Dois foguetes atingem Zona Verde de Bagdá

Não existem relatos de feridos; incidente ocorre após ataques do Irã a bases norte-americanas

Jornal GGN – Dois foguetes atingiram a chamada Zona Verde de Bagdá nesta madrugada. Segundo informações do comando militar do Iraque, não existem relatos de feridos até o momento.

A Zona Verde abriga missões estrangeiras e prédios governamentais. Fontes policiais afirmam que um dos foguetes caiu a aproximadamente 100 metros da embaixada dos Estados Unidos. Não existem informações sobre a origem dos foguetes.

Esse seria o terceiro ataque realizado na região desde que os Estados Unidos usaram um drone em ação que matou o general iraniano Qassem Soleimani, há cinco dias.

Em retaliação, mísseis atingiram duas bases aéreas que abrigam tropas dos Estados Unidos e da coalizão no Iraque. O Pentágono confirmou os ataques, e o Irã assumiu a autoria dos disparos em uma das bases.

Após os ataques, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fez um pronunciamento para afirmar que o Irã parece estar recuando, e que não foram registradas vítimas americanas ou iraquianas no ataque.

“Desde 1999 as nações têm tolerado as ações de desestabilização do Irã no Oriente Médio, esses dias acabaram. O Irã andou procurando obter armas nucleares e ameaçando o mundo civilizado, não vamos permitir isso”, declarou Trump, afirmando que “nossas grandes forças americanas estão preparadas para tudo”. O presidente norte-americano ressaltou que novas sanções econômicas serão impostas ao país persa.

(Com Reuters, G1 e UOL)

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

  1. Impressionante e assustador como ninguém pode programar que alguma coisa acabe…
    deve ser por isso que os que trazem em si a medida exata de certo mistério são assassinados

    A única certeza que fica é a de que em qualquer ponto dessa espiral, torna-se impensável admitir a grandeza de Deus na pequenez humana, nesse repetir, repetir, repetir, até se extinguir na própria criação ou na dádiva que nunca será nossa, de ninguém, pelo tempo que nos foi permitido viver e criar

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome