Folha apontava Aécio, Alckmin e Serra na lista de Furnas, em 2006

 
Jornal GGN – Em reportagem de junho de 2006, a Folha de S. Paulo publicou que “a lista de Furnas é autêntica”, baseando-se em um laudo da Polícia Federal, divulgado à época. Entre os nomes que estariam abastecidos pelo esquema de corrupção aparecem o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), o senador Aécio Neves (PSDB-MG), o senador José Serra (PSDB-SP), que teria recebido R$ 9,3 milhões, R$ 5,5 milhões e R$ 7 milhões, respectivamente, para campanhas de 2002.
 
Da Folha de S. Paulo
 
Por Rubens Valente
16/06/2006 – 09h50
 
A Polícia Federal confirmou ontem a autenticidade da chamada “lista de Furnas”, documento de cinco páginas que registra supostas contribuições de campanha, num esquema de caixa dois, a 156 políticos durante a disputa eleitoral de 2002. No total, eles teriam recebido R$ 40 milhões.

Segundo a assessoria da direção geral da PF, em Brasília, perícia do INC (Instituto Nacional de Criminalística) concluiu que a lista não foi montada e que é autêntica a assinatura que aparece no documento, de Dimas Toledo, ex-diretor de engenharia de Furnas, empresa estatal de energia elétrica. A PF informou, contudo, que não tem como atestar a veracidade do conteúdo da lista. Os papéis citam empresas que teriam colaborado para um caixa dois administrado por Dimas Toledo.


Entre as campanhas eleitorais supostamente abastecidas pelo esquema estão as do então governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, hoje candidato à Presidência pelo PSDB, do ex-prefeito de São Paulo José Serra (PSDB), atual pré-candidato ao governo paulista, e do atual governador mineiro, Aécio Neves (PSDB). As campanhas em 2002 teriam recebido, respectivamente, R$ 9,3 milhões, R$ 7 milhões e R$ 5,5 milhões. Tucanos negam.

Lobista

Leia também:  Leitoras, leitores e assinantes protestam contra a parcialidade do programa sabatina Folha/UOL

A perícia foi feita em papéis originais entregues à PF pelo lobista mineiro Nilton Monteiro, 49, que diz tê-los recebido das mãos de Dimas, no início de 2005, quando o então diretor de Furnas tentava convencer políticos de vários partidos a mantê-lo no cargo.

Acusado de calúnia por 11 deputados estaduais de Minas Gerais, Nilton Monteiro decidiu entregar em 5 de maio os originais aos delegados da PF de Brasília Luiz Flávio Zampronha, Pedro Alves Ribeiro e Praxíteles Praxedes, que conduzem as investigações.

Até então, a PF tinha em seu poder apenas uma cópia autenticada. A perícia na cópia, também feita pelo INC, apontou indícios de montagem e fraude.

Dimas Toledo, que exerceu a diretoria entre 1995 e 2005, até a denúncia de caixa dois feita àFolha pelo ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), sempre negou ter assinado os papéis.

“Ele assinou [a lista] na minha frente. Ele me usou até um determinado momento, depois me abandonou”, disse ontem Monteiro. O lobista afirma ter se aproximado de Dimas em 2004 por ser, à época, procurador da empreiteira JP Engenharia. A empresa estava interessada em assinar um contrato com Furnas em torno de um projeto de infra-estrutura que havia sido suspenso pela diretoria de engenharia.

Segundo o lobista, Dimas contou que havia uma ação nos bastidores para tirá-lo do cargo e, por isso, pediu-lhe ajuda para fazer um trabalho de lobby com políticos de vários partidos.

Leia também:  Representatividade negra: qual é a cor dos donos das concessões de rádio e TV no Brasil?

O lobista afirmou que, no início de 2005, Dimas fez quatro cópias da lista. Os supostos destinatários das cópias, sempre segundo Monteiro, seriam Aécio Neves, Roberto Jefferson, o presidente do PMDB, Michel Temer, e o então presidente do PSDB, Eduardo Azeredo.

Mas as cópias não chegaram a ser entregues, segundo Monteiro. Ele diz que o original ficou com uma pessoa ligada a um escritório de advocacia do Rio. “Ela ficou como guardiã dos documentos até agora.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

7 comentários

  1.  
    STF-Janot- PF -MPF  – 

     

    STF-Janot- PF -MPF  –  Globo   ainda não sabem da existência desta lista  .

    Saberão quando prescrever .

  2. “No saguão de entrada do

    “No saguão de entrada do Palácio do Planalto o painel aperesentando as fotos dos ex-presidentes não tem o de Dilma”. Li isso na Folha de São Paulo, com as fotos até a de Lula, sem a de Dilma. Como pode isso?

    O Sr. Janot ficou devendo essa ao povo brasileiro, quando livrou a cara de Aécio, depois de Youssef ter citado o nome dele na Lista de Furnas.

    Chegamos ao ponto máximo da crise, mesmo antes de termos a indigestão de vermos esse bando de canalha quererem se apropriar do Poder sem base legal.

    Gilmar já andou tentatando se explicar sobre sua ida a Portugal em companhia de Temer, Aécio e Serra. Isso é batom na cueca, e, portanto, rejeita qualquer explicação desse ministro sem pudor, sem respeito às garantias individuais, e à própria constituição. 

    É a VEJA pagando mico na Itália com uma capa espetaculosa a fim de incriminar Lula; e esses políticos em companhia de Gilmar, que foram a Portugal com o fito de expandirem suas teses sobre o impechment, mas que, para surpresa, já foram rechassados por autoridades portuguesas, que dizem que quererem participar dessa patacoada. 

    E, assim, nosso Brasil, sem rumo, sofre aqui e ainda tem que passar vexames no Exterior em função das ações dos verdugos de nossa representante maior. 

    Sabemos que a parada fica cada vez mais difícil, e muito favorável à oposição. Mas, não quero perder minhas esperanças. Quero acreditar que no meio do caminho tem uma pedra. 

     

  3. A lista de Furnas já tinha

    A lista de Furnas já tinha sido confirmada pelo Bob Jeferson na época do chamado mensalão, só que ao contrario de outras afirmações dele na época não foi dado destaque para essa, na verdade o jornalismo(?) brasileiro fingiu que não ouviu pois tal com para o Juiz(?) Moro agora “não vinha ao caso”, e o caso é retirar o governo trabalhista do poder com um golpe branco (e põe branco nisso) pois após 4 tentativa concluíram que pelas urnas não levam mais nada.

  4. segundo avaliação que eles

    segundo avaliação que eles sempre fazem dos outros,usando o

    famigerado domínio do fato e o direito punitivo, esses tucanos citados aí

    e seus conluios infames deveriam todos estar presos, sem direito

    a nenhuma defesa, e nem  direito ao tal do garantismo jurídico…

    como eles sempre acusam e criminalizam seus adversários políticos.

    agora serão vistos da mesma forma criminiizatória com que infamaram os outros.. ….

    achacaram a todos, avacalharam a política, judicializaram tanto,

    que agota entraram na derrocada de todo o sistema político que eles tantocriminalizaram,

    os babacas, irresponsáveis…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome