Covas defende reajuste de 47% no próprio salário alegando que reajuste do mínimo foi de 68%

Prefeito agora afirma que o aumento em seu salário não será "automático". "Nós só vamos fazer isso em 2022, caso a pandemia já tenha passado"

Jornal GGN – O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), defendeu em entrevista à GloboNews o aumento de seu próprio salário, aprovado em meio à pandemia do novo coronavirus. Covas alegou que é justo o valor saltar 47% – de R$ 24 mil para R$ 35,4 – porque o salário mínimo, no mesmo período, cresceu mais: 68%. Além disso, os professores da rede municipal também tiveram ajuste maior: de 80%.

Na visão de Covas, o reajuste é necessário para compensar a inflação dos últimos anos e para segurar servidores da prefeitura que ganham pelo teto e podem acabar desistindo de seus cargos se ficarem mais 4 anos sem reajuste, como os auditores fiscais.

Covas também afirmou que o reajuste aprovado pela Câmara é “autorizativo”, e, segundo ele, “não amplia de forma automática o salário do prefeito, do vice e dos secretários”. “Nós só vamos fazer isso em 2022, caso a pandemia já tenha passado”, prometeu.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

4 comentários

  1. Neto de Mario Covas. Nepotismo descarado entre os tais Progressistas que se diziam contra a tal pratica. ‘Quem segue aos seus não degenera’. Se conserva no limbo da perpetuação do Poder. A Verdade é Libertadora.

  2. O novo salário de Covas para administrar a cidade de São Paulo, com milhões de habitantes, está pra lá de barato. Em Gramado-RS, a cidade tem cerca de 34 mil habitantes e o prefeito atual ganha mais de R$ 31 mil ao mês(R$ 1,00 por habitante), fora as demais verbas do cargo.
    Para fazer justiça, o salário de Covas deveria ser de mais de R$ 1 milhão ao mês. Ficou muito mixa!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome