Em 1979, a morte de Julinha, filha de Caetano e Dedé

Sobre a sua filha Júlia, música em sua homenagem abaixo:

Do blog do Reynivaldo Brito

MÚSICA – CAETANO :ESTAMOS ARRASADOS COM O QUE HOUVE.

Revista Manchete 3 de fevereiro de 1979
Texto Reynivaldo Brito

Morte de Julinha altera a vida de Caetano Veloso e Dedé

Falar de morte é sempre difícil. Principalmente quando se trata de morte de alguém que mal acabou de nascer. Foi isto o que aconteceu com Júlia – filha de Caetano Veloso e Dedé. O parto já começou complicado, no Hospital Português, em Salvador. Mesmo assim, Dedé deu à luz uma menina prematura, de seis meses, no último dia 3, que ficou na incubadeira durante uma semana. Dia 11, Júlia faleceu. Os pais, muito abalados, procuraram fazer o enterro dentro do maior sigilo possível e se afastar das especulações da imprensa. O que não conseguiram, de todo. Após vários e insistentes telefonemas, Caetano concordou em falar.“Vocês podem fazer um pequeno registro de que estamos arrasados com o que houve. Porque esperávamos que ela sobrevivesse. Mas a vida é assim mesmo. E vamos pra frente.”    Com isso, Caetano e Dedé – juntamente com o filho Moreno, de cinco anos – decidiram descansar no último fim de semana, indo para casa de Gilberto Gil. O cantor, a propósito, vive com Sandra, irmã de Dedé que, no momento, também está grávida.    Moreno, na despreocupação de sua infância, curtiu com os primos o sol e as brincadeiras baianas. Os pais, por enquanto, nem pensam em quaisquer movimentos ou badalações. Caetano, inclusive, por causa do fato, andou desmarcando alguns compromissos particulares. Até que tudo volte ao normal. E a tristeza seja superada.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  O som divino dos Swingle Singers

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome