Aldir Blanc e a resposta ao tempo

Ao saber da morte de Aldir Blanc, fui correndo ao Youtube localizar o clássico “Resposta ao Tempo”, dele e de Cristóvão Bastos, o grande melodista.

Batidas na porta da frente / É o tempo / Eu bebo um pouquinho pra ter/ Argumento / Mas fico sem jeito, calado / Ele ri / Ele zomba de quanto eu chorei / Porque sabe passar / E eu não sei

(…)  E gira em volta de mim / Sussurra que apaga os caminhos / Que amores terminam no escuro /Sozinhos

Respondo que ele aprisiona / Eu liberto / Que ele adormece as paixões / E eu desperto / E o tempo se rói com inveja /De mim

Me vigia querendo aprender / Como eu morro de amor / Pra tentar reviver

No fundo é uma eterna criança / Que não soube amadurecer / Eu posso, ele não vai poder / Me esquecer

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora