Na história dos cassinos -um período que vai dos anos 30 até 1946–, não houve empresário mais influente que o mineiro Joaquim Rolla. Numa época, chegou a ser relacionado por Assis Chateaubriand na relação dos dez homens mais influentes do país.

Rolla era um tropeiro e empreiteiro de estradas, protegido de Arthur Bernardes. Em 1932 chegou ao Rio, perdeu todo seu dinheiro nas roletas do Copacabana Pálace, voltou para Minas, entrou na concorrência para a construção de uma estrada de ferro e ficou milionário. Pouco depois voltou para o Rio e foi comprando, aos poucos, as ações do Cassino Balneário da Urca. Em breve tornou-se seu proprietário.

Nos anos 30, quando o jogo foi reaberto, julgava-se que o Copacabana ficaria sozinho. Aí Rolla começou a comprar as ações no cassino da Urca, que ficava em bairro retirado do Rio. Aos poucos foi assumindo o controle. De posse do cassino, promoveu uma revolução sem paralelo na época. Além da Urca, Rolla criou uma Agência Difusora de Anúncios que tinha, como finalidade promover a Urca nos jornais da cidade. Entre os jornalistas havia um time que incluía nada menos que Olímpio Guilherme (ator de cinema e depois, redator-chefe do Observador Econômico), Carlos Lacerda, Franklin de Oliveira.

O Cassino acabou dominando todo o bairro da Urca. Os funcionários, bailarinas, músicas, croupiers se tornaram parte da paisagem do bairro e as fichas substituíam dinheiro. Nesse ambiente, Carlos Machado, sem conhecer uma nota de música, tornou-se maestro de uma das mais famosas orquestras brasileiras da época, a Brazilian Serenaders, a banda titular da Urca, que tinha entre seus músicos Laurindo de Almeida, o sax tenor Walter Rosa, o violinista Fafá Lemos, o cantor e pianista Dick Farney, o flautista Copinha, Russo do Pandeiro, os irmãos Gagliardi.

Entre as crooners que passaram pelo cassino estavam Emilinha Borba, Marlene, Linda Batista, Dircinha Batista, Heleninha Costa, Virginia Lane, Francisquinha, Fada Santoro, Miss Baby Marion, Lourdinha Bittencourt, Stella Gil, Ruth Martins, Leonora Amar e Dalva de Oliveira.

Carlos Machado, aliás, foi um dos mais pitorescos personagens da vida carioca. Gaúcho, de família tradicional, chegou ao Rio de Janeiro em 1930, depois se mudou para Paris onde fez de tudo, de gigolô a sapateador e, depois, amante em tempo integral da grande Mistinguetti. Voltou ao Rio e aos poucos foi galgando postos e se tornando um dos reis da noite carioca. Foi a partir do Brazilian Serenaders que se formou o Quintandinha’s Serenaders, conjunto vocal que marcou época, e que era formado pelo futuro ator Alberto Ruschell, Luiz Bonfá, Francisco Pacheco e Luiz Telles.

Eleazar de Carvalho foi diretor musical do Cassino e muitas famílias artísticas originaram-se de lá. Os cantores Simone e Nena são pais do ator Ney Latorraca. O cantor Léo Albano era pai de Décio Piccinini, que fez sucesso certo tempo como jurado do Sílvio Santos. Herivelto Martins e Dalva de Oliveira tiveram o cantor Peri Ribeiro; Herivelto foi pai, ainda do diretor de televisão Ubiratan Martins. Silvino Neto era o pai de Paulo Silvino; Juan Daniel, de Daniel Filho; o motorista de táxi Banguel, pai de Norma Benguel; e o grande comediante Manuel Pêra pai de Sandra e Marília Pêra.

Depois do sucesso da Urca, Rolla espalhou seus cassinos por todo o país, inclusive investindo uma nota preta em uma construção portentosa, do Cassino Quitadinha, em Petrópolis.

Em 1946, quando o jogo foi fechado no Brasil, era dono do Cassino da Urca, do Hotel Cassino Icaraí, da Urca de Poços de Caldas, o Cassino da Pampulha e o de Araxá, o Tênis Clube de Petrópolis, o Hotel Cassino Quitandinha, o Pavilhão de São Cristóvão, feito para feiras e exposições.

O Urca de Poços de Caldas foi arrendado a Walther Moreira Salles, que planejava construir um conjunto, incluindo hotéis e tudo o mais, em uma empresa que fundou em sociedade com Clodoveu Davis, um médico local. O esporte predileto de Rolla era a peteca. Morreu depois de passar uma manhã inteira jogando peteca na praia, sob um sol escaldante que lhe fritou os miolos. Matou-o a calvície.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

3 comentários

  1. República de Juiz de Fora. A Elite da Mineirada Lacaia que ascende junto ao Golpe Civil Militar Ditatorial Caudilhista Assassino Esquerdopata Fascista de 1930. Perceberam as datas 30/45?! Water Salles, Rolla, Juscelino Kubscheck, Chateaubriand (Coronelato Nordestino) capitaneados pelo Chefe da Quadrilha Tancredo Neves, seu genro playboy, vagabundo, congressista Aécio Ferreira da Cunha e mais tarde Itamar Franco e Aécio Neves. E Aquela Família !!!! O que poderia sair deste Brasil?!! Alguns dizem não entender a Latrina construída em 88 anos, pelo ‘Arquiteto e Engenheiro’ que produz sua obra de fascistas anos de 1930 até a farsante Redemocratização de 1980. Os mesmos que correram atrás do caixão do ‘Cappo di tutti capi’, queriam o que? Honestidade, Honradez e Trabalho?! Pobre país rico. Mas….

  2. Nassif, o primeiro (e único, já que Dutra fechou o jogo no Brasil) gerente do Cassino Urca de Poços de Caldas, foi o escritor Lindolfo Lino Belico, pai do Omar Belico dos Reis, nosso querido “Painho”, hoje morando em SP.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome