Facebook registra baixa de 11 milhões de usuários

Jornal GGN – A maior rede social do mundo, o Facebook, perdeu, recentemente, cerca de 11 milhões de usuários, sendo 9 milhões apenas nos Estados Unidos e outros dois no Reino Unido. A maioria das baixas (48,3%) aconteceu por questões ligadas às denúncias de violações de privacidade na rede de Mark Zuckerberg e de outras grandes empresas. Os dados são de pesquisa recente feita por pesquisadores da Universidade de Viena, que fizeram levantamento dos motivos dos “facebookcídios” em entrevistas com 600 usuários que abandonaram a rede social.

Em agosto deste ano, o portal Infowars revelou que, somente no primeiro semestre, o Facebook havia entregue ao governo dos EUA as informações de 38 mil usuários em 74 países. Mas não são apenas os aspectos relacionados à falta de privacidade que explicam as baixas: insatisfação geral com a rede (13,5%), baixa qualidade de publicações e debates (12,6%) e medo de se tornar um “viciado” (6%). Segundo a pesquisa, a maioria dos usuários que deixou a rede é formada por homens mais velhos.

A rede social, assim como Google, Yahoo e Microsoft, têm colaborado ativamente com a espionagem do governo norte-americano. Mais de metade dos pedidos de dados de usuários aconteceu nos Estados Unidos, mas a NSA (Agência de Segurança Nacional) – principal protagonista das denúncias reveladas pelo ex-agente Edward Snowden – tem violado frequentemente dados digitais em todo o mundo. Até o governo brasileiro e a presidente Dilma Rousseff foram alvos da espionagem.

Os dados referentes às baixas no Facebook foram publicados pela revista Cyberpsychology, que relacionou as saídas de usuários às revelações do WikiLeaks, de Julian Assange, e às recentes denúncias sobre a vigilância internacional promovida pela NSA. Por isso, diz a revista, os cidadãos estão cada vez mais cautelosos em relação à privacidade de seus dados. A rede de Zuckerberg, por exemplo, não nega que pode usar dados do perfil dos usuários para publicidade, incluindo a foto do perfil, nome e informações pessoais.

Leia também:  EUA: Racismo, economia e o voto negro para 2020, por Tatiana Teixeira

Outra ferramente bastante criticada na rede social é o recurso que faz o reconhecimento facial dos usuários para sugerir marcações em fotografias, sob a justificativa de “acelerar o processo de marcação de amigos” que aparecem em fotos publicadas na rede.

Com informações do Infowars

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. Imagine por aquelas fotos de

    Imagine por aquelas fotos de caiu na net na identificacao automatica de rostos do facebook? Ja pensou o estrago na vida dessas pessoas?

    Ou um governo tira uma foto de uma manifestacao, poe na rede e identifica todos os participantes?

    1984 chegou 30 anos depois…

  2. ABSURDO

    O pior é que hoje em dia, para você participar de alguma promoção muitas empresas e até governos como a prefeitura do Rio exige que você seja participante da rede! 

  3. Não foi por falta de aviso

    O facebook sempre mostrou o que queria. Quem usou foi porque quis, agora não adianta chorar!

    Essa rede social é muito útil pra quem precisa, gosta e quer aparecer!

    A comunicação entre familiares e amigos também foi facilitada, mas é bom lembrar: privacidade ZERO!

    Perfeito para  o brasileiro que se lixa com o que estão vendo da sua vida!

  4. falando nisso vou mandar um

    falando nisso vou mandar um recado para o Hotmail: por favor eu quero as minhas contas de volta. desbloqueio já! não sou uma ameaça para os EUA!

  5. falando nisso vou mandar um

    falando nisso vou mandar um recado para o Hotmail: por favor eu quero as minhas contas de volta. desbloqueio já! não sou uma ameaça para os EUA!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome