Antes do massacre em Suzano, Bolsonaro disse que só dorme com arma ao lado

Em meio às discussões sobre a violência que as armas acarretam na sociedade, Bolsonaro prometeu enviar um projeto de lei ao Congresso para facilitar o acesso ao porte

O presidente Jair Bolsonaro recebe o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, no Palácio do Planalto, em Brasília.

Jornal GGN – Na manhã desta quarta (13), enquanto um adolescente de 17 anos e outro rapaz de 25 invadiam uma escola em Suzano (SP) e atiravam contra as pessoas – vitimando 5 alunos e 2 funcionárias -, o presidente Jair Bolsonaro se reunia em café da manhã com jornalistas da grande mídia, ocasião em que afirmou que precisa dormir com uma arma ao lado da cama para se sentir seguro.

A declaração foi divulgada pela Folha de S. Paulo, que acrescentou que Bolsonaro garantiu que a esposa, Michelle, “entende” a necessidade psicológica do presidente – que apesar de todo o aparato de segurança, alegou não se sentir segundo no Alvorada.

No mesmo encontro, Bolsonaro afirmou que vai enviar um projeto de lei ao Congresso para facilitar o porte de arma. “De acordo com o presidente, a regra não pode ser tão ‘rígida’ como atualmente. Ele não deu mais detalhes sobre o texto.”

Em janeiro, o governo flexibilizou, por meio de decreto, a posse de armas em casa e em estabelecimentos comerciais.

Além dos 5 estudantes de 15 a 18 anos e as funcionárias assassinadas no massacre em Suzano, os dois responsáveis pelo tiroteio foram mortos (a política investiga suicídio) e o tio de um dos atiradores também não resistiu e morreu na manhã desta quarta (13). No total, são 10 mortes.

8 comentários

  1. nítido comportamento de quem sofre problemas psicológicos graves. Possivelmente paranoia ou esquizofrenia. E numa cultura de ódio e medo, é impossível que estas coisas não venha a serem replicadas. A ascensão do bolsonarismo está impregnada de desesperança e letargia. Com o discurso da aversão ao outro, do sectarismo, do ressentimento, do revanchismo é provável que as pessoas comecem a se armar cada vez mais, em seus atos, palavras e postagens. As redes sociais retratam e espelham o divisionismo e a fragmentação. Quanto mais fragmentados, frustrados, mais fracos e deprimidos. Eventos como estes, numa comunidade onde o medo vem sendo instilado diuturnamente farão com que cada vez mais, jovens principalmente consumam drogas (liberadas ou não) com o intuito de dar cabo (ou sair da realidade) a suas vidas e os mais irados cometam crimes coletivos.

      • Desde que ela tenha sido treinada a atirar também com arma; aí é um risco. PS: qual serventia teve a arma do bozo quando ladrões levaram sua moto e mijaram no cano da Mauser? Dizem que teve perda total
        da cueca devido à súbita e total incompetência esfincteriana dupla.

  2. Os Autores da carnificina assassinaram oito pessoas. O Bolsonaro planeja assassinar 30 mil pessoas, diretamente.
    É um monstro e covarde infinitamente maior que os dois matadores.

  3. “Quando nós partirmos para uma guerra civil aqui dentro, faremos o trabalho que o regime militar não fez, matando uns 30 mil, começando com o FHC. Não deixar pra fora, não, matando. Se vai morrer alguns inocentes, tudo bem, tudo quanto é guerra morre inocente”. – Jair Bolsonaro.

    Como é que esse Elemento tem coragem de dizer que a carnificina de inocentes em Suzano foi uma monstruosidade e uma covardia?

  4. Tinha um sujeito que só dormia com a arma ao lado. Entraram na casa dele enquanto ele dormia e o assassinaram a coronhadas com sua própria arma.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome