Itamaraty não revela o que mandou falar sobre Marielle no exterior

PSOL pediu acesso a telegramas e comunicações enviadas às embaixadas, mas Ernesto Araújo não disponibilizou

Jornal GGN – O correspondente do UOL Jamil Chade revelou nesta terça (28) que o governo Bolsonaro se recusa a informar o que mandou as embaixadas do Brasil no exterior dizerem a respeito do assassinato da ex-vereadora Marielle Franco.

Informações sobre o que foi orientado foram requisitadas pelo PSOL, depois que uma política da França enviou uma carta à embaixada questionando sobre o inquérito que investiga a execução, e recebeu de volta uma resposta ríspida.

“O embaixador brasileiro na França, Luís Fernando Serra, respondeu agressivamente a legisladora francesa, afirmando que era com ‘profunda consternação’ que observava ‘que o assassinato de Celso Daniel e o ataque à vida de Bolsonaro não tiveram o mesmo eco na França que o assassinato de Franco, que foi até objeto de uma mobilização da Assembleia Nacional'”, apontou Chade.

Ao PSOL, o ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo respondeu sem esclarecer se “havia uma orientação específica” sobre Marielle. Ele também não colocou os telegramas e comunicações enviados às embaixadas à disposição.

PSOL vai peticionar novamente requerendo as informações, agora alertando que “configura crime de responsabilidade a recusa, ou o não atendimento, no prazo de trinta dias, bem como a prestação de informações falsas, de pedidos escritos de informações a Ministros de Estado.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome