Evo Morales acusa EUA de cumplicidade em golpe na Bolívia

Ex-presidente reage a pedido de limitação de atividades políticas, como acontecia nos tempos do Plano Condor

Foto: ABI/Fotospublicas.com

Jornal GGN – O ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, reagiu ao pedido dos Estados Unidos para a Argentina limitar as suas atividades, acusando o país de cumplicidade com o golpe de Estado realizado em 10 de novembro.

Em sua conta no Twitter, Morales garantiu que “a cumplicidade dos Estados Unidos” com o golpe de Estado na Bolívia é “evidente”. Segundo o site Sputnik News Brasil, o pronunciamento de Morales foi uma reação ao pedido feito pela embaixada norte-americana em Buenos Aires para que a Argentina limite o status de asilo político do ex-presidente, tal qual nos tempos do Plano Condor.

Em pronunciamento à imprensa, a Embaixada dos Estados Unidos em Buenos Aires pediu que a administração de Alberto Fernández dê apoio à “democracia na Bolívia”, e solicitou que Morales “não abuse do seu status” de asilado político na Argentina.

A Operação Condor foi uma coordenação de ações entre os Estados Unidos e as ditaduras militares de Brasil, Argentina, Paraguai, Chile, Uruguai e Bolívia realizada nas décadas de 70 e 80. Organizações de defesa dos direitos humanos estimam que as ações coordenadas pelo plano geraram 50 mil assassinatos e aproximadamente 30 mil desaparecidos.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  O cenário da economia depende do Covid de Bolsonaro, por Luis Nassif

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome