Villas Bôas agradece Bolsonaro por quebrar “amarras ideológicas” e é congratulado por evitar golpe militar

Foto: Agência Brasil

 
Jornal GGN – O general Eduardo Villas Bôas despediu-se nesta sexta (11) do comando do Exército, rendendo agradecimentos a Jair Bolsonaro, por ter libertado o País de “amarras ideológicas”. “O senhor traz a necessária renovação e a liberação das amarras ideológicas que sequestraram o livre pensar, embotaram o discernimento e induziram a um pensamento único e nefasto”, disse ele.
 
Villas Bôas marcou sua gestão com o disparo de uma mensagem, no Twitter, às vésperas do julgamento de um habeas corpus de Lula no Supremo Tribunal Federal. Sua mensagem, dizendo que o País não toleraria recuo no combate à corrupção, foi interpretada como uma ameaça anti-democrática e interferência em outra instituição.
 
O general Edson Leal Pujol assumiu o comando do Exército no governo Bolsonaro, mas quem fez discurso no evento, além de Villas Bôas, foi o ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, que elogiou a capacidade do ex-comandante de “conter ímpetos antidemocráticos entre militares”.
 
“A maior entrega deste comandante é o que ele conseguiu evitar. Foram tempos que colocaram à prova a postura do Exército como organismo de Estado, isento da política e obediente ao regramento democrático”, afirmou o ministro.

20 comentários

  1. As manifestações de Villa

    As manifestações de Villa Bôas, a atuação de Carmen Lúcia e Toffoli no STF e eleição de Bolsonaro deixam claro que Lula foi sequestrado pelo Estado Brasileiro. É refem do Estado Brasileiro!

  2.  O general Eduardo Villas

     O general Eduardo Villas Bôas agradeceu a Jair Bolsonaro, por ter libertado o País de “amarras ideológicas”. “O senhor traz a necessária renovação e a liberação das amarras ideológicas que sequestraram o livre pensar, embotaram o discernimento e induziram a um pensamento único e nefasto”

    Impressionante como conseguem inverter tudo! Assim venceram as eleições.

    Liberação das amarras ideológicas… como se eles não fossem portadores de uma idologia. Parfece que entendem ideologia como característica das esquerdas.

    Livre pensar, pensamento único… ora, é justamente isso o que desejam implantar a partir de agora. Nos governos petistas o que menos houve foi pensamento único (foram pauladas de todas as cores o tempo todo, da imprensa, de políticos), nunca na história desse país o pensamento (principalmente verbalizado em ataques ao PT) esteve tão livre: jornais e revistas e tevÊs se esbaldaram pra valer!

  3. Só posso achar uma graça

    Só posso achar uma graça mórbida disso.

    A 1 ou 2 anos eu ainda tinha esperanças de um país justo. Mas quando vejo figuras como esse general… Vejo que o Brasil nunca existiu, sempre foi um sonho. Os governos do Lula/PT foram um momento de lucidez nessa insanidade.

    Nos próximos 4 anos (e mais) veremos Bolsonaro destruir completamente esse país e seu potencial. Nunca mais se reerguer. Vai ser mais fácil separar em vários pedaços do que se erguer como nação novamente. Não vai sobrar nem as pedras. E o mais incrível: aposto que o povo vai bater palmas.

    Acredito que no futuro, o Brasil será lembrado como um caso singular de um país que se auto-destruiu, tal qual uma atlântida pós-moderna.

  4. Em que os militares diferem dos outros políticos profissionais?

    Eles são políticos armados que querem manter seus privilégios. E para tanto ameaçam permanentemente a sociedade civil. Mas temos que reconhecer que eles são diretos e agradecidos.

    Disse Villas Boas: “”Gostaria de externar a minha felicidade por receber uma missão do PR  ao ser convidado para integrar o Gabinete de Segurança Institucional, no qual poderei continuar contribuindo para o desenvolvimento da nossa Pátria”, anunciou o general em sua conta no Twitter na noite desta sexta-feira 11.

    E para dar um viés ideológico à sua promoção, sapecou a frase de efeito: “Bolsonaro tirou o país do pensamento único e nefasto” (???)

    A declaração acontece pouco tempo depois de Bolsonaro admitir que chegou ao cargo de presidente da República com a ajuda do chefe do Exército.

    Ou seja, uma mão lava a outra, ou é dando que se recebe. Que saudade de ACM.

     

  5. Putz! O queridas Boas criticou representa i presente
    Agora é que o Brasil está atolado na amarra ideológica e do pensamento único
    Triste fim de um General
    A agressão a democracia, a ameaça as instituições democráticas (STF) vai marcar na história os últimos momentos de sua carreira

  6. Gal Villas Boas,
    O Sr está

    Gal Villas Boas,

    O Sr está doente, vá descançar, dê seu lugar a outro, mesmo deixando o comando do Exército, não destrua sua biografia, construída em longos anos do governo ideológico do PT, onde o povo, base de formação das forças armadas do Brasil, tinha vez.

  7. Os suicídios das Instituições.

    O legislativo se suicidou enquanto instituição quando desempenhou papel central no impeachment.

    O judiciário vem se suicidando lentamente desde  o mensalão, onde o dominio do fato, a condenação sem provas, ou pela literatura, e uma crescente  submissão ao instrumento central do golpe formado pela força tarefa de Curitiba. Se suicidou mais um pouco ao participar da farsa eleitoral e manter um ex-presidente aprisionado, e conviver em convescotes com políticos corruptos conhecidos e livres. E agora militarizando seus conselhos. Tudo indica que irá se submeter ao Ministério da Justiça. A procuradoria já declarou sua submissão total.

    O executivo foi se suicidando com as manobras defensivas de Temer unidas as manobras de submissão ao mercado.

    As forças armadas estão entrando numa senda suicida. São passos nesta direção, quando aceita a entrega de Alcantara, a venda da Embraer, compactua com o ataque à Eletronuclear, se calando diante do que aconteceu ao almirante Othon Bastos e agora  confessando  de forma clara e inequívoca que tramou para alçar Bolsonaro ao cargo de presidente . A cada militar em cargo publico o povo verá apenas mais um que se deu bem.  Os discursos e visões de país não existem para este grupo fragmentado e que parece ter em comum apenas a farda. Mas serão cobrados enquanto corporação.

    Todos os erros, e já são muitos, serão debitados na conta de cada uma destas instituições que tem sido liderados por homens que de forma sistemática tem transgredido os próprios limites institucionais.

     

  8. Inacreditável

    Com todo o respeito, se a opinião do General fosse de um Recruta desinformado pela mídia hegemônica golpista e plutocrática brasileira, ainda se admitiria a completa miopia política e social revelada no seu discurso. Mas é inacreditável partir do  comandante do Exército Brasileiro, que tinha e tem a obrigação  de conhecer a realidade.

  9. então as $antas iam dar o golpe?
    com a autorização de quem?
    só se for da constituição dos suínos
    que país é esse bananistão?

+ comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome