Damares é “figura perigosa” porque “trata com deboche temas sérios”

Seus argumentos baseados unicamente no comportamento moral pregado pela Igreja ignora a realidade brasileira

Jornal GGN – Damares Alves é “uma figura perigosa” justamente porque “trata com deboche temas sérios”, afirmou em entrevista ao El País a pedagoga e teóloga Valéria Vilhena, fundadora do grupo Evangélicas pela Igualdade de Gênero.

Vilhena criticou à reportagem os argumentos utilizados por Damares para transformar a abstinência sexual, uma pauta conservadora e religiosa, em política pública de enfrentamento às doenças sexualmente transmissíveis e à gravidez precoce.

A ministra da Família e Direitos Humanos não tem apresentado dados científicos que provam que a abstinência será eficiente nos problemas em pauta. Ao contrário: na semana passada, a imprensa teve acesso à nota técnica que a ministra tem distribuído para formar e informar funcionários públicos a respeito do novo programa.

Nesse documento consta que jovens sexualmente ativos tendem a se afastar da Igreja e da família. Além disso, têm comportamento antissocial e delinquente. Não suficiente, a nota ainda afirma que ensinar métodos contraceptivos “normaliza” o sexo adolescente.

Publicamente, contudo, Damares nega que seja contra os contraceptivos. Mas seus argumentos baseados unicamente no comportamento moral pregado pela Igreja ignora a realidade brasileira.

Quando foca exclusivamente na maturidade do jovem para fazer sexo, a ministra esquece de informar que várias doenças são preveníveis com camisinha e, além disso, marginaliza o debate sobre estupro na adolescência.

“Damares não leva em consideração dados e estudos que mostram que a maioria dos estupros ocorrem em meninas de até 13 anos. Quando falamos de gravidez precoce, não estamos falando de meninas que ainda são imaturas e que resolveram fazer sexo de maneira irresponsável. Estamos falando de meninas vulneráveis que sofrem abusos”, acrescenta Vilhena.

2 comentários

  1. Esta senhora, que conversou com Cristo na goiabeira, é realmente perigosa. Caricata, mas perigosa.
    Contudo, neste país que se transformou num circo de aberrações esta figura é de inegável valor para os efeitos de dissimulação que ainda são necessários pois, alem de desviar a atencao dos mal feitos do governo, a entrega dos ativos do brasil e a retirada dos direitos do cidadão brasileiro ainda não está consumados.
    Mas a coisa ligada ao poder religioso esta tão bizarra que aqui no RJ, devido ao enredo da Mangueira, ocorreu uma reunião entre a Liesa e ‘representantes eclesiásticos’, sob “comando” do cardeal Tempesta, cujo resultado foi que a partir do próximo ano representantes religiosos participarão das discussões para definição do enredo, que ocorre nos meses de Abril/Maio.
    Sobre os enredos deste ano nao transpareceu se determinaram alguma censura à Mangueira ou a outra escola mas a discussao em redes já rendeu uma carta aberta do carnavalesco da Mangueira.
    Acho a coisa bizarra pois o protagonismo religioso sempre resultou em tragédia.

    https://www.google.com/amp/s/odia.ig.com.br/amp/opiniao/2020/01/5858200-luzia-lacerda–o-dialogo-e-a-solucao-de-todos-os-problemas.html

  2. O Que Será (À Flor da Pele)
    Chico Buarque
    O que será que será
    Que andam suspirando pelas alcovas
    Que andam sussurando em versos e trovas
    Que andam combinando no breu das tocas
    Que anda nas cabeças, anda nas bocas
    Que andam acendendo velas nos becos
    Que estão falando alto pelos botecos
    Que gritam nos mercados, que com certeza
    Está na natureza, será que será
    O que não tem certeza, nem nunca terá
    O que não tem conserto, nem nunca terá
    O que não tem tamanho
    O que será que será
    Que vive nas idéias desses amantes
    Que cantam os poetas mais delirantes
    Que juram os profetas embriagados
    Que está na romaria dos mutilados
    Que está na fantasia dos infelizes
    Que está no dia-a-dia das meretrizes
    No plano dos bandidos, dos desvalidos
    Em todos os sentidos, será que será
    O que não tem decéncia, nem nunca terá
    O que não tem censura, nem nunca terá
    O que não faz sentido
    O que será que será
    Que todos os avisos não vão evitar
    Porque todos os risos vão desafiar
    Porque todos os sinos irão repicar
    Porque todos os hinos irão consagrar
    E todos os meninos vão desembestar
    E todos os destinos irão se encontrar
    E o mesmo Padre Eterno que nunca foi lá
    Olhando aquele inferno, vai abbençoar
    O que não tem governo, nem nunca terá
    O que não tem vergonha nem nunca terá
    O que não tem juízo

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome