CPI da covid-19 mira cloroquina e compra de vacinas

Jornal GGN – Os senadores oposicionistas e independentes compõem a maioria no colegiado da CPI da Pandemia, e fecharam como estratégia de atuação o questionamento em torno das falhas na compra das vacinas e na aposta em medicamentos sem comprovação de eficácia, como a cloroquina.

Enquanto os parlamentares governistas querem destacar repasses feitos aos estados e municípios e desvios na aplicação dos recursos, tendo como um dos alvos é o Consórcio do Nordeste, os senadores da oposição e independentes têm como alvo a convocação não só dos ex-ministros da Saúde, em especial o general Eduardo Pazuello, mas do ex-chanceler Ernesto Araújo, uma vez que a sua postura em relação a países como a China pode ter comprometido a aquisição de vacinas pelo país no exterior, segundo o jornal O Globo.

Outro ponto será provar que o governo federal agiu de maneira deliberada contra entes federativos e instituições para conter a pandemia, além de ter estimulado comportamentos contrários à prevenção da doença.

Um dos documentos que fundamenta tal teoria é o boletim desenvolvido pela Universidade de São Paulo em janeiro, que aponta o negacionismo do governo federal como entrave no combate à pandemia. Confira abaixo entrevista que a coordenadora do estudo, Deisy Ventura, concedeu à TV GGN a respeito da pesquisa.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora