Jornal GGN – A Polícia Federal sob Sergio Moro já tem 4 inquéritos em andamento para apurar ataques de hackers reportados por integrantes (ou ex-integrantes, no caso do hoje ministro da Justiça) da Lava Jato. Sem revelar nenhum detalhe sobre as investigações (nem mesmo a data de instauração dos procedimentos), a PF disse à Folha de S. Paulo, segundo reportagem da tarde desta terça (11), que suspeita de “ação orquestrada” de um grupo de hackers.

De acordo com a Folha, a “PF identificou um padrão nos casos em andamento.” O padrão seria o acesso ao Telegram, feito por meio “da realização de telefonemas para o celular que seria alvo.”

“A suspeita é a de que os ataques tenham sido feito utilizando uma ferramenta que consegue roubar dados do usuário e, assim, acessar o aplicativo ao mesmo tempo que o próprio dono, sem precisar ter acesso físico aos aparelhos e sem precisar instalar programas espiões. Seria, na verdade, uma espécie de clonagem, que se aproveita de brechas de segurança.

Os inquéritos correm em Curitiba, Rio, Brasília e São Paulo. O primeiro relato de invasão teria ocorrido em abril.

O Intercept Brasil afirma que recebeu o material do dossiê contra a Lava Jato antes de Moro divulgar, na semana passada, que havia sido vítima de hacker.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Fachin defende Lava Jato e diz que trouxe "natureza ética ao Brasil"

9 comentários

  1. Bem que podiam ganhar o tempo e o dinheiro do contribuinte e confessarem: alguém – didentro – vazou a maracutaia pro intercept. Procurar pelo em ovo e chifre em cabeça de cavalo, sabem os (a)deuses, não leva a lugar algum, mas, apenas a algum vergonhoso descrédito. Inda mais, diria o outro, sendo a poliça “lança” do (im)próprio desMoronado. Esses haqueamentos, pois, podem ser arquivado ao lado da conspiração-do-adélio. Haja dinheiro público.

  2. Mais uma farsa engendrada pelo bandido moro para esconder seus crimes.
    Esta pf também precisa de uma limpeza geral.
    Não precisamos de uma gestapo.

  3. Recomendo aos individuos que no futuro utilizem o sapato-fone do agente 86 em comunicações à distancia e o cone-do-silencio nas presenciais…….não há hacker que possa violar……
    Na falta de…uma linha com duas latas nas extremidades resolvem a questão…..

  4. A coisa é mais simples.
    Os “paladinos” de curitiba, se acreditaram maiores do que realmente eram e, sob uma capa de moralidade tecida por organizações ou jornalecos hipócritas como globo, abril, estadao, fsp, cairam na armadilha descrita por Esopo na fábula “O sapo e o Boi”, pois em sua malograda tentativa de se mostrarem maiores que Lula, o “conje” e sua turma deixaram a ética e o bom senso de lado e inflaram até explodir.
    Resta agora este mau cheiro de viceras expostas. Um odor fétido, que permanecerá por muito tempo na memoria do povo brasileiro.
    Nao se trata de hackers, mas sim de narcisismo e cobiça. E segundo Greenwald, nem 1% do material foi exposto. O esgoto é ainda mais putrido.

  5. O ministro que visita F-B- I e C – I-A finalmente entendeu agora como se meter com arapongagens é um equívoco para a vida pública. Vai ter esta sombra a sempre perseguir seu nome e honra.

  6. Poderia, talvez, ser ao contrário e a suposta ação orquestrada poderia mais facilmente ser fabricada nos porões da lava jato, para servir preventivamente de álibi, do que ser uma ação orquestrada entre um pull de hackers, a invadirem diferentes aparelhos celulares, em curto espaço de tempo, de autoridades que devem ter uma segurança digital externa bem reforçada. Afinal, arapongas experientes e a tecnologia da PF, que se faz tão servil aos interesses da lava jato, poderiam facilmente criar uma suposta ação orquestrada, como álibi. Talvez até possa ter surgido alguma espécie de desconfiança no núcleo central dos operadores da lava jato, fato que os teria levado a criar um álibi preventivamente. Em pouco tempo saberemos existiu alguma ação externa ou se foi uma armação interna.
    Enquanto tudo é apurado seria bom não se esquecer de ouvir o Tacla Duran, que deve ter muito mais pólvora pra jogar na fogueira da lava jato e também devemos ficar bastante atentos porque a fábrica de cortinas de fumaça, da usurpadora coligação golpista, deve estar preparando todo tipo de mentiras, sujeiras e imundices, nos galpões cinematográficos de fake news, para desviar os crimes praticados por Moro e seus delinqüentes amestrados.

  7. Nassif: assim tá demais. Botar a PF do Príncipe de Paris para investigar é o mesmo que botar Raposa prá vigiar galinheiro. Você viu o discurso do meliante franco_americano? “O ministro é inocente”. Bandido sempre protegeu bandido. É da tradição política nacional.

    Esse tal de Grenn_não_sei_das_quatas que se guarde. O DOI-CODI de Petrópolis (Casa do Terror) foi reativada. E agora, com a familia Real de braços dados com os mesmos que depuseram DonPedro II, a coisa pode esquentar pro lado dele. Lembra quando “suicidaram” o Herzog? Dizem que o “manual” de instruções ainda continua o mesmo. Com alguns aperfeiçoamentos. Eu, se fosse você, dava um toque prá ele. Parece que a CIA foi posta na parada. Estão pensando em pedido de extradição. Ou até um sequestro…

    Pena que o negócio da “facada” esteja noutro contexto. Mas quem sabe haja pistas nos papos criminosos do bando? Tem gente achando que no atual cenário até o “Deus pecar” está sendo possível…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome