Governador da Bahia desiste de inaugurar aeroporto com Bolsonaro

Último pagamento pela obra, por parte da União, ocorreu no governo Temer. Mas para governador Rui Costa, Bolsonaro quer colher os louros

Fernando Vivas/GOVBA

Jornal GGN – O governador da Bahia Rui Costa desistiu de inaugurar o aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista, na terça (23). Segundo ele, o presidente Jair Bolsonaro quer colher os louros pela obra que não teve um centavo de sua gestão, e teria planejado um evento para “escolhidos a dedo”, “como se fosse uma convenção política-partidária”.

Em vídeo divulgado nesta segunda (22), Costa agradece alguns ex-gestores que tiveram participação na obra, como o ex-governador da Bahia Jacques Wagner e o ex-secretário de Infraestrutura, Otto Alencar, além da Dilma Rousseff, que assinou dois convênios em nome da União, um em 2012 (pista) e outro em 2015 (terminal de passageiros).

O governo federal investiu R$ 75 milhões no empreendimento. “Quero agradecer também ao ex governo Temer, que pagou a última parcela em novembro de 2018”, disse Costa.

Segundo o governado, “exercitando a boa educação que aprendi, convidei o governo federal [Bolsonaro] a se fazer presente no ato de inauguração, nessa grande festa. Infelizmente confundiram a boa educação com a covardia, e desde então tenho presenciado agressões ao povo do Nordeste e ao povo da Bahia”, disse, fazendo alusão ao recente episódio em que o presidente chamou nordestinos de “paraíba”, em café da manhã com a imprensa.

Costa ainda revelou que a “medida anunciada [pelo governo Bolsonaro] é excluir o povo da inauguração, fazer uma inauguração restrita a algumas pessoas, escolhidas a dedo, como se fosse uma convenção política-partidária.”

“Não posso concordar com isso. Por isso, não vou comparecer à inauguração do aeroporto que o povo da Bahia construiu. (…) entendo que o Brasil precisa de paz para crescer e gerar emprego.”

Na semana passada, Bolsonaro fez uma transmissão ao vivo no Facebook ao lado do ministro Tarcísio Gomes de Freitas, da Infraestrutura, que tratou da inauguração como se fosse tivesse tido participação do atual governo.

Leia também:  Enquanto Lula está preso, democracia brasileira está em dívida, diz senador chileno

O ministro repetiu algumas vezes que o atual “governo vai estar concluindo essa obra” e que a União arcou com “70% dos recursos”, sem especificar que foi antes de Bolsonaro ser eleito.

Bolsonaro foi mais direto e admitiu que a obra não era de seu governo, mas endossou a versão de que ele a “continuou”: “A obra não é minha, veio de governos anteriores. O mérito do Tarcísio, com a pouca verba que tem, é não deixar a obra parada, concluir a obra.”

“Nossa intenção é concluir o maior número de obras e não começar nenhuma para evitar desperdícios”, disse.

Confira a partir dos 27 minutos.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. o miliciano mandou a anac proibir que o avião do governador pousasse no aeroporto.

    Só cancelou a presença na festa depois da proibição.

    o pt de maneira, burra, estupida, idiota e canalha ainda quer ser republicano

    • É incompreensível a “Inocência” dessa esquerda tratada a chutes e pedradas. Parece que não aprendem. Já não bastou o golpe, a destruição dos direitos sociais, o tratamento de ladra?

  2. Os dirigentes de instituições estão começando a demonstrar dignidade.
    Primeiro foi o presidente do INPE e agora o Governador da Bahia.
    Espero que os(as) outros(as) líderes íntegros assumam o destino do Brasil.
    BASTA !

    7
    1
  3. Pois poderia ir e fazer um discurso, dentro da legalidade, mas colocando os pontos nos is. Eu sei que é duro recebê-lo e as pessoas decentes teriam dificuldades com a impropriedade, mesmo para com os indecentes. Mas ultimamente é mais duro ainda ser Jair Bolsonaro, pois é certo que lhe doa ser mal quisto, ainda em seu começo de mandato e em tantos locais. Nestes dias mesmo ele falou da mágoa de ser mal ilustrado pela mídia estrangeira. Os poucos metros de tapetes vermelhos que irá cruzar não se compararão com as muitas vaias que ainda perseguirão e incomodarão suas solitárias noites de sono.

    • Pior que não.
      Gente como ele não tem a menor sensibilidade.
      Ele comemora os que lhe aplaudem e ignora os que lhe vaiam como se não fosse com ele.
      Ele simplesmente não acredita que haja pessoas que não gostem dele.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome