Lava Jato usou boatos do Antagonista para investigar nora de Lula

Procuradores acionaram os canais informais com a Receita Federal, mas não encontraram nada para usar contra a familiar do ex-presidente

Jornal GGN – Mensagens de Telegram divulgadas pelo Intercept Brasil, nesta segunda (20), mostram que o site O Antagonista usou da relação promíscua com procuradores da Lava Jato para tentar emplacar uma investigação contra a nora de Lula.

A força-tarefa chegou a usar os canais informais – de maneira irregular – com a Receita Federal para vasculhar a vida de Marlene Araújo Lula da Silva, mas não encontrou nada. O caso, de meados de 2016, mostra como a Lava Jato se apropriava de qualquer boato para promover devassas em pessoas ligadas ao ex-presidente.

Segundo a reportagem, Dantas disse ao procurador Januário Paludo que “Marlene teria recebido da empreiteira OAS um imóvel no novo terminal de passageiros do aeroporto internacional de Guarulhos.”

Paludo solicitou a colegas de força-tarefa que levantassem dados informalmente com a Receita Federal, à revelia do controle judicial. Mesmo sem nenhuma irregularidade encontrada, os procuradores pediram a Sergio Moro a quebra do sigilo fiscal e bancário de Marlene. O ex-juiz recusou, alegando falta de “causa suficiente” para a medida.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Finalmente, cai a ficha sobre o risco Bolsonaro, por Luis Nassif

2 comentários

  1. Cada vez mais escancarada a criminosidade desses lavajateiros-de-conveniência-e-negociatas. Apenas os mpfétido e o cnjotofolide não é capaz de tomar medidas fito-sanitárias pra escorraçar essa bandidagem que enlameia o setor. Mais nazi-fascista, impossível.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome