Bolsonaro entra na lista de “predadores da liberdade de imprensa” da RSF

Entidade aponta presidente brasileiro como “predador desde que chegou ao poder”, com estratégia voltada para o “insulto, humilhação e ameaças vulgares”

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro ingressou na lista de “predadores de liberdade de imprensa” elaborada pela ONG Repórteres sem Fronteiras (RSF) divulgada nesta segunda-feira (05/07).

A entidade elaborou uma galeria com 37 chefes de Estado e de governo que impõem repressão massiva sobre a atuação da imprensa. Desses, cerca de metade (17) são apresentados pela primeira vez, cinco anos após a lista anterior, publicada em 2016. Os predadores, com idade média de 66 anos, são principalmente da região da Ásia-Pacífico, que onde estão 13 dos 37 tiranos identificados pela RSF.

Dentre as medidas adotadas para reprimir a atuação dos jornalistas, a RSF lista “estabelecimento de aparatos de censura, prisão arbitrária de jornalistas e incitamento à violência contra eles – quando não têm nas próprias mãos o sangue de jornalistas por terem feito pressão direta ou indireta por seus assassinatos”.

“Cada um desses predadores tem um jeito especial. Alguns fazem com que reine o terror, com ordens irracionais e paranóicas; outros estão implementando estratégias muito estruturadas com base em leis liberticidas. O desafio é fazer com que hoje esses predadores paguem o preço mais alto possível por essa repressão. Não deixemos que sua maneira de agir se torne ‘o novo normal’”, diz o secretário-geral da organização, Christophe Deloire.

“Predador desde que chegou ao poder”

A RSF elaborou um perfil para cada uma das autoridades apontadas como predadoras da liberdade de imprensa. Ao falar de Bolsonaro, eles apontam o presidente brasileiro como um “predador desde que chegou ao poder”, adotando como estratégia o “insulto, humilhação e ameaças vulgares”, tendo como alvo preferencial mulheres jornalistas, analistas políticos e o grupo Globo.

“Autoproclamado “candidato antissistema”, Jair Bolsonaro ganhou terreno graças às redes sociais, onde seu discurso e suas ideias tiveram repercussão considerável, driblando assim os meios de comunicação tradicionais. Desde que assumiu o cargo, o trabalho da imprensa brasileira tornou-se extremamente complexo”, afirma a RSF. 

“Sua marca registrada? Insultar, estigmatizar e humilhar jornalistas muito críticos. Para ele, a imprensa “é inútil” e não passa de “rumores e mentiras constantes”. Sua retórica belicosa e grosseira é ampliada por seu círculo próximo e por uma base organizada de apoiadores. Desde as eleições em 2018, o presidente, sua família e seu círculo aprimoraram um sistema extremamente bem azeitado de comunicação. Nas redes sociais, exércitos de apoiadores e robôs retransmitem e amplificam os ataques que visam desacreditar a imprensa, apresentada como inimiga do Estado”.

“Em campo, jornalistas, especialmente os responsáveis pela cobertura da presidência em frente ao Palácio da Alvorada, em Brasília, também são frequentemente atacados, humilhados e por vezes violentamente agredidos por apoiadores da família Bolsonaro”, ressalta a Repórteres Sem Fronteiras. “Ataques sexistas e misóginos contra jornalistas mulheres também são um forte marcador do bolsonarismo. Como ocorrido com Patricia Campos Mello, muitas mulheres jornalistas foram vítimas de ataques sexistas e são obrigadas a trabalhar em um ambiente tóxico, a mercê do linchamento digital de partidários do presidente”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

  1. ‘ “Autoproclamado “candidato antissistema”, Jair Bolsonaro ganhou terreno graças às redes sociais, onde seu discurso e suas ideias tiveram repercussão considerável, driblando assim os meios de comunicação tradicionais. Desde que assumiu o cargo, o trabalho da imprensa brasileira tornou-se extremamente complexo”, afirma a RSF. ”

    “Esqueceram” de dizer que muitas empresas de comunicação que hoje apanham do genocida fizeram de tudo para derrotar o outro candidato, inclusive em editorial, considerando uma escolha difícil.

    O RSF sabe muito bem disso e deveria, ao nomeá-lo predador de forma acertada, reconhecer quem de fato são os pais dessa tenebrosa criatura.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome