Coronavírus: América Latina é o novo epicentro, e cresce temor com segunda onda

Brasil já é o segundo país com mais vítimas fatais no mundo, e contaminação segue avançando pela região; casos também avançam onde controle foi afrouxado

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O Brasil só está trás dos Estados Unidos em termos de famílias enlutadas por conta do coronavírus. E, se a América Latina é vista como o novo epicentro da pandemia, um aumento da contaminação está em andamento em diversos países, o que aumenta o temor de uma segunda onda de contágio.

Os últimos dados do consórcio de mídia junto às secretarias estaduais de Saúde apontam um total de 42.802 mortes por Covid-19 no Brasil, e o país já ultrapassou o total de 850 mil pessoas contaminadas pelo vírus.

“O sistema de saúde (do Brasil) não está completamente saturado, mas em algumas regiões há uma forte pressão sobre a ocupação de leitos de terapia intensiva”, disse Mike Ryan, diretor de emergências de saúde da Organização Mundial da Saúde (OMS), ressaltando que a situação no país é “preocupante”, segundo informações do jornal francês France 24.

Além do Brasil, México e Chile apresentaram seus piores números sobre a pandemia na última sexta-feira. Desde o início da pandemia, mais de 15 mil pessoas perderam a vida no México, e as vítimas fatais no Chile chegam a 2.870. A situação também não é das mais fáceis em Honduras, onde o sistema hospitalar estava “à beira do colapso”, nas palavras do professor Marco Tulio Medina, da Universidade Nacional.

Enquanto a América Latina é o atual epicentro da pandemia, cresce o temor de uma segunda onda de contaminação em países que começaram a afrouxar seus controles, como nos Estados Unidos, na África do Sul e na China, onde 11 distritos de Pequim tiveram confinamento de emergência decretado pelas autoridades por conta de um novo surto do coronavírus.

 

Leia Também
EUA pode voltar a ter lockdown, se contágios continuarem a subir
Com visitas diárias de médicos a todas as casas, Cuba consegue controlar a pandemia
“Genocídio”: performance em Paris denuncia política do governo Bolsonaro
A vida pregressa de Sergio Moro: saiba como ajudar o projeto do GGN

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

3 comentários

  1. MAÇONARIA GOLPISTA MILICO-EVANGÉLICA, EM PARCERIA COM TODA A IMPRENSA GOLPISTA SÃO OS RESPONSÁVEIS PELA TOTAL INOPERÂNCIA NO COMBATE DO COVID-19 POR MEIO DE AÇÕES INIBITÓRIAS DE QUEBRA DE ISOLAMENTO. AO CONTRÁRIO, O MAÇOM BOLSONARO INCENTIVOU A QUEBRA DE ISOLAMENTO, AO LADO DE ROBERTO JUSTUS, SILVIO SANTOS, MARINHOS, SAADS, MARCELO DE CARVALHO REDETV, GENERAIS, BRIGADEIROS, ALMIRANTES, POLÍCIAS MILITARES E CIVIS E ETC ETC ETC

    PAGARÃO!!!

  2. A pandemia política tem demonstrado, por vezes, ser mais virulenta do que a covid19. Sem entrar em maiores considerações, parece que o nosso caso está nessa esfera. É preciso sempre ter em mente o caso de Cuba.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome