Parte final de opereta brasileira estreia no YouTube, por Carlos Motta

Com a primeira parte já disponível desde setembro no YouTube, o seu desfecho será lançado no dia 28 de novembro, sábado, no YouTube

Parte final de opereta brasileira estreia no YouTube

por Carlos Motta

Imagine se um vírus fosse uma pessoa. Agora imagine que essa pessoa é uma velha senhora à caminho de sua cidade. O que você faria? Esse é o argumento inicial da opereta “A Peste” com música e libreto do violonista, compositor e pesquisador Cyro Delvizio, composta durante a pandemia e diretamente relacionada ao momento atual da humanidade.

Com a primeira parte já disponível desde setembro no YouTube, o seu desfecho será lançado no dia 28 de novembro, sábado, no YouTube (www.youtube.com/cyrodel) e no Facebook (www.facebook.com/paginacyrodelvizio) do autor. Sobre o fim da história, o autor prefere evitar spoilers:  “A segunda parte fala das atitudes do Príncipe frente a este terrível impasse, quais medidas tomou, mas prefiro deixar o público descobrir por si só. Basta dizer que a história tem várias reviravoltas e que foi concebida e executada com muito empenho para oferecer uma experiência impactante e inesquecível”, antecipa.

A primeira parte apresentou os personagens e o enredo inicial, como no primeiro capítulo de uma série de TV: o príncipe sírio Abdul-Aziz está retornando a Damasco depois de viagem diplomática e decide oferecer carona a uma velha senhora, descobrindo, em seguida e ao chegar aos portões da cidade, que ela é a Peste em pessoa.

Depois do lançamento da primeira parte, seguiu-se período para campanha de financiamento coletivo, que conseguiu o apoio financeiro para a execução da sua conclusão. “É um projeto pequeno, com equipe enxuta, mas ao mesmo tempo grandioso. Ele foi possível graças ao enorme esforço de todos os envolvidos. Um estímulo ainda maior foi o sucesso da primeira parte e do financiamento coletivo”, diz Cyro, que complementa: “Foram meses de escrita, composição e confecção das partituras. Depois cada músico teve árduo estudo e foi seu próprio técnico de gravação em sua residência, com seus equipamentos (às vezes somente um celular). Finalmente veio a edição de áudio e vídeo que tentou juntar todos os músicos da maneira mais orgânica possível e atenuar a distância.”

Mas se criar uma opereta on-line em tempos de pandemia já era um desafio, “A Peste” oferece um passo à frente aos vídeos com tela dividida, adicionando pequenas animações entre cada cena “para criar uma dinâmica interessante ao espectador e para dar ideia do cenário, já que estávamos limitados ao ambiente residencial”, explica o autor.

Leia também:  Domingueira GGN: Edu Lobo e a canção brasileira

Cada parte tem cerca de 20 minutos e poucos participantes (três cantores e três instrumentistas). Além do próprio Cyro Delvizio no violão, participam da montagem a soprano Manuelai Camargo, o tenor Guilherme Moreira, Leonardo Thieze como narrador e baixo (voz), o flautista Lincoln Sena e o violoncelista Paulo Santoro.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome