Desculpe-me, mas todo o caos tem uma lógica!

Há uma tendência a utilizar a palavra Caos de forma imprópria, pois se ela for utilizada de forma correta se vê como algo que segue uma determinada lógica.

Se utilizarmos a palavra CAOS no senso comum este seria uma ausência de organização ou uma desordem, porém se utilizarmos no sentido matemático se verá que a definição é outra e que esta dará mais sentido do estado político e social que estamos hoje.

Caos no sentido matemático significa algo que é regido por uma série de equações que descrevem um sistema dinâmico (que varia com o tempo) rigorosamente determinista (segue a leis matemáticas conhecidas), mas que apresentam na presença de perturbações muito pequenas (instabilidades) que em função das condições que se tem no momento (às condições iniciais) o movimento que pode ocorrer neste sistema apresenta BIFURCAÇÕES. 

Isto é chamado o Caos determinístico, ou seja, se conhecermos as equações, o estado inicial poderemos prever quais são as soluções possíveis.

Em resumo, se uma sociedade é estável, a entrada de perturbações não serão amplificadas, mas sim atenuadas. Porém se a sociedade é instável (e há diversos graus de instabilidade) perturbações muito pequenas ou somente as grandes levarão a esta sociedade procurar outro caminho.

Quem não conhece as equações e não conhece as perturbações pode achar que tudo é uma desordem, e acho que estamos exatamente neste ponto. Há pessoas que pensam que assim como o chamado “efeito borboleta” que figurativamente Lorenstz utilizou a imagem de que o bater de asas de uma borboleta no Brasil (Amazônia, mais precisamente) teria condições de criar ou não tornados no Texas (Por que ele utilizou a Amazônia e o Texas? Ninguém sabe!) é uma fantasia que como uma vulgarização da ciência mostra eficiente, mas como realidade científica, não é uma verdade matemática, pois por mais que uma borboletinha brasileira bata suas asas desesperadamente a influência no clima do Texas será nula.

Voltando as condições atuais, o que há é uma instabilidade na política brasileira, porém por mais que queiram alguns, se forem sozinhos para a rua e gritarem, pularem e urrarem não vão conseguir mudar nada. Porém para sabermos os destinos do nosso país devemos saber as variáveis que influenciam na nossa política, variáveis tais como a Rede Globo, as forças das Polícias Militares, o Exército Nacional, os Partidos, as divisões dos Partidos e mais e mais outras variáveis.

Por exemplo, podemos imaginar que o governo Temer estava levando a uma situação de instabilidade tal que movimentos populares poderiam começar a serem variáveis importantes no desenvolvimento da política, neste momento atua outra ação determinística que é a mudança de atitude da Rede Globo. Esta que vinha sustentando o governo Temer resolve junto com atores desconhecidos (pelo menos se desconfia quem são estes atores) a estabelecer outra rota para o movimento determinístico da vida social brasileira. Neste momento surgem do nada dois irmãos metralhas (mafiosos bilionários) tradicionais corruptores de todas as esferas de mando do Brasil e apresentaam uma delação que se acha “bombástica”.

Caso a rede Globo não quisesse amplificar esta delação “bombástica”, teria dito o tradicional “não vem ao caso” e esta delação cairia no esquecimento como dezenas de outras revelações “bombásticas”, que de carga explosiva de alta tonelagem, virou um mero traque. Porém numa ação bem coordenada a tal revelação virou um “meme” na oposição e nas outras emissoras, acabando que até atores bem coordenados de partidos “éticos” (nem por isto sem deixar de serem oportunistas) de esquerda como o PSOL, que rapidamente transformaram esta notícia em motivo de pedido de Impeachment no congresso. Ou seja, mais uma vez grupos de esquerda serviram de caixa de ressonância para o que a Globo queria, a derrubada de Temer!

Muitos ficam abasbacados pela mudança de comportamento da Rede Globo, mas parece até que nunca ouviram que o governo Temer tinha a sua missão, e se não a cumprisse seria simplesmente defenestrado, pois exatamente isto que aconteceu. Temer atingiu o limite de sua competência e por mais que comprasse deputados e senadores os valores não cobriam a possíveis perdas futura de mandato por rejeição da população, e além disto e o que passa batido pela maior parte dos comentaristas, o povo começa a se organizar.

O lema “Fora Temer” que embalava grande parte das manifestações com  ou sem influência de partidos e centrais sindicais, foi tentado ser entregue a população pelo empenho da Rede Globo a realização do desejo de muitos. Porém neste momento agem outros atores menores, mas significativos, os jornais Estado de São Paulo e Folha em torno dos quais orbitam outras forças não tão poderosas como as que se alinham em torno da Rede Globo, mas mesmo assim significantes.

Como o passo seguinte a renúncia de Temer, seria a imposição de um nome e um programa para substituí-lo, este nome e/ou este programa não agradou as outras forças menores, que procuram outra saída, logo estes mesmos reforçam Temer e este passa a questionar quão “bombástica” e “real” é a tal revelação.

Aí sim surgiu um ponto de bifurcação do caos determinístico que vivemos, ou vai à direção de um ou outro ponto de atração que enigmaticamente são chamados os “atratores estranhos”.

Por outro lado junto com estes grupos voluntariamente ou involuntariamente se unem diversas pequenas variáveis, que de forma totalmente independente teriam condições de amplificar o seu valor na influência da direção do movimento no sistema. Por exemplo, os grupos de parlamentares que assinam nervosamente vários pedidos de Impeachment, servem tanto para um grupo ou outro de grandes órgãos de imprensa. Também alucinados blogueiros, no afã de serem as pequenas borboletas que batem asas na Amazônia, se torcem e se retorcem de uma forma meio oportunista, reforçando, por exemplo, a ação da rede Globo, entretanto não passam de borboletinhas histéricas que sacodem as suas asas a exaustão, pensando que mudarão o clima no Texas!

Como borboletas isoladas com o seu bater de asas na Amazônia não mudam o clima no Texas, se a rede Globo somar centenas destas borboletas e fizer que estas batam as asas de forma coordenada elas servirão pelo menos para que o índio no meio da Amazônia, com sua ingenuidade primitiva, as observe com cuidado e achem que elas estão fazendo algo além do seu próprio bater de asas, que não servirá nem para mudar o clima a cem metros de distância.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora