Brasil, 2020: Roubar carga de carne já é mais atrativo que roubar carro-forte

Jornal GGN – Quadrilhas especializadas em assalto a carro-forte encontraram um novo ramo de atuação durante o governo Bolsonaro: roubar caminhões que transportam carne bovina.

O Estadão fez um levantamento em 11 estados e Distrito Federal e descobriu que já foram registrados 23 assaltos desse tipo em janeiro de 2020, mais do que o dobro do que ocorreu em dezembro de 2019.

A ação é reflexo do aumento no preço da carne bovina no passado passado. Com o aumento das exportações brasileiras para a China, a oferta doméstica caiu e os preços aumentaram. A alta acumulada foi de mais de 32%. Um caminhão lotado de carne agora pode valer entre R$ 800 mil e R$ 1 milhão, o que atrai os bandidos.

A Contrasp (Confederação Nacional dos Trabalhadores da Segurança Privada) estima, de acordo com o Estadão, que os roubos a caminhões de carne já superam o número de assaltos a carro-forte no País, embora ainda não possua dados sobre que respaldem a informação.

Ainda segundo especialistas ouvidos pelo jornal, a situação é crítica e pode prejudicar ainda mais o cliente final.

Isto porque as empresas passaram a contratar escolta privada para assegurar o transporte da carne para longas distâncias. O custo do serviço especializado tende a ser repassado para o consumidor.

Além disso, abastecer determinadas regiões pode passar a ser encarado como um desafio para os fornecedores.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora