Cientista político sugere prisão preventiva para Moro após novo vazamento

"Ele pode estar destruindo provas", diz Alberto Almeida, diante da divulgação de novas conversas comprometedoras

Do Brasil de Fato

A divulgação de novas conversas envolvendo a Lava Jato, feita pelo site The Intercept Brasil na noite de sexta-feira (14), ampliou as reações indignadas ao conluio entre Sérgio Moro e procuradores Ministério Público Federal (MPF) para condenar sem provas o ex-presidente Lula.

Nos diálogos que agora vieram à tona, os procuradores, liderados por Deltan Dallagnol, aparecem combinando com Moro o conteúdo de uma nota que soltariam à imprensa com críticas à defesa do ex-presidente após um depoimento de Lula. Na troca de mensagens, Moro classifica a atuação da defesa como “showzinho”.

Após a divulgação, o cientista político Alberto Carlos de Almeida, autor do livro “A cabeça do brasileiro”, escreveu no Twitter que o caso mostra “violação gravíssima” do direito de defesa e chama Moro de “juiz mancomunado” com a acusação.

Para Almeida, o conjunto dos diálogos já divulgados traz elementos suficientes para a prisão preventiva de moro. “Neste momento, ele pode estar destruindo as provas”, argumento o cientista político.

O também cientista Miguel Nicolelis, do campo da Neurociência, afirmou na mesma rede que “o ConjeGate fica mais tenebroso a cada hora”.

Em tom de deboche, Nicolelis afirma que “o Conje era o diretor de marketing da Lava Jato, sugerindo o timing de notas à imprensa para o comando do MP”.

No campo político, a deputada Érika Kokay (PT-DF) chamou as conversas de “ilegais, indecentes e indecorosas”.

Outra deputada, Jandira Feghalli (PcdoB-RJ), diz que as conversas deixam “escancarado” o “conluio midiático-jurídico”, além de comprovarem que Moro era o “comandante” da Lava Jato.

Leia também:  Léo Pinheiro sai da prisão em Curitiba após STF homologar delação onde incrimina Lula, Bachelet e Evo Morales

Chico Alencar, ex-deputado do Psol, afirma que as revelações colocam “em suspeição todo o trabalho feito pela Lava Jato até aqui”.

O assunto também foi abordado pelo jornalista Kennedy Alencar. No Twitter, ele classificou o caso como um “mais novo reforço ao argumento de parcialidade do ex-juiz em relação ao petista”.

Já Carlos Andreazza, editor-executivo do Grupo Editorial Record e comentarista da rádio Jovem Pan, foi mais contundente. “A nova pílula reativa liberada pelo Intercept traz o conteúdo mais grave contra Sérgio Moro até aqui; porque pela primeira vez se capta um viés claro do juiz contra uma parte específica do processo, no caso o réu Lula e o “showzinho” de sua defesa”, disse.

Confira a íntegra da sexta reportagem do The Intercept Brasil: “A Defesa já fez o showzinho dela – Sergio Moro, enquanto julgava Lula, sugeriu à Lava Jato emitir uma nota oficial contra a defesa. Eles acataram e pautaram a imprensa”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

13 comentários

  1. Destaco nesta história um aspecto que pede o esclarecimentos de nossos juristas. Falo dos autores das gravações das conversas (tramas, na verdade) havidas entre Moro, promotores etc da República de Curitiba. Fala-se na imprensa de que se trata de pessoas ou de pessoas agindo no próprio interior dos aparatos judiciário, da promotoria e da polícia federal da mesma República. Como eles deverão ser vistos tão logo se encerre a divulgação dos segredos das tripas da mais importante conspiração dos últimos anos (mas não a única!)? Como criminosos ou como testemunhas de acusação de um crime? Na primeira hipótese haverá que protegê-los contra a sanha golpista. Na segunda, será conveniente à moralidade pública conheço-los e homenageá-los.

    • A prisão preventiva deveria ser decretada contra quem escreveu Moro com letra maiúscula no início.

    • Uaí, se acha um absurdo é por que sabe algo que o Moro não tem! Nos tínhamos convicção que Moro era bandido, agora temos as provas! Agora vocês tem convicção mas tem as provas?

  2. só vou ficar feliz depois que o moro e o Bolsonaro e suas elites estiverem todos atrás das grades. é é o que eles merecem e espero que seja logo.🤘

  3. Esses canalhas, deveriam serem depostos e preso. O que é mais ridículo, é saber que existem indivíduos que pensam serem casa grande, apoiam e se tornam escravos de falte de atitude descente.

  4. Realmente que o ex presidente tem vários erros porém fica bem claro que a corrupção fíca evidente desse herói chamado Moro e sua quadrilha de procuradores isso ninguém pode negar todos corruptos infelizmente ficarmos pensando será que foi tudo para fazer presidente o Boltonaro o famoso mito ?

  5. muitos dizem isso que almeida sintetizou
    o conjunto dos diálogos já divulgados traz elementos suficientes para a prisão preventiva de moro.

  6. Também não entendi porque muitos ainda não pediram a prisão do Ministro. Não houverão conversas indevidas. O que houve foi manipulação, foi direcionamento com interesses de condenar um Réu. Foi o uso da Função Pública e do Poder que representava, para criar uma dinâmica na tentativa de condenação. Houve trabalho orquestrado contra um Cidadão protegido pela Constituição com Direito a Julgamento Justo. Existiu um ‘complô’ exercido por Autoridades que tinham interesses pessoais e políticos sobre o resultado do Processo. Isto é no minimo Formação de Quadrilha. E o que pode ser mais estarrecedor. Parece que até agora, outras Personalidades Políticas e certos Partidos Políticos foram protegidos ou negligenciados. Basta ver que apesar de todas provas e auxílios exteriores por Judiciários Internacionais, o alto comando do PSDB FHC, Serra, Alckmin, Aécio, Aloísio, Dória, não chegou nem perto das consequências, que Petistas e Lula, já são atingidos. Estranho ou criminoso?

  7. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome