Globo virou black bloc, por Wilson Ferreira

A Globo ainda tinha a tênue esperança de que delegados dissidentes do Colégio Eleitoral não ratificassem a vitória de Trump. Mas a cerimônia da posse e o discurso “porrada” do presidente arrasaram qualquer sonho dos ainda incrédulos correspondentes da emissora nos EUA. Mais eis que os esquecidos black blocs voltam a ação nas manifestações anti-Trump em Washington, tirando os analistas da emissora da depressão. Entusiasmada, a Globo News até reprisou o documentário sobre os black blocs exibido na época das manifestações de rua em 2013 no Brasil. Agora a Globo assume uma espécie de anarcotautismo: entrar na onda de turbinar as manifestações contra Trump, assim como fez nas manifestações anti-Dilma. Mas o tautismo crônico da sua bolha virtual não consegue perceber os movimentos do “deserto do real” que Trump representa: a crise do “neoliberalismo progressista” que sustenta a ordem da Globalização: o alinhamento perverso entre correntes dos movimentos sociais (feminismo, LGBT, antirracismo, multiculturalismo, entre outros), o setor de negócios baseados em serviços simbólicos e tecnológicos (Vale do Silício e Hollywood) e o capitalismo cognitivo representado por Wall Street e a financeirização.

A Globo virou black bloc! Inconformada porque a realidade confrontou o tautismo (autismo + tautologia) crônico de seus repórteres e analistas políticos, a emissora mais uma vez caiu sob o fascínio oportunista da tática black bloc. 

Simplesmente a Globo não conseguiu engolir a vitória. O que só piorou com a posse de Donald Trump na presidência dos EUA. As manifestações durante a cerimônia de posse em Washington atiçaram a imaginação de seus analistas que repercutiram um discurso que dá uma forte sensação de déjà vu – “uma eleição que resultou num país dividido”, “um governo populista e nacionalista que gera incertezas” e assim por diante. Já vimos esse discurso padrão após a vitória de Dilma Rousseff em 2014, culminando com o impeachment da presidenta no ano passado.

Por isso a Globo aciona uma espécie de “narrativa reflexa”, um discurso sempre evocado toda vez que os movimentos do “deserto do real” contradizem seu autismo. Em postagem anterior vimos esse mecanismo em ação no acidente aéreo que matou o ministro do STF Teori Zavascki às vésperas de homologar denúncias-bomba para fevereiro que talvez implodisse o atual governo – a imposição da narrativa do desastre aéreo como “trapaça da sorte” antes mesmo do resultado de qualquer investigação oficial – clique aqui.

A telegenia dos black blocs

No caso de Trump, a narrativa do país dividido, da convulsão social e das incertezas. E os black blocs como os personagens mais icônicos que rendem as melhores fotos e vídeos – são fotogênicos e telegênicos pela juventude e performances arrojadas. São em si mesmos, o índice do caos e desordem – a câmera fechada em um black bloc parece que metonimicamente contamina toda uma manifestação.

Certa vez Caetano Veloso caiu em amores por black blocs femininos (“os lindos olhos amendoados do anarquismo”) e uma capa da Veja chegou a estampar atraentes “panteras” black blocs no auge da “primavera brasileira” (clique aqui). Agora também a Globo vive uma caso de amor com os black blocs, resgatando as até então esquecidas táticas de ação direta. 

Após as indefectíveis imagens de quebradeiras em vitrines, carros e fogo em cestas de lixo sugerindo barricadas no meio das ruas (com direito a uma limusine pichada com símbolo do anarquismo e a frase “We The People” – há muito esse veículo deixou de ser objeto da burguesia para se tornar ícone de turistas novos ricos), a Globo News resgatou o documentário “Entenda quem são os black blocs no Brasil e no Mundo”, produzido em 2013 no auge das manifestações brasileiras. 

Globo anarquista?

Esse é o aspecto tautológico do tautismo: depois de aplicar vitoriosamente na crise política brasileira, a Globo repete o mesmo script. Dessa vez contra a “surpreendente” vitória de Trump: primeiro ato, clima de incertezas; segundo ato, caos protagonizado por black blocs; terceiro ato, virada de mesa, o think tank dos analistas globais.

Apenas com uma pequena variável: enquanto aqui no Brasil a grande mídia juntou a onda black bloc com tudo de mais reacionário para alimentar a atmosfera anti-Governo (racistas, fundamentalistas religiosos, militaristas etc.), para os EUA o retorno dos anarco-ativistas festejado pela Globo está ao lado de feministas, movimento LGBT, ativistas antirracismo, artistas pop e atores hollywoodianos – Madonna, Scarlet Johansson e muitos outros.  

Nem nos mais delirantes sonhos esse humilde blogueiro poderia imaginar a Globo exibindo um documentário tecendo simpatias ao anarquismo, falando em filósofos anarquistas como Proudhon ou Bakunin e ainda sugerindo uma associação da ação direta black bloc às teoria políticas dos velhos pensadores.

Mas, é claro, dando uma ênfase toda especial as ideias de sociedade autorregulada, o fim do Estado e a oposição do anarquismo ao comunismo de Marx e Lenin. 

Anarcocapitalismo

Aqui há uma aliança secreta entre o fascínio pelos black blocs com a oportunista releitura liberal do anarcocapitalismo feita por pensadores econômicos, de Molinari a Friedman – para eles, qualquer forma governo estatal é prejudicial à liberdade e o bem estar humano. Principalmente a ideia de que o estágio atual globalização seria a revolução econômica e social do anarcocapitalismo através da desregulamentação do sistema bancário e acordos de livre comércio que aceleraram processos de desindustrialização.

modus operandi dos analistas do jornalismo da Globo, tão repetitivo na pretensão em aplicar seu script para qualquer lugar do planeta, acaba revelando o outro aspecto da doença do tautismo: o próprio autismo.

O telejornalismo global permanece alheio aos movimentos econômicos e políticos desde a crise de 2008 marcado pela sucessão de falências de instituições financeiras dos EUA e Europa a partir da “bolha imobiliária”, culminando hoje com o Brexit e a vitória eleitoral de Donald Trump.

Uma amostra desse autismo foi como a grande mídia nacional simplesmente ignorou o comentário de Christine Lagarde (FMI) à fala de Henrique Meirelles no painel do Fórum Econômico de Davos sobre a necessidades dos “reajustes” adotados pelo desinterino Michel Temer: Lagarde respondeu que a prioridade deveria ser o combate às desigualdades sociais, e não a imposição de “sacrifícios”. 

Neoliberalismo progressista

O autismo crônico impede a percepção de que a vitória de Trump é o resultado da crise do chamado “neoliberalismo progressista”, termo usado por Nancy Fraser, professora de filosofia e política da New School for Social Research de Nova York.

Segundo a pesquisadora, o aparente oximoro dessa expressão esconde um alinhamento perverso entre correntes dos movimentos sociais (feminismo, LGBT, antirracismo, multiculturalismo, entre outros), o setor de negócios baseados em serviços simbólicos e tecnológicos (Vale do Silício e Hollywood) e o capitalismo cognitivo representado por Wall Street e a financeirização. 

 

46 comentários

  1. te cuida Trump

    Satisfeita com a ordem instaurada no país a plin plin agora vai resolver os problemas do mundo.

    Espelho espelho meu que é ….

  2. A platinada pensou que também

    A platinada pensou que também manda nos USA. Entrou na fila para tomar porrada do Trump. 

  3. é aquela tal história: ruim

    é aquela tal história: ruim com eles, pior sem eles.  a golpe se junta aos protestos para dar um mãozinha pra ver se o Trump sai… mas o problema dela é outro. o problema é o que fazer com o brasil com trump presidente?? nessas horas a gente apoia quem menos esperamos.. é melhir tentar do que deixar o navio escapar..

  4. O sonho da Globo é criar um

    O sonho da Globo é criar um exército EI nos EUA para resistir ao Trump.  Mas, não é um exército islâmico, mas de seus idiotas midiatizados com um anarquismo de grife. Desde o Vietnam, a mídia mundial cuidou de incorporar como ‘onda’ as resistências sociais. Ela só não consegue quando a coisa trata de direitos sociais e trabalhistas como o MST e o MTST. Esses são os inimigos de sua ideologia financista.

    • Vc acha
      Que estes massacres nos presídios é para o que?

      Estão abrindo novo corredor de drogas….As comissões é o que vão sustentar o esquema das pessoas que deram o Golpe por aqui…
      Tudo organizado pela CIA.

      Até TRUMP saber….

  5. Estamos precisando de um Trump para bater na Globo

    Duelo das fotos: Trump dá mais uma na mídia

    Mais um capítulo na guerra de Donald Trump com a mídia americana.

    Ele mandou pendurar uma foto panorâmica da multidão presente à sua posse na sala de imprensa da Casa Branca, feita por um fotógrafo particular (aliás, iraniano de origem), Abbas Shirmohammadi, na imagem, ao lado de suas fotos das posses de Obama e de Trump, onde em tudo a multidão se assemelha.

    Trump, como se sabe, está sendo chamado de mentiroso pela grande mídia americana por ter protestado contra a tentativa de mostrar uma posse esvaziada.

    E espalhou pelo Twitter a imagem, com um ” Thank you Abbas!”.

    Está interessante ver como a grande mídia tem de “rebolar” para enfrentar o topetudo neopresidente.

     

    • Ta parecendo o que diziam as

      Ta parecendo o que diziam as mas linguas que Silvio Santos fazia:  colocava as mulheres bonitinhas na frente e as feias atraz!  (evidente que era gozacao mas correu o Brasil).

      400 mil pessoas documentadas nao se compara a menos de 40 mil nem mesmo se voce pegar somente a fotinha da frente da “plateia”.  Comparando:  na foto Trump a plateia ja comeca a se esvaziar do lado esquerdo enquanto na foto Obama (e ja sabemos isso de outras fotos) o gramado continua entupido de gente do lado esquerdo.  (De fato aquele gigantesco gramado em frente a Casa Branca estava todo cheio.)

      • Você esqueceu-se de informar
        Você esqueceu-se de informar de que lado você está:á esquerda,á direita ou na coluna do meio.Xingou Deus e todo mundo,inclusive o acima assinado,durante 10 longos anos,e agora mostra os dentes ao lado da Globo em razão do emperucado exótico e Presidente legalmente eleito dos Estados Unidos da América,Donald John Trump,porquê simplesmente ele bloqueou todas as suas saídas.”Pode-se enganar a todos por algum tempo;pode-se enganar alguns por todo tempo;mas não se pode enganar a todos o tempo todo”.É de Abraham Lincoln.

  6. Doem suas furtunas

    Afinal madona sempre foi uma comunista anarquista bilionaria.

    É muito ridiculo artistas multimilhonarios fazerem este papel de libertarios. Doem suas furtunas

  7. O trumpismo invadiu o Google com o lema Primeiro o meu pirão

    O trumpismo invadiu o Google com o lema Primeiro o meu pirão, tá vendo GloboGolpista sem escrúpulos e lesa-pátria.

    Com a asençãode Trump,  a rede  foi invadida por  chamados para que os brasileiros invistam nos EUA sem sair do Brasil uma vez que o Brasil quebrou….kd aquele povo da Empiricus que invadia o face e redes pregando o golpe para o Brasil sair da crise. Por coincidência, enquanto lia este artigo do Wilson um anuncio com a imagem do Trump piscava na aba direita:

    Como fugir da crise? Invista nos EUA.

    “A resposta para essa pergunta é mais simples do que parece, em todos os aspectos. Enquanto a frágil economia brasileira sofre uma das maiores crises internas da história recente, a maior potência mundial conhecida pela humanidade segue crescendo em ritmo acelerado.

    https://www.tororadar.com.br/vale-a-pena-investir-nos-eua?utm_campaign=291579948&utm_term=11263846668&utm_source=&utm_medium=cpc

  8. Ficção global

    Boa análise. A globo, como sempre, tritura os fatos, dissolve a realidade, transformando-a em arma contra os adversários de seus interesses políticos e econômicos. Produz uma narrativa que carrega a ideologia dos grupos de poder que representa e dos quais é beneficiária. Por outro lado, fico na dúvida se  exsite, efetivamente, o alinhamento entre os movimentos sociais citados e o neoliberalismo. 

  9. A globo é uma empresa de

    A globo é uma empresa de fachada para encobrir um grupo terrorista de há mais de cinquenta anos atua contra o desenvimento intelectual, econômico, cientifíco, político, trabalhista, social, etc etc etc do Brasil e dos Brasileiros.

    Só conseguiremos progredir se esta empresa for eliminada do nosso meio.

  10. Aos fatos: Os escolhidos do governo Trump

    A esquerda trumpista não se convence nem com os fatos… Prefere ficar fazendo masturbação intelectual. Vamos lá, esse é o perfil do governo que vai salvar o mundo do neoliberalismo e tornar a Terra um lugar mais justo e pacífico, segundo a esquerda trumpista.

    Os escolhidos do governo Trump

    Chefe de gabinete

    Reince Priebus, líder do Partido Republicano, vai chefiar o gabinete da Casa Branca. Ele, que atualmente preside o Comitê Nacional Republicano, foi o principal aliado de Trump durante a corrida presidencial. Ao nomear Priebus, o magnata volta-se para um veterano de Washington, muito próximo dos caciques republicanos.

     

    Estrategista

    Stephen Bannon, ex-diretor do portal de notícias da extrema direita “Breitbart News”, será o chefe estrategista do governo Trump. Ele também trabalhou na campanha presidencial. A nomeação de Bannon foi denunciada por grupos de defesa e democratas, que o acusam de opiniões racistas, antissemitas e misóginas.

     

    Segurança Nacional

    O general reformado Mike Flynn foi apontado como assessor de segurança nacional da Casa Branca. Flynn tem em seu registro uma série de declarações polêmicas sobre muçulmanos. Segundo a imprensa americana, a escolha é uma mescla de experiência e controvérsia. Como vice, Trump nomeou Kathleen Troia McFarland, conhecida como K.T. McFarland, analista da Fox News sobre segurança nacional.

     

    Inteligência Nacional

    Como novo diretor de Inteligência Nacional (DNI), o ex-senador Dan Coats será o principal assessor presidencial em temas de inteligência e vai supervisionar todos os serviços de informação e espionagem. Coats já trabalhou nos comitês de Inteligência e das Forças Armadas no Senado e também foi embaixador dos EUA na Alemanha.

     

    Secretário de Justiça

    Jeff Sessions, senador conservador do estado do Alabama, será o secretário de Justiça e procurador-geral dos Estados Unidos. Sessions tem discurso linha-dura e muitas vezes inflamatório sobre imigração. Em 1986, ele foi indicado para juiz federal pelo então presidente Ronald Regan, mas teve nomeação suspensa por comitê do Senado, sob acusação de racismo.

     

    CIA

    O deputado republicano Mike Pompeo foi apontado para dirigir a agência de inteligência dos Estados Unidos – a CIA. Pompeo, que é membro do Comitê de Inteligência da Câmara, ganhou destaque por seu papel na investigação do Congresso sobre o ataque de 2012 ao consulado americano em Benghazi, na Líbia. Durante a campanha presidencial, o republicano foi um crítico ferrenho de Hillary Clinton.

     

    Representante na ONU

    Nikki Haley, governadora da Carolina do Sul, ocupará o cargo de embaixadora nas Nações Unidas. Primeira mulher a ser nomeada para um cargo importante do futuro governo Trump, ela teve sua indicação criticada pela falta de experiência anterior com política externa. Filha de imigrantes indianos, Haley chegou a trocar farpas com o magnata durante a campanha, dado o tom racista do colega de partido.

     

    Secretária de Educação

    Betsy DeVos será secretária de Educação. A bilionária foi presidente do Partido Republicano no Michigan e preside a organização American Federation for Children, que propõe que os pais possam recorrer a fundos públicos para escolher a escola que seus filhos vão frequentar, seja particular ou religiosa. É também opositora declarada dos sindicatos de professores, chegando a chamá-los de “inimigos”.

     

    Secretário do Tesouro

    Steven Mnuchin foi indicado para ser secretário do Tesouro. Chefe financeiro da campanha do magnata, ele já trabalhou para o grupo bancário Goldman Sachs e foi presidente da empresa Dune Capital Managment, que financiou filmes como “Avatar”. Em entrevista à imprensa americana, afirmou que sua prioridade será diminuir os impostos de empresas, como Trump havia prometido durante a campanha eleitoral.

     

    Secretária de Transportes

    A americana de origem chinesa Elaine Chao deve comandar a Secretaria de Transportes do país. Ela terá um papel fundamental no cumprimento da promessa eleitoral de Trump de reformar a infraestrutura de transporte dos Estados Unidos. Chao foi vice-secretária da pasta durante o governo George Bush, de 1989 a 1991, e secretária de Trabalho de 2001 a 2009, com George W. Bush.

     

    Secretário de Comércio

    O bilionário Wilbur Ross, conhecido por investir e retomar o lucro de empresas falidas, é a escolha de Donald Trump para chefiar o Departamento do Comércio no seu governo. O empresário ajudou a moldar as propostas econômicas da campanha do presidente eleito dos Estados Unidos.

     

    Secretário de Defesa

    O general reformado da Marinha, James Mattis, deverá comandar o Departamento de Defesa americano. Considerado um militar “linha-dura”, Mattis liderou operações em todo o Oriente Médio, como a que invadiu o Iraque em 2003. Ele é conhecido pelo apelido “Cachorro Louco” (Mad Dog).

     

    Secretário de Saúde e Serviços Humanos

    O deputado republicano e cirurgião Tom Price foi escolhido por Trump para a pasta de Saúde e Serviços Humanos e para administrar os programas de seguro de saúde do governo, entre eles o Affordable Care Act, que ficou conhecido como ObamaCare. Nos planos do secretário está a redefinição desses programas.

     

    Conselheiro da Casa Branca

    Donald McGahn, conselheiro geral da equipe de transição de Donald Trump, foi escolhido para servir como advogado da Casa Branca. Segundo especialistas, a prevenção de escândalos está entre as tarefas principais deste cargo.

     

    Pequenas Empresas

    A magnata Linda McMahon foi a escolha de Trump para o posto de secretária de Pequenas Empresas. McMahon entrou para o mundo da política ao se candidatar para o Senado pelo estado de Connecticut, sem sucesso, em 2010. Desde o início ela apoiou a campanha presidencial de Trump.

     

    Habitação

    O neurocirurgião aposentado Ben Carson foi nomeado para o posto de secretário de Habitação e Desenvolvimento Urbano. Carson, que concorreu com Trump na lista de candidatos presidenciais republicanos, nunca ocupou um cargo público. Até agora, ele é o afro-americano mais bem posicionado no novo governo dos EUA.

     

    Segurança Interna

    O general aposentado da Marinha John F. Kelly foi a escolha de Trump para chefiar o Departamento de Segurança Interna, o terceiro maior departamento do governo americano, com mais de 240 mil funcionários. Dentre as funções do novo secretário está o combate ao terrorismo e a proteção do presidente.

     

    Proteção Ambiental

    O procurador-geral do estado de Oklahoma, Scott Pruitt, será o chefe da Agência de Proteção Ambiental (EPA). Pruitt é criticado por negar a mudança climática e por ser um defensor dos combustíveis fósseis. O procurador interpôs várias ações judiciais contra a regulamentação da administração Obama, implementada pela EPA, para reduzir as emissões pela indústria do carvão.

     

    Ministério do Trabalho

    Andrew Puzder, chefe da rede de fast foods CKE, foi apontado como o próximo ministro do Trabalho. Segundo Trump, o empresário de 66 anos é ideal para o cargo por ter criado milhares de postos de trabalho. Puzder, contudo, também ficou conhecido por ser contra a fixação de um salário mínimo de nove dólares a hora. Ele alega que isso prejudica os lucros.

     

    Secretário de Estado

    O CEO da multinacional de gás e petróleo ExxonMobil, Rex Tillerson, foi escolhido para o cargo de secretário de estado. Tillerson, de 64 anos, não tem experiência no setor público. Ele começou na ExxonMobil em 1975 e, em 2006, tornou-se o CEO da companhia. A relação estreita que o novo secretário de Estado mantém com o presidente russo, Vladimir Putin, foi apontada como motivo de preocupação.

     

    Energia

    O ex-governador do Texas Rick Perry foi escolhido como secretário de Energia. Segundo analistas, é provável que ele adote uma política distante das energias renováveis e favorável aos combustíveis fósseis, cuja produção ele defendeu como governador por 14 anos. Nas duas últimas eleições presidenciais, Perry foi pré-candidato pelo Partido Republicano, sem sucesso.

     

    Exército

    O bilionário Vincent Viola foi escolhido para o cargo de secretário do Exército. Aos 60 anos e filho de imigrantes italianos, ele é dono de um time de hóquei e da Virtu Financial. Seu único vínculo com a carreira militar vem de quando era jovem: Viola se graduou na prestigiada academia militar de West Point.

     

    Conselho Nacional de Comércio

    O economista linha-dura em relação à China, Peter Navarro chefiará o recém-formado Conselho Nacional de Comércio da Casa Branca. Navarro é autor de livros incluindo “Death by China: How America Lost its Manufacturing Base” (Morte pela China: como os EUA perderam a sua base industrial, em tradução livre). Professor da Universidade da Califórnia, ele tem sugerido intensificar as relações com Taiwan.

     

    Interior

    Ryan Zinke, 55, republicano de Montana e membro do subcomitê da Casa Branca para recursos naturais, votou a favor de leis que enfraqueceriam as salvaguardas ambientais em terras públicas. Ele tomou posições favoráveis à indústria do carvão, a qual foi prejudicada durante o governo Obama.

     

    Comércio

    Robert Lighthizer, 69, serviu como vice-representante comercial dos EUA durante o governo Reagan nos anos 80 e, desde então, atuou por quase três décadas como advogado na defesa de empresas americanas em processos anti-dumping e anti-subvenções. Crítico ferrenho da política comercial chinesa, Lighthizer defende medidas mais agressivas ao lidar com o país asiático.

     

    Agricultura

    O ex-governador da Geórgia Sonny Perdue, de 70 anos, serviu no comitê consultivo agrícola da campanha de Trump. Republicano, ele serviu no Senado estadual e cumpriu dois mandatos como governador, de 2003 a 2011. Posteriormente, fundou a Perdue Partners, uma empresa global de comércio que presta consultoria e serviços para empresas interessadas em exportar produtos.ein

    ce Priebus, líder do Partido Republicano, vai chefiar o gabinete da Casa Branca. Ele, que atualmente preside o Comitê Nacional Republicano, foi o principal aliado de Trump durante a corrida presidencial. Ao nomear Priebus, o magnata volta-se para um veterano de Washington, muito próximo dos caciques republicanos.

    • Cara Vânia, me desculpa me

      Cara Vânia, me desculpa me intrometer. Mas não vi onde o Wilson defende o Trump. Ele apenas expõe as contradições de certo discurso anti-Trump. Daí a apoiar o dito cujo vai uma enorme diferença.

      Dito isso, de fato existem aqueles esquerdistas que vão mais pelo estômago do que pelo cérebro. Houveram aqueles que “apoiaram” o Sadam porque circunstancialmente era inimigo dos EUA. Assim como alguns vibraram com o atentado às torres gêmeos.

      Sem dúvida um equívoco sem tamanho. Nada a ver com o dicurso do Wilson. Sempre bem fundamentado e lógico, concordando-se ou não com ele. 

      PS: Não queria dar um de advogado dele sem autorização, mas é que gostei bastante do texto

      • Ora, ora, Juliano, não sejamos ingênuos

        Pode até não ter defendido explicitamente, mas também não fez as críticas mais do que merecidas.

        Deixou “implícita” (nem tão implícita, claro) até uma certa simpatia pelo Trump. A quem serve esse discurso (esse invencionismo) sobre “neoliberalismo progressista” ? Você já parou pra pensar nisso? Ora, só serve para uma certa “esquerda” que já não era mesmo muito a favor dos movimentos que defendem as minorias agora usar essa pós-verdade (pra não dizer outra coisa pior) para combater essas correntes progressistas e atacar as minorias.

        Burrice da ex-querda, mais uma delas… Assim afasta as pessoas que mesmo sendo profundamente críticas ao neoliberalismo, têm posições fortemente progressistas. Nem vou me estender mais… É tão óbvio que dá até preguiiça de explicar.

        Querem se isolar? Que se unam em torno da “esquerda tradicional conservadora em defesa da família e da propriedade”. Tá vendo que legal? Depois não reclamem do avanço da extrema direita.

          • uau!

            Muito oportuna a sua intevenção. (rs)

            Pobre Diógenes, jamais verá luz vinda desse vagalume, somente a escuridão do brejo.

            É esse tipo que está proliferando na ”esquerda trumpista”. Em geral, pode-se chamar de “esquerda conservadora” ( e burra) .. 

          • Trumpsta é sua mãe!
            sai da

            Trumpsta é sua mãe!

            sai da frente do meu sol

          • Á resposta de Vagalume do
            Á resposta de Vagalume do Brejo denota claramente que ele “pegou ar”.Não era para menos.Esses radicais,seja de que naipe for,são pavorosos ou pavãorosos.Aqui no Brasil se escondem atrás de um discurso dúbio e cretino,e atuam claramente,como linha auxiliar da direita.Alguma coisa contra Da.Vânia?

          • O Professor Boaventura de
            O Professor Boaventura de Souza Santos,cientista político português,talvez o maior da atualidade,costuma afirmar que o maior defeito da esquerda latino-americana é o tamanho do ego.Aí eu entro.Não só concordo com ele como entendo o ego maior que o Oceano Pacífico.A senhora teria alguma coisa contra a tese do Professor Boaventura?

    • Pensamento binário

      Pois é, nem sei pra que perder tanto tempo analisando o comportamento da Globo, o autor poderia gastar melhor seu tempo e talento.

      Sobre o pensamento binário, sou super crítica. Um bom exemplo de pensamento binário é o seguinte:

      “Se a globo é a favor sou contra, se é contra sou a favor”

      • Aliás senhorina Vânia,não sou
        Aliás senhorina Vânia,não sou dado e me entrometer na conversa de seu ninguém,senão quando provocado,é o que mais acontece por aqui.Suas colocações,em alguns casos são até convergentes com as minhas,como no caso da Globo.Em outro post,me parece do companheiro Assis,você se dirigiu a mim de uma forma pouco elegante.Eu lhe respondi,mas o Blog cassou meu direito de resposta,consagrado pelo Diploma Consolidado Pátrio.Só posso atribuir a três fatores:Seria vosmece a mais nova cadastrada;Teria a senhora desbancando André Araújo,deslocado de Assuntos Internacionais para os relativos aos da Aviação Civil ou seria pura e simplesmente por pirraça, por eu me postar na frente do seu Sol.

  11. Netanyahu amplia

    Netanyahu amplia assentamentos na Cisjordânia com a posse de Trump

     

    Dezenas de casas novas serão erguidas em Beit El — enclave vizinho de Ramallah, a capital administrativa da Autoridade Palestina —, que recebeu financiamento da família do genro e assessor do presidente Trump, o judeu ortodoxo Jared Kushner, segundo o jornal israelense Haaretz.

    Governo israelense aprova construção de 2.500 casas no território palestino ocupado

    ”As regras do jogo mudaram com a chegada de Trump na presidência”, afirma vice-prefeito da cidade

  12. Que se dane…

    Quero que o circo lá do norte pegue fogo e os bombeiros estejam de férias.

    Aquele povinho asqueroso, prepotente, empafioso, anencéfalo cristão radical, imbecil pela própria natureza e safados, merecem todo castigo que lhes é devido.

    Que se lasquem e experimentem do próprio venêno.

    Os bonzinhos Obama e Hilary sambaram na cara do mundo, promovendo primaveras árabes, golpes na Ucrânia, honduras, Paraguai, Brasil e as fustigações contra Venezuela, Equador, Bolívia além do apoio ao Macri na Argentina e por aí vai.

    Nenhum presta.

    Nenhum vale nada.

    Todos são o mesmo lado da mesma moeda.

  13.  
    O diabo é que baixa uma

     

    O diabo é que baixa uma vontade desgraçada de se contrapor aos interesses dos fdp da globo. No mais, em se tratando do terrorista império do norte. Vistos por alguns como terrorismo do bem. Mas, o que de fato pode interessar é que os assassinos do Pentágono, sejam denunciados e condenados pelo genocídio que cometem ao redor do planeta.

    No Pentágono também estão os homens que manipulam os cordeis para acionar os mamulegos na Casa Branca, tal qual, se opera os VANTs, porém, com tecnologia ainda analógica. Aqueles idiotas que o grande capital elege em intervalos de  4 anos podendo repetir + uma vez apenas, ciosos como são, deve ser para respeitar a tal da “alternância no poder.” 

    Para a humanidade o bom é que estes cretinos fodam-se todos. Inclusive, para o próprio povo americano, embora ao que parece, somente agora sinalizam disposição para abrir os olhos.São muitos anos de enganação. Quiça, se aproxime a oportunidade do povo americano festejar um dia de Ação de Graças menos mentiroso.

    Orlando

    Por falar em mentiras, o imbecil do Trump vai manter o programa de VANTs? Aquele criado pelo presidente Obama para assassinar os terroristas do mal.  Ações que, por vezes, desafortunadamente mata velhos, mulheres, e criaças. Naturalmente, todos potenciais futuros terroristas do mal. São os efeitos colaterais, quando as bombas de mira cirúrgica se enganam.

    Orlando

  14. PSOL é da CIA
    “The Left” is not monolithic. “The Left” is not “split and alienated from the mass of the working classes”, because “The Left” is controlled by a group that only seeks to compromise those masses for their own ends. That is why we talk about ‘fake left’, ‘feckless left’, ‘institutional left’.

    Observe a cobertura que a Globo da para o PSOL….
    E conclua!

  15. Artigo
    É bom para ignorantes. Para aqueles cérebros adormecidos.
    O despertar não é fácil para ninguém e por isso mesmo o próprio texto não te diz toda a verdade.
    Tem que ser aos poucos mesmo.

    Ainda cita diversas histórias (com H mesmo) que são contos de fadas. Como por exemplo a guerra da Sérvia e etc..

    Enquanto isso, nossa esquerda luta contrazelites. Kkkkkkkk
    É tudo do mesmo lado !
    Seu único lado é seu país!

  16. Trump

    Cuidado com o vice, Trump. Muito cuidado com o vice!

    A globow (assim mesmo, com um leve sotaque irlandês) não te deixará em paz.

    A globownius anda dizendo que o sr não passa de um troglodita, um bárbaro, um estranho no ninho iluminista, progressista e democrático de Hilary.

    Alguém pode fazer a gentileza de fazer chegar até os ouvidos do Trump que a grande mídia tupiniquim está conspirando contra ele.

    Os coxinhas daqui – os daqui, porque os de lá do norte são muito piores do que os nossos, dão de goleada nos amarelinhos – já podem estufar o peito e regurgitar, sem medo de errar, que a redeglobow é cumunista.

     

    • Nada que uma leve

      Nada que uma leve investigação sobre a GLOEBELS não a leve aos porões do silencio.

      Já que o entreguista esta no poder, uma leve pressãozinha o fará abrir as areas de comunicação ao mundo. O de que precisamos é CONCORRENCIA. A Gloebels não suporta isso.

  17. Globo virou black bloc, por Wilson Ferreira

    -> O fato é que a Globo liderou um golpe cujo objetivo final era o alinhamento automático com o globalismo econômico e a política externa de Hillary Clinton e do neoliberalismo progressista dos Democratas.

    o que há é um fato inquestionável: os EUA perderam a guerra por um mundo unipolar.

    guerra perdida, a solução terá que ser política!

    Trump é o encarregado (pelos “proprietários da humanidade”) de viabilizar a negociação e o rearranjo global de um mundo multipolar, no qual os EUA ainda serão a liderança, mas não isoladamente.

    esta é a grande questão, e não to be or not to be. porque já foi…

    o Império do Caos e a Tirania Financeira Global perderam a guerra para impor uma governança mundial unilateral.

    agora, todos seus associados, desde corporações como a Rede Globo no Brasil, até países inteiros, como a Alemanha com sua despótica opressão sobre a Europa, todos serão brutalmente afetados.

    as peças do grande tabuleiro de xadrez da geopolítica e geoeconomia mundial foram derrubadas.

    evidentemente, todo este realinhamento não será pacífico. a solução política para configurar um mundo multipolar será a continuidade da guerra, por outros meios.

    neste interregno, num certo vácuo provocado pelo realinhamento da hegemonia, surge uma oportunidade para uma “Esquerda-Esquerda” (nem uma Esquerda-Trump, nem uma Esquerda-Obama) atuar e novamente se tornar um forte agente político.

    como a plutocracia brasileira será afetada? o que vai fazer? nem ela mesmo sabe!

    a plutocracia colonial e escravocrata do Brasil sempre foi comandada de fora, nunca teve pensamento estratégico ou qualquer visão de futuro.

    daí um de nossos maiores perigos é surgir um populista nacionalista de Direita, carismático, articulado e bem assessorado, que seja no Brasil o representante desta outra nova ordem mundial que se anuncia.

    abraços

    .

      • Globo virou black bloc, por Wilson Ferreira

        só uma ressalva: não estou afirmando que a Globo vai automaticamente se ferrar. canalhas servis como são, logo vão dar um jeito de estar lambendo as botas do novo senhor.

        muito bons são os artigos do Cinegnose! graças a eles conheci o intrigante HyperNomalisation (como o Trump tem destaque no documentário, não?).

        .

  18. O que Wilson Ferreira nos
    O que Wilson Ferreira nos trouxe e nos brindou foi uma verdadeira aula sobre como a Globo não aceitou a derrota no Reino do Tio Sam.Como os Presidentes da República dos Estados Unidos não são como a novela das oito que a Globo troca de seis em seis meses,vai ficar no esperneio.No mais é resto ou nhemnhemnhem de alguma saudosista do Partido dos Panteras Negras,de saudossissima memória.

  19. Vou levar na esportiva.Depois
    Vou levar na esportiva.Depois que a senhorina Vânia aqui se cadastrou,não tive a honra de ver um dos meus comentários levados ao ar,inclusive fazendo valer meu sagrado e divino direito de resposta,visto que,por ela fui questionada de uma forma,vamos por assim dizer,pouco apropriada para qiem cultiva a boa educação e os bons modos.E mais uma vez o Blog adota os costumes infames do velho e surrado ditado popular:faça o que eu digo,mas não faça o que eu faço.

  20. Globo News cansa com video de

    Globo News cansa com video de propaganda escrito que “duvide das certezas”; e, em seguida, culpa Tramp de trazer as incertezas.

    As incertezas não eram normais com Temer?

  21. Globo virou black bloc

    foto: o autor de bizarros contos sci-fi Nathan Dubovitsky, também assessor particular de Putin.

    pela gestão da percepção e a manipulação do simbólico, a política e a arte se unem, garantindo acesso direto ao inconsciente coletivo.

    nada é exatamente o que parece, tudo é teatro de sombras, jogo de espelhos, miragens distorcidas. tudo são performances. manipulações de manipulações, num reflexo infinito.

    indo além da guerra híbrida, avançamos agora no desconhecido teatro de operações de uma guerra de mundos.

    quem domina a linguagem, domina o mundo.

    por isto, talvez não sejam muros que sobem, pode ser finalmente o 11/9 começando a cair.

    vídeo: Trump – “a nation without borders is not a nation”

    mas existe alguma nação sem fronteiras no mundo?

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=Aq5Mg7rJFNE%5D

    vídeo: Sicario – terra de ninguém

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=7XLQ1bkSLDo%5D

    .

  22. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome