Diogo Mainardi é condenado por informações falsas sobre ex-diretor da ANP

Jornalista Diogo Mainardi foi condenado a pagar uma indenização de R$ 70 mil a Victor de Souza Martins, ex-diretor da ANP

Foto: Reprodução

Sugerido por Antonio Francisco das Neves
comentário no post Fora de Pauta

Diogo Mainardi é condenado a indenizar ex-diretor da ANP

Do Conjur

A liberdade de imprensa não é um direito absoluto e deve ser exercida sem abusos, ou seja, no limite a não atingir direito da personalidade constitucionalmente garantido ao cidadão, pena do autor e do propagador da notícia serem civilmente responsabilizados pelo dano decorrente do abuso.

Com base nesse entendimento, o juízo da 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Espirito Santo decidiu condenar a editora Abril e o jornalista Diogo Mainardi a pagar uma indenização de R$ 70 mil a Victor de Souza Martins, ex-diretor geral da Agência Nacional de Petróleo (ANP), a sua mulher, Josenia Bourguignon Seabra, e a empresa Análise Consultoria e Desenvolvimento

No entendimento dos desembargadores, a condenação foi justificada por conta da negligência do jornalista com informações consideradas inverídicas. Na ocasião, Mainardi publicou uma série de informações falsas sobre uma suposta operação da Polícia Federal para apurar desvios de royalties da Petrobras e da qual Martins seria alvo.

“Não há nenhum documento oficial que revele a iminente deflagração, àquela época, da operação mencionada na matéria jornalística publicada pelos réus ou mesmo que o autor Victor de Souza Martins teria sido investigado por suspeita de comandar esquema de corrupção na Petrobras, utilizando-se da estrutura e do comando da própria ANP”, revela o desembargador relator, Annibal de Rezende Lima em seu voto.

O ex-diretor da ANP foi representado pelo advogado Guilherme Domingues de Oliveira.

Leia também:  De Rockefeller a Musk, os novos barões, comentário de Antonio Neto

Clique aqui para ler a decisão.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. Esse sr não merece nenhum crédito como jornalista. Exala ódio. Essa pena é branda pelo mal que causou. Deveria ter registro de jornalista cassado, se tem algum registro.

    10
  2. Agora falta este pilantra com carteirinha de pilantra colocar a mão no bolso, possibilidade praticamente impossível de ocorrer.
    No histórico deste malandro existe de tudo, menos coisa séria, e só não conheci ainda o motivo pelo qual este cidadão, brasileiro, não consegue falar o idioma português como qualquer brasileiro.
    Anteriormente sofreu mais de uma condenação, e como reincidente , sabia que deveria ser preso, se negou a receber a intimação oficial e fugiu para o refúgio de sempre, em Veneza.

  3. É um prestador de mau serviço e criador de males. Tanto que não pode entrar e conviver no país onde nasceu. Mas como tem muito dinheiro ganho por seus serviços prestados a empresas e pessoas também produtoras de mau serviço, como globo, empiricus, veja, DD, antagonista, não se envergonha ainda do que fez/faz. Mas livre não é.

  4. De indenização em indenização, ele vai acabar gastando todo o dinheiro que recebeu de indenização pelo erro médico no seu filho. Vive desse dinheiro…

  5. “Diante dessa fachada, aceito até um filho deforme”, foi a frase usada por esse canalha horas antes do filho nascer com paralisia cerebral. Recebeu uma fortuna de indenização pelo erro médico cometido no parto da mulher e vive torrando com indenizações por viver atacando os outros e destilando ódio…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome