Bolsonaro dirá à ONU que críticas sobre queimadas são equivocadas

Presidente usará dados oficiais para confirmar teoria durante discurso para a Assembleia Geral da ONU, enquanto dados do Inpe mostram o contrário

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro deve usar o discurso de abertura da Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas) para dizer que as críticas de estrangeiros às queimadas no Brasil são equivocadas.

Bolsonaro citará dados oficiais declarando que houve recuos nos focos de calor, e que existe exagero na imagem criada no exterior sobre a política ambiental do país, e também reforçar o respeito à soberania dos países que formam a região amazônica e declarar que o Brasil trabalha para diminuir focos de queimadas e promover o desenvolvimento econômico de populações locais.

Enquanto Bolsonaro prega o controle das queimadas, dados do Inpe mostram que, apenas nos primeiros 14 dias de setembro, a região amazônica registrou mais queimadas do que em todo o mês de setembro de 2019, enquanto o incêndio  no Pantanal já consumiu cerca de 16% de sua área, a maior destruição desde o início da série histórica, em 1999.

Por tradição, o presidente brasileiro é o primeiro a discursar no evento. De acordo com o jornal Folha de São Paulo, o discurso de Bolsonaro foi escrito nesta terça-feira (15/09) e a gravação deve ser enviada até essa sexta-feira (18/09). Entre os ministros consultados, estão Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Ricardo Salles (Meio Ambiente).

 

Leia Também
Onças com patas queimadas e animais carbonizados “são a imagem do Brasil sob Bolsonaro”
Como o desmonte de órgãos ambientais tem relação direta com o fogo nas florestas
Em petição, ONGs e personalidades insistem para UE abandonar acordo com o Mercosul
Mourão não tem a menor ideia sobre sua missão principal: combater incêndios na Amazônia
Agravamento de incêndios em Mato Grosso do Sul mobiliza senadores

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora