Bolsonaro verá “desordem social” quando povo perder o medo do coronavírus nas ruas, diz Milanović

"Vai haver, como dizer, desordem social e comoção social em muitos países quando a pandemia se tornar menos importante", diz economista

Foto: Sul21

Jornal GGN – A convulsão social tão temida pelo presidente Jair Bolsonaro deve começar tão logo o povo brasileiro perder o medo de ir às ruas por causa da pandemia de coronavírus. Essa é a avaliação do economista servo-americano Branko Milanović.

Em entrevista à BBC, ele disse que a conflagração que os Estados Unidos assistem graças ao levante do movimento negro é um presságio do que pode ocorrer em outros Países que não estão sabendo lidar com suas crises políticas, econômicas e sociais, como o Brasil.

“(…) agora nos EUA, acho que é a ponta do iceberg. Vai haver, como dizer, desordem social e comoção social em muitos países quando a pandemia se tornar menos importante.”

“Porque quando a pandemia está muito forte as pessoas ficam com medo, podem não sair e lutar. Mas depois disso, e você vê isso no Chile e tenho certeza de que verão isso no Brasil, veremos nos Estados Unidos e em alguns outros países. Esse é um outro perigo da pandemia.”

O economista avaliou que o Brasil vive uma profunda desigualdade social, estrutura e histórica, que não vai mudar passada a pandemia, muito menos com um governo que não trabalha para combatê-la ativamente.

“E eu simplesmente não vejo isso desaparecendo quando a pandemia terminar. Favelas não vão desaparecer, trabalhadores informais não vão desaparecer, a discriminação não vai desaparecer. É por isso que eu acho que haverá convulsão social e protestos, mas eu simplesmente não vejo as forças políticas lidando com isso.”

Leia também:

Medo de cassação faz Mourão radicalizar no discurso contra manifestantes

 

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora