Jornal GGN – Leandro Demori, editor-executivo do Intercept Brasil, disse nesta segunda (10), em entrevista ao programa Timeline, da rádio Gaúcha, que a equipe de jornalismo do site ainda tem uma imensidão de documentos, fotos, prints, vídeos, áudios e mensagens de textos trocadas por membros da Lava Jato para avaliar e publicar na série que foi batizada de “vazajato”.

Na noite de domingo (9), o site publicou 3 reportagens e 1 editorial a respeito de conversas privadas entre Sergio Moro e Deltan Dallagnol, e entre procuradores da Lava Jato num grupo fechado no Telegram, que provam o conluio entre o ex-juiz de piso e o Ministério Público Federal.

Moro deu dicas e traçou estratégias para o MP, cobrou agilidade em determinadas ações e interferiu em fases da Lava Jato, ofereceu pistas para o inquérito contra Lula e adotou outras medidas que atestam seu papel de auxiliar de acusação. Ex-juiz e procuradores negam irregularidades e se dizem vítimas de vazamento criminoso.

Questionado sobre o tamanho dos arquivos obtidos por uma fonte mantida sob sigilo, Demori afirmou que não tem como estimar. “Eu diria que a gente olhou 1% do material. Não tem como quantificar, é muita coisa mesmo.”

Segundo o editor, o material é “avassalador, muito vasto, contém conversas, vídeos, áudios, arquivos, documentos, fotos, prints, tudo que a gente faz costumeiramente num aplicativo de mensagens. A gente não está divulgando o tamanho do arquivo, mas em extensão é maior do que o arquivo Snowden.”

Para exemplificar, o jornalista comentou que apenas um dos grupos de procuradores no Telegram, chamado de “Incendiários”, resultou em 1,7 mil páginas de conversas.

OS ENVOLVIDOS

O Intercept recebeu cerca de 3 anos de conversas no Telegram a partir de uma fonte mantida em anonimato. O acesso ao material se deu semanas antes de Moro e Dallagnol terem o celular invadido, segundo divulgaram na semana passada.

Leia também:  Após acordo com Mercosul, empresário sueco promete cruzada contra produtos brasileiros

Demori revelou ao Timeline que além do chat privado entre Moro e Dallagnol, há vários grupos formados apenas por procuradores de Curitiba, e outros incluem também “procuradores de todo o Brasil”.

Alguns grupos foram batizados com piadas internas ou referências à cultura pop – um deles, por exemplo, se chama” The winter is coming”, em alusão à série da HBO, Game of Thrones.

Damori dá a entender que jornalistas também estariam envolvidos nas conversas.

JANOT E MINISTROS DA SUPREMA CORTE

Questionado se Rodrigo Janot e ministros do Supremo Tribunal Federal apareceriam no escândalo, Damori tentou sair pela tangente para não furar o Intercept: “Ainda ainda não estamos falando sobre isso, mas possivelmente vamos falar em breve.”

O editor-executivo disse ainda que a equipe deve se reunir nesta segunda-feira para discutir os próximos passos, mas que há pelo menos mais 6 histórias em vista, que podem ser divulgadas nas próximas semanas.

PROVAS PARA AS CONVICÇÕES

Na opinião de Damori, o grande feito do Intercept com a série, até agora, é trazer elementos de prova contra os abusos já denunciados contra a Lava Jato.

“Quero deixar uma coisa clara: até ontem, as pessoas podiam ter convicções pessoais de que a Lava Jato operava politicamente, mas ninguém podia dizer que era um fato.”

A expectativa do jornalista é que as mensagens tenham “algum reflexo” sobre a Lava Jato, do ponto de vista jurídico. Isso porque não dá para aceitar que um “juiz cometa irregularidades sob o manto de combater irregularidades”.

Ouça a entrevista completa:

Leia também:  Deltan Dallagnol buscou emplacar Vladimir Aras na PGR junto a ministros e políticos

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

16 comentários

  1. Quero crer que vão ter coragem quando aparecer uns peixões graúdos…….

    Espero que sim, esse país não pode mais viver em um democracia de fachada………
    A hora é essa……

    14
  2. Tenho mil perguntas que gostaria de ver respondidas, mas fico com a que nunca saiu da minha cabeça: qual o papel dos USA na coisa toda?

    23
    2
  3. Radialista bolsominion e torcedor de Moro, tentando torcer a opinião pública através do reforço de ideias como “O PT é uma quadrilha”…

    Guardemos o nome desses radialistas: Luciano Potter, Kelly Matos e David Coimbra.

    20
    4
  4. Jogo jogado em andamento.
    Geopolítica pura na veia, Putin manda o pessoal do Telegram vazar ao pessoal do Intercept (Telegram é russo).
    Busca com isso restaurar certo equilíbrio desfeito na região desde que o bolsobosta grudou no saco do porco laranja.
    Venezuela, Brasil e outros em escala menor, são os principais detentores de material mineral que interessa aos Impérios.
    Aguardemos o movimento chinês.

    16
    3
    • Sem duvidas…….
      Que o Brasil esta “num dos centros do tabuleiro” da Geopolítica e “geoeconomia” internacional…..Não podemos esquecer que mesmo se os USA, e seus aliados, são os “reis da vigilância, espionagem e interferência” , não são os únicos….é bom lembrar que Putin é “puro e duro KGB” e ainda especializado em política “exterior”….e os chineses com o avanço tecnológico das ultimas décadas, e os interesses econômicos na América latina, não vão ficar “assistindo com cara de paisagem”….

      Amenidades 1:Ouvi de gente que conheço, que visitou a Rússia nestes últimos tempos, que o Russo “médio-cidadão-comun” acredita numa cooperação Russo/Chinesa de tal profundidade e intensidade, que veria com bons olhos a possibilidade da “fusão” dos 2 países…….

      Amenidades 2: O nível de estupidez da turma da Vaza a Jato é espantoso…..realmente eles acharam que em rede social, mesmo que em grupo fechado, não tinha “ninguém olhando”? Que estavam falando numa “sala segura/antigrampo”?……Visitaram a CIA e o FBI, mas não entenderam nadica de nada……..

    • Mais provável que alguém levou o celular na assistência técnica e o ‘hacker’ pediu a senha para poder testar o celular. Três anos é um tempo razoável para o celular quebrar e a pessoa ter esperança que tem conserto.

  5. É BOM RECORDAR a constituição de uma organização mafiosa

    A estrutura de uma organização mafiosa é piramidal:

    1. soldati (criminosos comuns)

    2. uomini d’onore (homens de aparente honra) constituem uma rede de pessoas aparentemente honestas e que dão certa aparência de legitimidade a um grupo mafioso. Podem ser Políticos, Policiais, Juízes, Procuradores (MP), Sacerdotes, Empresários, Jornalistas… Não são criminosos comum. L’uomini d’onore é o centro de um pequeno universo.

    3. comissione: cúpula de comando regional

    4. Capo: chefe

    ***
    – uma dezena de uomine d’onore (homens de honra) forma uma família
    – diversas famílias formam uma circunscrição
    – as circunscrições elegem um chefe (capo)

    A Máfia caracteriza-se ainda pela sua grande capacidade de adaptar-se à sociedade e a momentos sem deixar de continuar a mesma còsca criminosa

    http://scuola.repubblica.it/blog/video/bolzoni-raccontare-la-mafia/?ref=HREC1-17

  6. Nossa, delícia é imaginar a expectativa de Lembo, TRF 4, uns peixes da mídia e STF, torcendo para não estarem nos próximos capítulos que serão divulgados em breve. O jogo é pesado, quem era pedra, virou vidraça, não podia ser melhor

    13
  7. O que significa, de fato, a opção “Ou pela ajufe?” citada por Moro em mensagem ao MP em 27/02/2016? Ela aparece conforme abaixo
    “Dias depois, Moro cometeu um deslize de linguagem que revela como a acusação e o juiz, que deveria avaliar e julgar o trabalho do MP, viraram uma coisa só. “O que acha dessas notas malucas do diretorio nacional do PT? Deveriamos rebater oficialmente? Ou pela ajufe?”, escreveu o juiz em 27 de fevereiro, usando a primeira pessoa do plural, dando a entender que as reações do juiz e do MP deveriam ser coordenadas.”
    Será que ex-juiz da lava jato também tem autoridade plena para decidir e fazer uso e quando assim o desejar, sobre a AJUFE? Pela proposta de opção que oferece na pergunta, até parece que o ex-juiz, mesmo não constando em nenhum cargo da diretoria da AJUFE, também possui autoridade e comando na associação para decidir, entre outras coisas, quando e como publicar notas em nome da entidade. Então, de posse desse cheque em branco, não seria nenhum absurdo deduzirmos que a AJUFE, no mínimo, se faz de omissa e/ou conivente com todos os acontecimentos, atos e ações dessa fabulosa orgia criminosa? Será que toda essa trama vergonhosa e ilegal não significaria uma flagrante comprovação da existência de uma espécie de Coligação Jurídica/Corporativista do mal? Será também que, possivelmente, contou com a omissão, com a conivência e com a segurança e proteção da grande mídia? Será que diante da força de adesão a tantos procedimentos suspeitos, todas as figuras do judiciário envolvidas já se consideravam intocáveis e imaginaram que estava tudo dominado?

  8. o conluio parte do judiciário/parte do mpf e
    grande midia golpista sempre foi evidente…
    o conluio entre o procurador e o
    juiz agora ficou mais claro ainda…
    colusão d interesses – essa é a questão….

  9. Pelo que que deixa entrever o pessoal do Intercepet, teremos ainda muitas surpresas. Se tem tanto material assim é porque tem muita gente envolvida. Atenção que a imprensona (através de articulistas) vai fazer de tudo para minimizar os fatos e vão tentar jogar contra os jornalistas do Intercept, principalmente Greenwald.

  10. foi um sarro essa entrevista no timeline da gaucha, uma
    rádio típica do sistemão entrevistando alguém que
    denuncia no caso as próprias mentiras por exemplo da globo,
    como aquela matéria infame e mentirosa do guaruja.

    não se falou nisso, claro,mas teve uma hora que os dois
    entrevistadores falaram que isso – as denuncias –
    não impediam de dizer que houve corrupção etc aquela
    conversa de fdp preconceituoso e antipetista escabroso…
    o cara do intercept até que se saiu bem….
    mas perewciso ter muito jogo de cintura
    pra enfrentar essa grande midia golpista….

  11. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome