20 empresas participaram da reforma do Alvorada

Mas PF investiga apenas Odebrecht para “descobrir” se empreiteira fez reforma na piscina do Palácio sem contrato
 
 
Jornal GGN – Desde o último domingo (13) notícias se espalham pelos diversos meios de comunicação de que a Polícia Federal está investigando se a construtora Odebrecht fez uma reforma da piscina do Palácio do Alvorada, para o ex-presidente Lula, sem contrato. No artigo a seguir o Tijolaço lança luz ao tema, com a ajuda do internauta Leandro Fortes colaborando com a PF nas investigações. 
 
Se trata de uma matéria reproduzida pela própria Folha de S.Paulo, no dia 7 de abril de 2006, mostrando que o então presidente Lula aproveitava a reinauguração do Palácio da Alvorada para pedir ao grupo de empresas que tocaram as obras de reforma no Alvorada para reformar também o Palácio do Planalto. 
 
“Na cerimônia, Lula reclamou dos ‘engraçadinhos’ que criticam os custos e afirmou que só ele teve a ‘coragem’ de levar adiante a restauração”. 
 
A matéria da Folha continua: “A reforma do Alvorada foi bancada por um consórcio de 20 empresas, que pagaram R$ 920 mil cada uma pela obra”. Assim, o Tijolaço sugere que a PF terá que investigar, pelo menos, mais 19 empresas além da Odebrecht para avaliar se ocorreu um suposto favorecimento do ex-presidente para a reforma não só da piscina, mas de todos os espaços do Alvorada.
 
 
 
 
Por Fernando Brito · 13/11/2016
 
O coleguinha Leandro Fortes, no Facebook, abre um caminho imenso às investigações da Polícia Federal que são, hoje, na capa da Folha, intensas para descobrir se a Odebrecht fez, de graça, a reforma das pedras que cercam a piscina do Palácio da Alvorada.
 
Não é só ela, tem mais 19 empresas que pagaram (ou gastaram) para recuperar o Palácio.
 
Transcrevo da própria  Folha, edição de 7 de abril de 2006:
 
A reforma do Alvorada foi bancada por um consórcio de 20 empresas, que pagaram R$ 920 mil cada uma pela obra. Elas tomaram a decisão depois de Lula ter reclamado do estado do palácio em um jantar com empresários em junho de 2004.
 
Elas pagaram pela obra, veja só.
 
E não foi pouco, porque dá R$ 1,7 milhão em dinheiro de hoje.
 
E como é que Lula explicou este “financiamento privado” de de obras em próprios públicos?
 
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitou a reinauguração do Palácio da Alvorada ontem à noite para dizer, na frente dos empresários que pagaram a obra de R$ 18,4 milhões, que o Palácio do Planalto também precisa de reformas.
 
Na cerimônia, Lula reclamou dos “engraçadinhos” que criticam os custos e afirmou que só ele teve a “coragem” de levar adiante a restauração.
 
“Se depender de mim, tem muita coisa para ser restaurada neste país. E, se depender de mim, vocês [empresários] vão ser parceiros em outras restaurações. Se quiserem ver uma coisa é só entrarem no Palácio do Planalto. É só entrar para ver como aquilo vai precisar”, disse o presidente, improvisando“.
 
Que descarado!
 
Pede publicamente ajuda dos empresários para reformar  o “seu palácio”, como se aquilo não fosse patrimônio público.
 
Porque, se depender da turma da Lava Jato, são capazes de criminalizar as doações de empresários que mantêm incólume ao tempo o David de Michelângelo, para ficar na Itália que lhes serve de modelo, e nem cito Berlusconi.
 
Estão sangrando Lula na veia de saúde.
 
Achem um “corrupção plausível”  e dêem seus indícios, não estas histórias de que um homem que teve tanto poder durante oito anos tenha pego dois pedalinhos para si.
 
De pedalinho e beira de piscina, francamente, vão se expor ao ridículo, ainda que isso demore.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora