Deputados estrangeiros denunciam Bolsonaro por descaso com indígenas na pandemia

Deputados afirmam que as politicas de Jair Bolsonaro "pode transformar a situação ja frágil destes povos num autêntico extermínio em massa"

Jornal GGN – Em carta enviada ao diplomata da União Europeia, Josep Borrell, um grupo de deputados estrangeiros acusam que as políticas do governo de Jair Bolsonaro sobre a pandemia do novo coronavírus “causará extermínio em massa” dos povos indígenas. Os autores pedem que a autoridade internacional tome medidas contra o mandatário. As informações são de Jamil Chade, no Uol. 

Na carta, liderada pelos deputados portugueses Marisa Matias e José Gusmão, o governo brasileiro é denunciado por uma série de ações que colocam em risco a existência dos povos originários. 

“A forma absolutamente irresponsável como o governo brasileiro tem tratado quer a ameaça da pandemia quer os direitos dos povos indígenas pode transformar a situação ja frágil destes povos num autêntico extermínio em massa”, diz trecho do texto. 

Os deputados pedem que Josep Borrell tome medidas e entre em contato com o governo, na figura de Bolsonaro, sobre as denúncias. “Solicitamos ao Alto Representante da UE para a Ação Externa estabeleça um contato urgente com o governo brasileiro, na figura de seu presidente Jair Bolsonaro, no sentido de manifestar a reprovação face aos constantes ataques aos direitos originais dos povos indígenas”. 

Essa é mais uma reprovação sobre o governo Bolsonaro no cenário internacional. “Nas últimas semanas, a resposta à pandemia no Brasil colocou o país sob forte pressão no exterior, com ex-ministros alertando para a situação de pária do governo”, destacou Chade em sua coluna. 

Na carta destinada ao Alto Representante da UE, os deputados também acusam o governo brasileiro de comprometer a capacidade de ação da Fundação Nacional do Índio (Funai) e afirmam que, desde o início de seu mandato, Bolsonaro faz vista grossa sobre a demarcação de terras indígenas em apoio à mineração dessas áreas. 

“Além dos ataques ao território, existem sérios riscos de contágios epidêmicos”, indicaram os deputados, “Se na terra indígena Yanomami os casos de malária aumentaram 70% em 2019 com as invasões dos garimpeiros, imagine-se o que poderá acontecer com o coronavírus”, alertaram.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora