Em 30 dias, o número de óbitos poderá chegar a 86 mil, em cálculo conservador, por Luis Nassif

Repare que as projeções levam em conta a curva de crescimento dos últimos dias. Não fiz nenhum cálculo estimando a progressão da curva – porque aí  resultado seria maior ainda

Baixei a planilha do Ministério da Saúde para entender melhor as estatísticas sobre coronavirus. Não considerei a possibildade de subnotificações.

Depois, fiz as seguintes contas:

  1. Montei tabela do comportamento da pandemia dia a dia nas cinco regiões brasileiras.
  2. Depois, calculei a variação semanal do avanço diária em duas séries (ou seja, o acumulado de um dia sobre o acumulado de 7 dias antes): o acumulado de notificações e o acumulado de mortes.
  3. Depois, mensalizei os dados semanais. Isto é, elevei o percentual semanal a 30/7, para calcular o crescimento em um mês.
  4. Finalmente, multipliquei os dados acumulados até dia 29 pelo resultado mensal, para estimar o acumulado daqui a 30 dias.

Repare que as projeções levam em conta a curva de crescimento dos últimos dias. Não fiz nenhum cálculo estimando a progressão da curva – porque aí  resultado seria maior ainda

No início da curva, os percentuais de crescimento são maiores, porque se parte de base baixa: de 1 para 2, por exemplo, são 100%. Quando ganha massa crítica, os indicadores passam a ter mais consistências.

O que se observa é um crescimento diário perturbador nas projeções para 30 dias, mesmo com algum ajuste no crescimento das notificações do sul.

As notificações

Em gráfico

Os óbitos

 

 

 

 

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Nassif, Se você adotar o critério de mortes/população e comparar com outros países que já tiveram ou estão no pico da proliferação do vírus, verás que, por exemplo: - se formos iguais a Suiça (feudo de riqueza), com os dados de hoje chegaremos a 42.000 mortes; - se formos iguais aos EUA (primeira economia do mundo), chegaremos a 40.000 mortes; - se formos iguais a Espanha (irresponsável no início do problema), chegaremos a 110.000 mortes. É isso aí, já escolhemos o nosso destino....... Com os dados de hoje, pois os EUA, também, terá uma taxa mais elevada do que os atuais dados mostram.

Nilo Schneider

Pelas minhas estimativas, teremos um acumulado de 78,5 mil óbitos em 24/5 e de 88 mil em 25/5. No dia 31/5, 200 mil. Isso se a variação média entre as médias diárias ao final de sete dias consecutivos for de 1,4. Tem sido menor, felizmente, mas com tendência crescente. Os casos se acumularão à 2,4 milhões em 31/5.

Marco A.

Olhando o Worldometer/Coronavirus: Em NOVOS CASOS diários, só EUA, Russia e UK estão à nossa frente. Estamos em QUARTO mo mundo. Em NOVAS MORTES diárias, só EUA e UK estão à nossa frente. Estamos em TERCEIRO no Mundo. Em TOTAL de casos, já seremos o NONO em um ou dois dias, ultrapassando o Irã. Em até uma semana poderemos passar a Turquia, assumindo o OITAVO lugar. Daí em diante, a distância para tristemente alcançarmos nossos 'competidores" é maior e tomará mais tempo. Dependendo da duração da pandemia porém, é inexorável que alcancemos Alemanha, Inglaterra França e Rússia, todos com menos casos novos (exceto Rússia, ainda), população menor, mais recursos, menos miseráveis e há mais tempo na pandemia. E aí estaremos em QUARTO, atrás de Itália e Espanha. Se continuarmos crescendo, poderemos ultrapassá-las e ocuparmos um desonroso 2° lugar no mundo (Deus nos livre de alcançarmos Trumo: "America First!"). Tomara que o pico da nossa curva aconteça antes, lá para meados de maio, mas em se tratando de braZil sob Bolsonaro, tudo pode acontecer. Em TOTAL de MORTES, também ultrapassaremos o Irã em um dia ou dois e a Alemanha e a Bélgica em 4 a 5 dias, tornando-nos o SEXTO do mundo. Espero que não ultrapassemos mais ninguém, depende do tempo. Finalmente, na LETALIDADE, continuamos em DÉCIMO, na lista liderada pela Bélgica, cabeça a cabeça com Reino Unido, com assombrosos 15,6% e outros europeus acima dos 10% (França e Holanda não muito longe).

Bo Sahl

boa noite, Nassif - Letalidade pelo estudo da UFPEL e do GOV de SC é de 0,33% - Levando em consideração a modelagem matematica do Imperial College of London que prevê que 81% da população mundial vá se infectar com o vírus. - levando em conta 210 000 000hab do Brasil, 81% infectado e 0,33% de letalidade teremos a estimativa de 561 330 óbitos até os 81%de hab sererm infectados. É possível que isso ocorra em 3-4 meses. Portanto, esses 86 000 em 30 dias estão dentro das estimativas. OBS: Esse número de letalidade (óbitos por doença dividido pelo total de infectados) está sendo bastante conservador, uma vez que países onde se está testando muito como os emirados arabes (110 400 testes/1M de hab, eles têm ~10M de hab, ou seja, já testaram 1/10 da população) estão com uma taxa de letalidade de 0,84%, Islândia com 0,55%. um Abraço

Giovani