A cronologia de um neonazista

A cronologia de um neonazista na internet.
Será que o nosso judiciário não conhece o google ???

Notícia de 04/07/2011

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/938639-suspeito-de-racismo-em-sp-…

estudante Guilherme Witiuk Ferreira de Carvalho, 21, um dos suspeitos de agredirpor racismo quatro pessoas na madrugada de domingo (3), na Vila Mariana (zona sul de São Paulo), responde por tentativa de homicídio e já foi condenado a quase dois anos e meio de prisão por formação de quadrilha.

Pelos dois processos, Carvalho –que é conhecido como Chuck– chegou a ficar preso entre oito e dez meses. Além dele, outros quatro jovens respondem pela tentativa de homicídio, que, segundo a Justiça, teria sido contra um homossexual.

Os defensores de Carvalho afirmam que ele foi solto porque a própria vítima teria dito que ele não participou diretamente da agressão. O caso foi denunciado à Justiça em setembro de 2009 e agora está em fase de audiências e interrogatórios.

No processo em que foi condenado por associação criminosa, Carvalho foi acusado também de envolvimento na explosão de uma bomba caseira lançada no centro de São Paulo durante a Parada Gay de 2009.

O juiz, no entanto, entendeu que havia provas apenas de que ele e o réu Rodrigo Alcântara de Leonardo, conhecido como Tumba, participavam do grupo neonazista Impacto Hooligan –e que não havia como provar que a explosão tivesse sido causada por integrantes do grupo.

Ontem, Carvalho foi preso novamente, com outros quatro jovens, acusado de agredir quatro pessoas. A polícia acredita que o crime tenha motivação racial.

As quatro vítimas, agredidas com socos e chutes, relataram ter sido ofendidas com expressões como “seus negros”, “nordestinos filhos da puta” e “seus zumbis”.

Os acusados gritavam ainda “somos skinheads e vamos matar vocês”, conforme o boletim de ocorrência registrado no 5º DP (Aclimação).

Voltando no tempo…

Notícia de 2007

http://www.stj.gov.br/portal_stj/publicacao/engine.wsp?tmp.estilo=3&tmp….

Bruno Finotti Rezende, acusado pela polícia de fazer parte de um grupo de 20 punks que espancou o estudante Guilherme Witiuk Ferreira de Carvalho, de 17 anos, na avenida Tiradentes, no Bom Retiro,  no Centro de São Paulo, vai continuar preso preventivamente. A decisão é do presidente eleito do Superior Tribunal de Justiça, ministro Cesar Asfor Rocha, que negou liminar ao habeas-corpus para que o punk fosse solto.

Em outubro* do ano passado, Bruno e mais sete acusados foram presos em flagrante, após terem agredido o estudante que sofreu traumatismos no crânio e na coluna, além de fraturas na face. O grupo responde a processo por terem roubado o tênis do estudante, formação de quadrilha e tentativa de homicídio. Dois amigos do jovem, que viram o espancamento, reconheceram os nove presos. O restante do grupo conseguiu fugir.

O ministro Cesar Rocha observou que a decisão da justiça paulista que determinou a prisão preventiva de Bruno Rezende é suficiente para mantê-lo na cadeia.

obs: o que a mídia não disse na época (2007) é que o aqui chamado “estudante agredido” era um skinhead neonazista que tentava agredir punks e se deu mal.

Notícia de 2009

http://www.jt.com.br/editorias/2009/12/05/ger-1.94.4.20091205.8.1.xml

Atentado na Parada foi obra de neonazistas

Justiça decretou a prisão preventiva de sete acusados de lançar bomba contra os gays

Imagens captadas pelo sistema de vigilância de uma boate da avenida confirmaram o depoimento do adolescente. Nelas o jovem e sua namorada, que também colaborou com as investigações, aparecem no momento da explosão. A garota também teve a prisão decretada pela Justiça. As mesmas imagens mostram Guilherme Witiuk Ferreira de Carvalho, o Chuck, de 19 anos. Ele seria o líder do bando Impacto Hooligan.

No inquérito, uma testemunha contou que ele teria sido o autor da ideia de atacar a Parada do Orgulho LGBT. “Nosso objetivo é mostrar que essas ações não ficarão impunes”, afirmou o delegado Marco Antônio Desgualdo, diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Notícia de 2010

http://www.institutoadediversidade.com.br/homofobia/acusados-de-explosao…

Acusados de explosão em Parada Gay de SP são condenados por formar quadrilha
23 de setembro de 2010

A Justiça condenou na última sexta-feira (17) 2 dos 7 indiciados por suspeita de envolvimento na explosão de uma bomba caseira lançada no centro de São Paulo durante a Parada Gay, realizada em junho do ano passado. Rodrigo Alcântara de Leonardo, 24, conhecido como Tumba, e Guilherme Witiuk Ferreira de Carvalho, 20, o Chuck, foramcondenados a dois anos de prisão em regime fechado por associação criminosa. Eles são apontados como integrantes do grupo neonazista Impacto Hooligan.

Pois é, uma rápida googlada com o nome do elemento e já podemos traçar o perfil deste criminoso reincidente. Agressões a punks, homossexuais, negros, nordestinos. Será que vai ficar preso dessa vez?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome