiz, probo e determinado, tenta mostrar que a lei é para todos. Conclamo os líderes de movimentos sociais a marcarem data para que o povo saia às ruas em defesa do juiz Sérgio Moro e contra a corrupção que, acintosamente, dilapida o erário e joga ao descaso o povo brasileiro.

    • Com moro em defesa da impunidade

         O juizinho acabou de premiar líderes do esquema com 1 ano de estadia em palacete domiciliar conservando muitos milhões em suas contas bancárias.

  40. Esqueceram: José Eduardo Cardoso, Edinho (Edinho Silva), Haddad

    Citaram José Serra (Senador pelo PSDB), mas esqueceram de citar que nas tarjas pretas são citados os petistas: José Eduardo Cardoso (Ministro da Justiça e chefe direto da PF), Edinho (Edinho Silva, deputado estadual e coordenor da campanha de reeleição de Dilma), Haddad (prefeito de São Paulo), Carlos Zaratini (Deputado Federal).

  41. Parabéns ao Stanley Burburinho!

    Mais uma bela sacada.

    Pra quem não sabe o Stanley Burburinho foi quem recuperou uma decisão do ministro Celso de Mello bem antiga sobre cassação de parlamentares.

    Celso de Mello em 2002:

    “(…) É que o congressista, enquanto perdurar o seu mandato, só poderá ser deste excepcionalmente privado, em ocorrendo condenação penal transitada em julgado, por efeito exclusivo de deliberação tomada pelo voto secreto e pela maioria absoluta dos membros de sua própria Casa Legislativa.”

    Celso de Mello em 2012:

    “A perda do mandato é consequência direta e imediata da suspensão de direitos políticos por condenação criminal transitada em julgado. Nesses casos, a casa legislativa, no caso concreto a Câmara dos Deputados, procederá meramente declarando o fato conhecido já reconhecido e integrado ao tipo penal condenatório”,

    O que foi que mudou, Vossa Excelência?

  42. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome