Rocha Loures segue, sem tornozeleira

O ex-deputado Rodrigo Rocha Loures deixará de usar tornozeleira eletrônica   (Arquivo/Janine Moraes/Agência Câmara dos Deputados)

Jornal GGN – O Tribunal Regional Federal da 1a Região (TRF1), seção de Brasília, revogou o uso de tornozeleira e outras medidas cautelares aplicadas ao ex-deputado e ex-assessor da Presidência da República Rodrigo da Rocha Loures, acusado em processo por corrupção passiva.

Rocha Loures teria recebido propina da JBS para operar vantagens ao grupo. Depois da denúncia do Ministério Público Federal, a investigação da Polícia Federal apontou que o ex-parlamentar teria recebido uma mala com R$ 500 mil do grupo JBS. A transação foi captada em vídeo, com mala entregue dentro de um restaurante em São Paulo. O esquema envolveria outros pagamentos de valor semelhante ou superior.

Segundo apurado, o dinheiro seria destinado ao presidente Michel Temer, que nega envolvimento no caso. O repasse, por seu turno, teria como finalidade garantir ao conglomerado benefícios em uma questão com a Petrobras envolvendo preços de gás.

Rocha Loures chegou a ser preso. Edson Fachin, ministro do STF, em junho do ano passado determinou a prisão domiciliar com obrigações como recolhimento em casa de 20h às 6h e nos fins de semana, proibição de contato com os demais investigados, impedimento de sair do país, apresentação à Justiça sempre que solicitado e o monitoramente eletrônico por meio de tornozeleira.

O juiz do TRF1, Jaime Travassos Sarinho, considerou que, por bom comportamento, Rocha Loures não precisaria mais cumprir tais medidas. O juiz citou que o acusado compareceu aos atos do processo, prestou depoimento e não colocou obstáculos ou ‘praticou ato que indicasse predisposição a não se submeter a uma eventual pena’.

Leia também:  A corrupção acabou, viva a corrupção bolsonariana, por Fábio de Oliveira Ribeiro

“Por outro lado, observo que o direito de locomoção do acusado está limitado por período significativo de tempo, sem que tenha havido notícia de descumprimento por parte de Rodrigo Rocha Loures de quaisquer medidas cautelares fixadas”, acrescentou o juiz. Ainda de acordo com o magistrado, o acusado teria apontado “constrangimento” no uso da tornozeleira.

Assim, o juiz retirou o uso da tornozeleira, mantendo as demais medidas cautelares. Com isso, Rocha Loures continuará recolhido das 20h às 6h, não poderá ter contato com outros investigados e terá que se apresentar à Justiça quando solicitado.

Com Agência Brasil

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. ONDE ESTA O PT OU A ESQUERDA A EXIGIR O MESMO TRATAMENTO?

    Rodaram, rodaram, rodaram e sumiu Mensalão Tucano, Merendão Tucano, Trensalão Tucano. Barroz Munhoz, Líder do PSDB de diversas condenações, de sentenças sobre bilhões desviados, foi agraciado com Prescrições seguidas de Prescrições. O silêncio da Oposição foi ensurdecedor. Qual a razão? Rocha Loures de flagrante crime, se livrou, apenas pelo choro da Mulher Grávida. Corações Judiciários e Judiciais se derreteram. Aécio Neves reprograma sua Vida Política. Paulo Preto espera por suas Prescrições, que enterrarão qualquer Denúncia sobre os Cardeias do Tucanato. O Silêncio Petista é ensurdecedor. Tão rápido quanto se deu o abandono de seus guias Dirceu, Genoino, Lula,… Aloprados, será que não aprenderam nem a gritar? José Serra e seus milhões esconddos nas contas bancárias na Suiça, da sua Fila Italiana , agradece. Onde estão as Conduções Coercitivas? Os Vazamentos programados e estratégicos? O Panelaço? Os Powerpoint’s? As Convicções acma das Provas? A Acusação sobre os Chefes de Quadrilha? Ou isto só servia até conseguirmos nossa parte no Governo? Por que tamanho silêncio?     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome