Mídia ofusca atos contra golpe da Previdência, por Altamiro Borges

Os jornalões não deram manchetes para as manifestações e optaram por minúsculas notas – a maioria delas, totalmente anódinas.

Av. Paulista, São Paulo, 22/3/19. Foto: Edna Amorim

do Blog do Miro

Mídia ofusca atos contra golpe da Previdência

por Altamiro Borges

O Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência, na sexta-feira (22), superou as expectativas mais otimistas das centrais sindicais. Segundo levantamento parcial, o protesto unitário teve atos, marchas e panfletagens em mais de 120 cidades – a previsão inicial era de que as manifestações ocorressem nas 26 capitais e em cerca de 50 municípios de grande porte. Além de ter se espalhado pelo país, os protestos também contaram com expressiva adesão, lotando praças e avenidas.

O ato na Avenida Paulista, no centro de São Paulo, reuniu mais de 60 mil pessoas. O clima foi de revolta contra o golpe orquestrado pelo laranjal de Jair Bolsonaro, que extingue a aposentadoria de milhões de brasileiros e reduz os benefícios de outros milhões, e de preparação para a greve geral – que já é consenso entre todas as noves centrais sindicais do país. Apesar do sucesso surpreendente dos protestos, a mídia privatista optou por ofuscar a iniciativa unitária do sindicalismo.

Os jornalões não deram manchetes para as manifestações e optaram por minúsculas notas – a maioria delas, totalmente anódinas. A Folha de S.Paulo – que brigou com o miliciano Jair Bolsonaro, mas apoia a sua iniciativa de matar de fome os aposentados – deu relatos das manifestações em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. No caso do ato na Avenida Paulista, o jornal relata que “segundo a organização, 60 mil pessoas foram à manifestação. A Polícia Militar fala em 15 mil”. O protesto também não mereceu destaque no oligárquico e decadente Estadão e no rentista O Globo.

Leia também:  Foi um descuido…, por Fábio de Oliveira Ribeiro

O pior da “cobertura jornalística”, porém, ocorreu nas emissoras de rádio e televisão. Diferentemente da linha editorial adotada durante as marchas golpistas pelo impeachment de Dilma Rousseff, nas quais essas concessões públicas foram usadas ilegalmente para excitar os “midiotas”, agora não houve qualquer destaque às mobilizações contra o golpe dos rentistas na aposentadoria. O Jornal Nacional da TV Globo, o principal telejornal do país, fez um registro quase invisível do protesto das centrais sindicais. E ainda tem gente que acredita na “neutralidade” da mídia patronal e rentista.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

3 comentários

  1. 13 ANOS NO PODER … E hoje dependemos da mídia “convencional” totalmente despudorada e tendenciosa pra dar uma notinha sobre as várias paralisações pelo país. Esmola, entenderam? Se forem 500 mil pessoas pra AV. Paulista protestando contra a reforma da previdência, dirão que foi 100 mil .. Telejornais? esqueçam. Não podemos contar com a mídia quando o tema for Previdência. Ou seja, só temos os Blogs progressistas pra informar o povão. Nisso, a gestão petista foi um desastre total. Zero de Comunicação. Perceberam tarde a importância dos blogs progressistas! Nem vamos lembrar a TVT que poderia hoje ser nossa válvula de escape. Se a TVT tivesse o poder de transmissão de “uma gazeta, uma rede TV ou uma mini SBT” já estava de ótimo tamanho! Enfim.. triste demais. Humilhação. Desânimo etc

  2. Além de ofuscar não dão oportunidade aos grandes e renomados especialistas brasileiros que são contra a reforma da previdência, por saberem que ela muito mais do que superavitária. Temem que informem a população que os desvios vultosos do próprio governo e que a escandalosa e fabulosa divida das grandes empresas continua sem pagamento e que essas empresas super devedoras continuam a operar tranquilamente, sem serem incomodadas por qualquer ação de cobrança ou de punição. O que eles sempre fazem é tirar do couro do trabalhador. Corja de @&#*?/+^#@&*

  3. Não acredito que pessoas queiram entrar e defendam a piramide financira da previdencia. Todos os que entrarem tardiamente serão lesados.
    Certo está Portugal que instituiu uma contribuição, que chega a 40% do que exceder os 7 mil euros DE TODAS AS APOSENTADORIAS, INCLUSIVE AS VIGENTES.
    Portugal saiu da crise, e está em franco crescimento porque os investidores sabem que a bomba-relógio do desastre fiscal foi desarmado. Agora o crescimento acelerado vai trazer ao povo português muito mais benefícios do que a aposentadoria diminuida pelo endurecimento das regras.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome