Em delação “com script”, Palocci acusa Lula de negociar propina com Sarkozy

Depoimento foi dado no âmbito da ação penal em que o filho de Lula é acusado de receber propina em esquema envolvendo montadoras

Jornal GGN – Antonio Palocci disse nesta segunda (18) que em 7 de setembro de 2009, durante uma reunião que supostamente “varou a madrugada”, Lula teria acertado pagamento de propina “para a compra de helicópteros e para a construção de submarinos nucleares numa reunião com o então presidente francês Nicolas Sarkozy”. A informação é da Folha de S. Paulo.

O ex-ministro da Defesa Nelson Jobim também foi ouvido e negou qualquer acerto de propina por Lula. Ele “estava presente na reunião daquele 7 de setembro”, afirmou o jornal.

Curiosamente, Palocci disse também que no acordo estava prevista propina para a compra dos caças franceses. Mas o governo Dilma nunca comprou os equipamentos, porque optou pelas naves da empresa sueca Saab.

A Folha informou erroneamente que o “governo Lula” optou por fechar o contrato com a Saab. A compra, na verdade, se deu em 2013, com Lula fora do poder.

Segundo o jornal, Palocci não deu nenhum detalhe sobre essas supostas propinas alegando sigilo de seu acordo de delação premiada, mas afirmou que o dinheiro serviu para financiar campanhas do PT.

O ex-ministro, preso na Lava Jato, depôs como testemunha da ação penal em que o filho mais novo de Lula, Luís Cláudio, é acusado de receber propina em esquema envolvendo montadores. Lula responde por tráfico de influência.

A assessoria de Lula divulgou texto no site oficial do ex-presidente indicando que a delação de Palocci hoje foi reciclada.

Depoimento de teor similar foi dado por Palocci em 26 de junho de 2018, numa situação que chamou atenção da assessoria.

Leia também:  O efeito The Intercept nas redações dos jornais do Brasil, por Carlos Wagner

Palocci aparece na gravação do depoimento dado à Operação Greenfield com uma espécie de roteiro nas mãos. Um membro do Ministério Público pede que a gravação não mostre o papel.

“Depois desse depoimento, o MP insistiu para ele ser ouvido nessa ação sobre os caças suecos, onde ele faz novas acusações, sem provas ou relação com audiência: disse que tinha ouvido falar de propinas entre os ex-presidentes Lula e Sarkozy na compra de submarinos, helicópteros e caças (que no final não aconteceu) da França”, anotou a assessoria de Lula.

“Palocci, que tem como advogado um dos “reis da delação” de Curitiba, Adriano Bretas, já chegou no depoimento dos procuradores em junho de 2018 com o script das acusações anotado em papel, acertadas sabe-se lá com quem.”

Assista à cena clicando aqui.

Abaixo, a delação de Palocci divulgada no Estadão.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. Deixemos de lado, hoje, as falhas da Folha, envolvida em seu golpe particular. Agora, alguém que tenha poder legal tem que tomar alguma providência com relação a Palocci. Ou ele apresenta as provas do que diz, melhor, delata, e nesse caso todos nós aplaudiremos a condenação de Lula e aposentaremos o LulaLivre, ou ele desdelata tudo. Antes que alguém que não tenha poder legal, só físico, que não tenho, mas gostaria de ter, pense em resolver isso no braço. Porque o que ele está fazendo, caso não apresente urgentemente as provas, é de uma sordidez enorme, que atinge toda a família de Lula.

  2. Por tabela acusou um presidente estrangeiro, um ministro da justiça e, por suposto, tradutores. Pena que o Moro não pode intimar o Sarkosy.

  3. A acusação de Palocci carece de VEROSSEMILHANÇA. Dois Chefes de Estado de grandes paises NÃO
    discutem propina, há tradutores no meio, isso é ridiculo, Palocci fala qualquer coisa.

  4. Pallocci é de fato patético e ridiculo. Porém, o mais impressionante é observar como acusações patéticas e ridículas tem sido a base de todo este processo, que continua através de todas acusações existentes e que virão. O MP e o judiciário vão dando trela e mais trela e gastando dinheiro publico para perseguir. Quanto dinheiro já foi gasto em cima de acusações que não se sustentam, tiradas de delações torturadas nas masmorras de Curitiba. Aliás que só se sustentam porque caem na mão de juizes como Moro e Hardt e os da 4 região. Mas relembremos os fatos desta tragédia jurídica.
    -Lula é acusado de receber um triplex que nunca utilizou
    -A pessoa física Lula é acusado de receber propina através da compra e ou doação , jamais realizada de um terreno destinado a uma pessoa juridica,( o Instituto Lula). Que quando conveniente é tratado como sendo o proprio Lula.
    – Lula também é acusado de ter um apartamento que alugou ( e tem os recibos do aluguel)
    -Lula é acusado de possuir um sítio cuja aventada reforma milionária, teria uma fabulosa cozinha kitchens, igual a do triplex. Pelas fotos da invasão a fabulosa cozinha se resume a um fogão de 4 bocas do tipo daco. Os armários eram de aglomerado e jamais mostraram a cozinha do sitio. Que por sinal mesmo tendo dono com propriedade e documentos legais, foi sequestrado e leiloado. ( Sistematicamente a Força Tarefa e seus juizes não aceitam documentos de fé publica como prova)
    Tudo isto senhores é o uso de dinheiro público para satisfação de interesses privados.
    E agora mostrando o total despreparo e total falta de noção, usam o dinheiro publico para uma desmoralização do país. Afinal obrigam a defesa a chamar como testemunha o ex presidente Sarkozy, e o rei da Suécia. O MP não se cansa de arrastar o nome do país neste lamaçal. Incapazes de produzir uma prova, desmoralizam a PF, que se resume a fazer diligências e prisões coercitivas ou não . A ação se resume a busca de delatores. Quando provas são coligidas contrárias a acusação elas são simplesmente negadas. O incidente ( por falta de outra palavra) Tacla Duran, divulga em prosa e verso os mal feitos da Lava Jato pela península Ibérica e Europa. E nossa imprensa deu mais protagonismo a delação de Pallocci do que ao desmentido de Jobim.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome