Justiça de transição para a reconciliação do Brasil, último artigo de um procurador notável

Carlos Eduardo Vasconcelos, Procurador da República dos verdadeiros e melhores, faleceu em Montreal - onde vivia depois de aposentado - no último dia 6 (seis) de fevereiro.

Justiça de transição para a reconciliação no Brasil-
Carlos Eduardo Vasconcelos, Procurador da República dos verdadeiros e melhores, faleceu em Montreal – onde vivia depois de aposentado – no último dia 6 (seis) de fevereiro.
Deixou esse último e recente texto (dentre outros tantos trabalhos jurídicos e acadêmicos).

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Coronavírus: passageiros do exterior entram sem triagem nos aeroportos brasileiros

1 comentário

  1. Nassif,

    Anteontem estava tendo um debate numa rádio aqui de Goiânia a respeito da reforma da previdência e de como ela só afetava os pobres.

    A resposta foi lógica.
    Quem precisa de previdência são os pobres. Os ricos vivem de seu patrimônio.

    Então me veio uma questão.
    É inquestionável que o topo do funcionalismo público, no decorrer dos anos como funcionário público, certamente conseguem construir um patrimônio que os possibilitem viver dele, como procuradores, juízes, etc…

    A pergunta que fiquei me fazendo é: não seria justo, apesar de muito polêmico, reconhecendo que salários altos possibilitam uma acumulação de patrimônio que possibilite uma boa vida futura, pensar em uma legislação futura que estabeleça a “inexistência” de aposentadoria para O TOPO?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome